Escola de Redes


 O objeto da análise é a interface Grupos do NING, abordando-se sua usabilidade como ferramenta para a clusterização. Nas redes sociais, a clusterização é importante porque os grupos são os espaços de maior possibilidade de desenvolvimento da interação mútua, dos laços fortes e são os espaços onde surgem comunidades de estudos, de ação, projetos. São os clusters que produzem muito da riqueza social e de conhecimento nas redes.

Nas interfaces para redes sociais na web, as tarefas que o usuário desenvolve para clusterizar ou agrupar, usando a ferramenta Grupos são: criar grupos, encontrar pessoas com quem tem afinidade; encontrar temas/tópicos de interesse; aderir ou solicitar afiliação, aceitar convites, convidar; conhecer as pessoas do grupo; explorar o conteúdo disponível (arquivos depositados, conversas); interagir na conversa, acompanhar a conversa de outros, compartilhar documentos, vídeos, áudio, textos e links internamente no grupo, compartilhar produção do grupo na web (Twitter, Faccebook etc.); realizar produção conjunta de  vídeos, áudios e documentos, sair do grupo.

No caso específico do NING, estas ações estão contempladas, com exceção da produção conjunta de vídeos, áudios e documentos, apesar de que, nos associações pagas, é possível aceder ao código base da plataforma e proceder a alterações em sua estrutura, tornando-a mais personalizada, por exemplo, inserindo um wiki.

Atuando como criadora e administradora de algumas comunidades NING e também como usuária comum[1] identifiquei algumas questões em relação à usabilidade, em especial, a concorrência entre duas ferramentas oferecidas na interface Grupos, o Fórum de Discussão e a Caixa de Recados. Ela cria um ruído no processo de clusterização por seu impacto negativo no acompanhamento e participação na conversa em fluxo que acontece no Grupo.  Na avaliação de interfaces, ruído é um tipo de problema referente a um aspecto da interface que, sem consistir em barreira ou obstáculo ao usuário, causa diminuição no seu desempenho. Ainda em relação à classificação do problema, pode-se considerá-lo como geral, isto é, afeta a todos os usuários. (GONÇALVES, 2011c).

A metodologia da análise é subjetiva, tendo como referência minha experiência de criadora, administradora e usuária na plataforma, mais as avaliações sobre o problema, identificadas a partir de pesquisa com a expressão grupos na Comunidade Criadores do NING, que reúne criadores e administradores de redes sociais na plataforma; na observação sobre o funcionamento dos Grupos na comunidade da Escola de Redes e em questionário enviado a cinco usuários/criadores/administradores do NING.

A interface foi analisada conforme o conceito de usabilidade considerando-se a recomendação:

 “A avaliação de usabilidade de um sistema interativo deve verificar o desempenho (a eficácia e eficiência) da interação humano-computador e obter indícios do nível de satisfação com o usuário, identificando problemas de usabilidade durante a realização de tarefas específicas em seu contexto de uso”.  (GONÇALVES, 2011c)

 Conforme a International Organization for Standardization, usabilidade é a medida pela qual um produto pode ser usado por usuários específicos para alcançar objetivos específicos com efetividade, eficiência e satisfação em um contexto de uso específico (ISO 9241-11).  A efetividade ou eficácia permite que o usuário alcance os objetivos iniciais de interação, e tanto é avaliada em termos de finalização de uma tarefa quanto também em termos de qualidade do resultado obtido; a eficiência está relacionada à quantidade de esforço e recursos necessários para se chegar a um determinado objetivo e a satisfação diz respeito às emoções que os sistemas proporcionam aos usuários em face dos resultados obtidos e dos recursos necessários para alcançar tais objetivos. (WIKIPÉDIA, 2011. GONÇALVES, 2011c)

Grupos no NING

A criação de um grupo é apresentada na plataforma como “uma ótima maneira de organizar os membros de sua rede NING em torno de um tópico”.  Membros são aqueles usuários que se associam a uma rede social que utiliza a plataforma. Não havendo restrição do criador da comunidade, qualquer membro pode criar um grupo e, se for permitido pelo criador do grupo, qualquer membro pode convidar pessoas.

Os recursos de comunicação oferecidos são fórum de discussão, caixa de texto, caixa de recados, leitor RSS, compartilhamento pelo Twitter e Facebook. Destes recursos são utilizados para a interação mútua apenas o Fórum de Discussão e a Caixa de Recados, que na configuração está identificada pela expressão Comentários.

O processo de criação pode ser realizado pela página pessoal, onde, após clicar em Grupos, no menu à esquerda da tela, abre-se a página que tem todos os grupos dos quais o usuário participa e o botão + Adicionar  que dá acesso à caixa de configuração de um novo grupo ou pela página Grupos, que oferece uma visão geral de todos os grupos da comunidade e o botão +Adicionar.

 O problema detectado inicia no processo de criação de grupo, pois membros menos experientes podem naturalmente aceitar a configuração sugerida, que vem com os dois recursos, Caixa e o Fórum, habilitados.  Não há informação sobre a função de cada deles.  As Suas funcionalidades estão descritas na quadro a seguir, com grifo nas duas que queremos destacar.

 

Fórum de Discussões

Caixa de recados

Barra de edição

Barra de edição

Compartilhar imagem, vídeo, documento

Compartilhar imagem, vídeo, documento

Opção para o recebimento de mensagens na caixa de correio pessoal quando houver postagens

Opção para o recebimento de mensagens na caixa de correio pessoal quando houver postagens

Postagens encadeadas: enunciado-resposta

Sem encadeamento

Postagens não aparecem na página inicial da comunidade em Atividades Recentes

Postagens aparecem na página inicial da comunidade em Atividades Recentes

Quadro 1 – Funcionalidades dos recursos Fórum de Discussões e Caixa de Recados.

 

 Iniciaremos analisando a importância da funcionalidade relacionada ao stream ou feed de atividades, Postagens aparecem na página inicial da comunidade em Atividades Recentes.

Necessário para o fortalecimento de um grupo é o reconhecimento de sua importância pela comunidade maior da rede, o que acontece a partir do conhecimento que esta tem de suas atividades.  Para que isso ocorra, a visibilidade das atividades do grupo para a comunidade geral é condição fundamental.  Usualmente, nas plataformas de redes sociais a visibilidade é fruto da aparição das postagens individuais em áreas de registro de stream.  No NING a área de stream é denominada Atividades Recentes e está localizada na primeira página. Como podemos observar no quadro 01, apenas as postagens feita no recurso Caixa de comentários aparecem na área de fluxo na  home page da comunidade.

Recuero (2009, p. 108-113) explica que em redes sociotécnicas a visibilidade é um valor por si só, mas dá origem a outros valores, igualmente importantes como reputação e popularidade. A visibilidade está relacionada com a capacidade de um ator ou nó da rede se fazer visto pelos outros e está associada ao capital social relacional. Reputação, um dos principais valores construídos nas redes sociais, está ligada às qualidades percebidas nos atores pelos outros membros e implica três elementos: o “eu, e o “outro” e a relação entre os dois, é diretamente relacionada à participação nas conversas, compartilhamento e distribuição de informações. Há diversos tipos de reputação e todos os nós possuem em menor ou menor grau algum tipo de percepção por sua audiência. A popularidade, outro valor relacionado à visibilidade e à audiência, mostra a posição de um ator em sua rede social. Está relacionada à quantidade de comentários que as postagens de um integrante recebe, à quantidade de seguidores e amigos, número de visitas ao perfil. 

Por estes motivos, o aparecimento das postagens em Atividades Recentes gera valor para o grupo, para o criador do grupo e para o autor das mesmas.

Em relação à importância da funcionalidade Postagens encadeadas: enunciado-resposta sabe-se que na interação mútua, que caracteriza um processo de clusterização, o acompanhamento da conversa que se desenvolve no grupo é condição para a participação na mesma. Contudo, apenas no Fórum de discussão é que temos o sistema de encadeamento de postagem–resposta que possibilita o acompanhamento da conversa como fluxo, de sua sequência no tempo e que as respostas sejam feitas no contexto de ideias e situação em que foram originadas.

Em postagem em seu blog, Raquel Recuero (2011) destaca a importância da percepção do contexto na comunicação mediada por computador:

Uma das maiores riquezas do estudo das redes sociais na Internet é poder perceber, justamente, o contexto dentro do qual emergem as informações e as conversações que vão gerar seu espalhamento. Afinal, essas redes são constituídas pelas conversações e são essas conversações que vão dar sentido para os valores que emergem nesses grupos. [...] O contexto, assim, é importante para se compreender não apenas os valores gerados pelas redes sociais, mas também, para se compreender as motivações e intenções na difusão de determinadas informações. Mais do que isso, o contexto é também importantíssimo para que se compreenda o potencial das conversações e suas dinâmicas no ambiente do ciberespaço.

Assim, a clusterização, um fenômeno espontâneo de redes sem escala, é perturbada pela impossibilidade de se acompanhar o fluxo da conversação no grupo e pela falta de visibilidade, caso se exclua a Caixa de Recados para forçar o uso do Fórum.  

Perturbação

A perturbação acontece pela má alocação das funcionalidades nos recursos Fórum de Discussão e Caixa de Recados, já que o criador do grupo, seja qual for a escolha que faça, sempre terá prejuízo. A preferência por um dos recursos implica na opção entre duas situações igualmente importantes para o fortalecimento do grupo e consequentemente para o processo de clusterização: sua visibilidade diante da comunidade maior da rede (incluindo aqui a visibilidade das pessoas ativas) e a possibilidade de acompanhamento do fluxo da conversa e participação nela sem perder o contexto de enunciação das ideias. Por outro lado, deixar os dois recursos habilitados também gera desconforto.

Quando os dois recursos estão habilitados pelo criador do grupo, acontece uma concorrência entre eles pela atenção (e uso) do usuário. Os dois recursos estão na primeira página do grupo, mas apenas as mensagens postadas na Caixa de Recados são imediatamente visíveis ao usuário, sendo mais sedutor e fácil postar ali do que entrar em um Fórum. A postagem na Caixa é uma ação direta, quase um impulso.

Outro atrator que identificamos para a preferência de postagem na Caixa de Recados é que apenas as postagens feitas aqui aparecem na página inicial da rede em Atividades Recentes, o que além de dar visibilidade ao grupo também é uma forma de se conseguir visibilidade pessoal, o que tem impacto direto na reputação e popularidade do membro diante da comunidade. Vimos também que a desvantagem da Caixa de Comentários está relacionada ao não encadeamento de postagem-resposta, o que impede o fluxo da interação mútua na conversação e à identificação do contexto.

Do ponto de vista da satisfação do usuário, a confusão gerada na Caixa de Recados pela descontinuidade do fluxo da conversa gera cansaço e frustração, principalmente quando o assunto o interessa e as postagens são extensas, com imagens e vídeos, pois há necessidade de investir tempo e esforço cognitivo para localizar a sequência da conversa e descobrir o contexto de suas formulações. O sistema de organização das postagens por entrada e não relacionado (postagem-resposta) também dificulta a sistematização do conhecimento que é gerado nas conversações, gerando mais frustração.

Em relação à avaliação do desempenho, considerando-se que o alcance dos objetivos dos usuários/atores em uma rede social depende da facilidade de interação e esta do desenvolvimento fluído da conversação, podemos considerar que os problemas detectados causam um aumento no esforço cognitivo e no tempo dedicado às atividades para sustentar a interação mútua no processo de clusterização, perturbando o usuário na obtenção dos  seus objetivo de navegação.

Dos cinco questionários enviados, apenas um foi respondido. A entrevistada é uma usuária freqüente do NING e atua em conjunto com outras pessoas como administradora de comunidade. Ela considera que a interface Grupo tem limitações, mas localiza os problemas nas pessoas e não na interface. Para ela, as pessoas ainda não acharam um modo de usar a ferramenta para colaboração/participação/interação.

Também na comunidade Criadores, as duas respostas à postagem em que descrevi o problema da concorrência entre as funcionalidades mostraram que o problema é percebido como uma perturbação cuja origem não está clara.

 

Vivianne – 15 de setembro de 2011
Olá, estou fazendo uma trabalho acadêmico na área de design de interação e estou analisando o Grupos do Ning do ponto de vista da clusterização. Algo que observei como administradora e como usuária é uma 
concorrência entre a caixa de comentário/recado e o Fórum de discussão em Grupos, pois quando os dois recursos ficam habilitados há uma tendência das pessoas postarem na caixa comentários e não entrarem nos fóruns. Os principais problemas que decorrem disto são a dificuldade de acompanhar  o fluxo da conversa e também  responder diretamente à alguma contribuição, já que em comentários não dá para  responder encadeado,  e também a gestão da conversação e do conhecimento que é gerado na interação. Vcs já observaram isto em suas redes?

 

Resposta 01 – 15 de setembro 2011

Olá Vivianne,
Percebo isso claramente em minha rede... realmente os comentários são muito mais frequentes e seriam melhores aproveitados se fossem postados no fórum...Não sei analisar o porquê, apenas atesto este fato.

Abraços.

Resposta 02 – 21 de setembro de 2011

 

Concordo com vc Viviane, já senti esta dificuldade. Precisamos do parecer técnico de alguém de T.I. para ver como resolver!

Quadro 3 – Conversa no Grupo Criadores Brasileiros,. (NING Creators, 2011)

 

Considerações Finais

 A interface Grupos mostra uma situação em que os benefícios das funcionalidades projetadas em Fórum de Discussão e Caixa de Recados estão mal distribuídos, pois nenhuma delas oferece as vantagens integrais ao usuário. Em decorrência dos problemas identificados, usuários desistem do acompanhamento e da participação no grupo, enfraquecendo o processo de clusterização, e o status da interação pode passar de mútua para associativa. 

No entanto, apesar do desconforto existir, a percepção do problema como decorrente de um erro de interface não é comum.  Como o problema detectado não é grave, pois não chega a impedir que o usuário realize seus objetivos, convive-se com ele, não obstante o prejuízo no desempenho, a frustração e os impactos que causa na clusterização.  

Mesmo que a Caixa de Recados tenha sido criada para ser um mural de recados, notas, avisos para a audiência geral do Grupo, a prática de usuários não está restrita a esta função e pelas razões apontadas, entre outras, o recurso é também utilizado para conversação. Mesmo nos Grupos de Criadores NING acontece a distorção da função para a qual a ferramenta foi projetada, o que confirma que é um problema geral, que afeta a todos os usuários, independentemente de domínio técnico.

Além disso, a partir do uso que os usuários da plataforma fazem da Caixa de Recados, percebe-se o desejo por um lugar onde se possa estabelecer uma conversa aberta, breve, mais geral, que possivelmente não justifique a criação de um Fórum.

Na Comunidade de Criadores são inúmeras as solicitações para que as postagens no Fórum de Discussão apareçam no stream Atividades Recentes, o que resolveria uma parte do problema, aquela relacionada à visibilidade, reputação e popularidade. Da mesma forma, dotar a Caixa de Recados de um sistema de respostas pode ajustá-la ao uso atual que grande parte dos usuários faz da ferramenta.

No entanto, não é objetivo do trabalho propor soluções. O exercício feito está mais interessado em conectar a área de design de interfaces com as questões desafiadoras que surgem com a conectividade intensiva da sociedade contemporânea e com a interação nas redes sociotécnicas sem escala.  Que diálogo há ou podemos tecer entre as interfaces atuais e fenômenos da interação como clustering (aglomeração), swarming (enxameamento, auto-organização emergente), crunching (encolhimento do mundo social), crowdsourcing (colaboração em grande escala)? Como desenvolver interfaces que aproveitem os fenômenos espontâneos da conectividade distribuída ao invés de restringi-los ou ignorá-los?

 

Referências

 

ALVES, Maria Bernardete Martins; BEM, Roberta Moraes de.; GARCIA, Thais. Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos: referências (NBR 6023:2002). Florianópolis, 2010.  54 slides, color. Disponível em:

a href="http://www.bu.ufsc.br/design/moduloIIIatualizado.pdf">http://www.bu.ufsc.br/design/moduloIIIatualizado.pdf>. Acesso em: 10 out. 2011.

 

ALVES, Maria Bernardete Martins; BEM, Roberta Moraes de.; GARCIA, Thais. Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos: citação (NBR 10520:2002). Florianópolis, 2010.  27 slides, color. Disponível em:

a href="http://www.bu.ufsc.br/design/moduloIIIatualizado.pdf">http://www.bu.ufsc.br/design/moduloIIIatualizado.pdf>. Acesso em: 10 out. 2011.

 

AMARAL, Vivianne. Aproximações: redes operativas e grupos operativos.  [S. l.] 2009. Disponível em: a href="http://pt.scribd.com/doc/40916264/Aproximacoes-0502010-viviamaral">http://pt.scribd.com/doc/40916264/Aproximacoes-0502010-viviamaral>. Acesso em 06 out. 2011.

 

BARABÁSI, Albert-Laszló. Linked: a nova ciência dos networks. [S. l.], Leopardo, 2009.

 

BONSIEPE, Gui. Design, Cultura e Sociedade. São Paulo: Blucher. 2011.

 

CRIADORES BRASILEIROS. Fórum na comunidade NING Creators. Disponível em: http://creators.ning.com/group/braziliancreators/forum.  Acesso em 21 set. 2011.

 

FRANCO. Augusto. FLuzz: vida humana e convivência social nos novos mundos altamente conectados do terceiro milênio [S. l.] 2011. Disponível em: a href="http://www.slideshare.net/augustodefranco/fluzz-incio-captulo-0">http://www.slideshare.net/augustodefranco/fluzz-incio-captulo-0>. Acesso em 15 set. 2011.

 

GONÇALVES, Berenice. Interfaces: conceitos. Florianópolis. 2011a. Apresentação em Power point da disciplina Interfaces Gráficas, Pós-Graduação em Design e Expressão Gráfica. UFSC. Disponível em: a href="http://moodle.ufsc.br/course/view.php?id=12296">http://moodle.ufsc.br/course/view.php?id=12296>.   Acesso restrito com matrícula e senha.

 

________. Aplicações do conceito de interface. Florianópolis. 2011b. Apresentação em Power point da disciplina Interfaces Gráficas, Pós-Graduação em Design e Expressão Gráfica. UFSC. Disponível em: a href="http://moodle.ufsc.br/course/view.php?id=12296">http://moodle.ufsc.br/course/view.php?id=12296>.   Acesso restrito com matrícula e senha.

 

________. Métodos de avaliação. Florianópolis. 2011c. Apresentação em Power point da disciplina Interfaces Gráficas, Pós-Graduação em Design e Expressão Gráfica. UFSC. Disponível em: a href="http://moodle.ufsc.br/course/view.php?id=12296">http://moodle.ufsc.br/course/view.php?id=12296>. Acesso restrito com matrícula e senha.

 

INTERAÇÃO MÚTUA. In: Dicionário Social. Limc-UFRGS, [S. l.], 2011. Disponível em: a href="http://www6.ufrgs.br/co-link/dicionariosocial/view_text.php?wikipage=//interacao_mutua">http://www6.ufrgs.br/co-link/dicionariosocial/view_text.php?wikipag...>. Acesso em 20 set. 2011.

 

INTERAÇÃO REATIVA. In: Dicionário Social. Limc-UFRGS, [S. l.], 2011. Disponível em: http://www6.ufrgs.br/co-link/dicionariosocial/view_text.php?wikipag...>. Acesso em 20 set. 2011.

 

MAIA, Renata Abreu. Mediação sociotécnica em plataformas colaborativas de webcasting: um estudo sobre formatos híbridos. Orientado por Geane de Carvalho Alzamora. Belo Horizonte, 2010. 170 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação Social) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Faculdade de Comunicação e Artes, Programa de Mestrado em Comunicação Social, Belo Horizonte, 2010. Disponível em:/p>

http://www.biblioteca.pucminas.br/teses/Comunicacao_MaiaRA_1.pdf>. Acesso em 27 set. 2011.

 

NING. History: about NING. Palo Alto, Califórnia: NING, Inc. . 2011a. Disponível em

a href="http://about.ning.com/corporate/history/">http://about.ning.com/corporate/history/>. Acessado em 08 out. 2011.

 

__________. Introduction to groups. Palo Alto, Califórnia: NING, Inc. . 2011. Disponível em: a href="http://help.ning.com/cgi-nin/ning.cfg/php/enduser/std_adp.php?p_faqid=3411&p_sid=M9PWbaGk">http://help.ning.com/cgi-nin/ning.cfg/php/enduser/std_adp.php?p_faq...>. Acessado em 05 set. 2011b.

 

RECUERO, Raquel. Redes Sociais na Internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.

 

________. Redes Sociais na Internet, Conversação e Contexto. Pontomidia, 2011. [S. l.], 03 jan. 2011. Disponível em: a href="http://www.pontomidia.com.br/raquel/arquivos/redes_sociais_na_internet_conversacao_e_contexto.html">http://www.pontomidia.com.br/raquel/arquivos/redes_sociais_na_inter...>. Acessado em 08 out. 2011.

 

USABILIDADE. In: WIKIPÉDIA a enciclopédia livre. Flórida: Wikimedia Foundation, 2011. Disponível em: a href="http://pt.wikipedia.org/wiki/Usabilidade">http://pt.wikipedia.org/wiki/Usabilidade>. Acesso em 07 out. 2011.



[1]  Por exemplo: como criadora e administradora: http://ecoformacao.ning.com/ e http://nheengatu.ning.com/. Como membro: https://escoladeredes.ning.com/.

Exibições: 319

Comentar

Você precisa ser um membro de Escola de Redes para adicionar comentários!

Entrar em Escola de Redes

Comentário de Vivianne Amaral em 12 dezembro 2011 às 8:52

Pois é Augusto, a questão da usabilidade  está relacionada também a pequenos detalhes que podem virar uma pedra  no caminho da fluidez da interação. abraços

Comentário de Augusto de Franco em 12 dezembro 2011 às 6:02

Legal, Vivi.

Comentário de Vivianne Amaral em 9 dezembro 2011 às 17:29

Parte de artigo acadêmico que fiz para a disciplina de Interfaces Gráficas/Pós Design e Expressão Gráfica - UFSC.

© 2019   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço