Escola de Redes

ATENÇÃO: NÃO É PARA DISCUTIR E SIM PARA TRADUZIR. MENCIONE O PEDAÇO (OU OS PEDAÇOS) QUE VOCÊ TRADUZIU E PUBLIQUE A TRADUÇÃO NO CAMPO DE COMENTÁRIOS.

Pedaço 1
FP — How do you establish the connection between meaning and power? How does that connect actually?

FC — As I said, meaning is a label for a whole range of phenomena. Over the time that I wrote my manuscript, that perspective had different labels. I started calling it "purpose," then I called it "consciousness and culture," and finally I settled on "meaning." It's a very important term in cognitive science. People talk about the hermeneutic dimension of cognitive science. Social Scientists like Habermas or Giddens talk a lot about meaning.

Now, the key to this whole domain that I labeled with "meaning" is the ability of human consciousness to form mental images. That to me is the key. If I am able to form a mental image of something that either does not exist, or doesn't exist yet, or is not here at the moment, I can say: this is what I want, and I am going to work toward it. So, the whole idea of purpose is based crucially on our ability to form mental images: strategies, plan, all that.

Pedaço 2
Moreover, I can hold in my mind two or more alternative mental images, and I can say: “There are two different possibilities, and I prefer one over the other.” This is where values come in. They are based on the ability to make a choice between different mental images. And as soon as you have values, you'll have conflict. Indeed, you cannot deal with social systems in a significant way if you don't deal with conflicts. Power, then, is the way to resolve conflicts. It's not necessarily power in terms of domination or force. It can also be power in terms of incentives or persuasion or charisma. All these are forms of power. Power is a way of resolving conflicts. In any community, there will necessarily be conflicts, and the community as a whole will encounter situations in which it will have to decide to do either one thing or another. Since time immemorial, communities have given power to certain individuals, based on certain qualifications, to make these decisions for the community. In more complex communities and societies, this power becomes institutionalized, so that you have institutional structures that are very often hierarchies of power. For instance, in a company the organizational hierarchy is a hierarchy of power with certain rules of behavior — who reports to whom, who is responsible for what decision, and so on. This structure is formed not so much because people like power (although this is also true), but because it is an effective way of dividing tasks and labor, so that the company as a whole can act in an effective way.

Exibições: 143

Respostas a este tópico

Estes pedaços podem deixar comigo!
Pedaço 1 tradução
FP - Como você estabelece a conexão entre significado e poder? Como é que isso se conecta atualmente?

CF - Como eu disse, significado é um rótulo para um amplo conjunto de fenômenos. Durante o tempo em que escrevi o meu manuscrito, esta perspectiva foi assumindo diferentes rótulos. Comecei a chamá-la "propósito", depois eu chamei-lhe de "a consciência e a cultura", e finalmente eu cheguei em "sentido". É um termo muito importante na ciência cognitiva. As pessoas falam sobre a dimensão hermenêutica da ciência cognitiva. Cientistas sociais como Giddens ou Habermas falam muito sobre o significado.

Agora, a chave de todo este domínio que rotulei de "sentido" é a capacidade da consciência humana de formar imagens mentais. Isso para mim é a chave. Se eu sou capaz de formar uma imagem mental de algo que ou não existe, ou ainda não existe, ou não está aqui neste momento, posso dizer: isto é o que eu quero, e vou trabalhar nessa direção . Portanto, toda a idéia de finalidade baseia-se fundamentalmente na nossa capacidade de formar imagens mentais: estratégias, planos, tudo isso.

Pedaço 2 tradução
Além disso, posso manter em minha mente duas ou mais imagens mentais alternativas, e posso dizer: "Há duas possibilidades diferentes, e eu prefiro uma à outra." Aí é onde os valores entram. Eles são baseados na capacidade de fazer uma escolha entre diferentes imagens mentais. E, tão logo você tenha valores, você terá conflitos. Na verdade, você não pode lidar com sistemas sociais de forma significativa se você não lidar com conflitos. Poder, então, é a maneira de resolver conflitos. Não é necessariamente o poder em termos de dominação ou força.

Também pode ser poder em termos de incentivos ou persuasão ou carisma. Todas estas são formas de poder. O poder é uma forma de resolver conflitos.

Em qualquer comunidade, haverá, necessariamente, conflitos, e a comunidade como um todo vai encontrar situações em que terá de decidir entre fazer uma coisa ou outra.

Desde tempos imemoriais, as comunidades tem dado o poder a certos indivíduos, com base em certas qualificações, para tomar essas decisões pela comunidade. Nas comunidades e sociedades mais complexas, este poder se torna institucionalizado, para que você tenha as estruturas institucionais que são, muito frequentemente, hierarquias de poder.
Por exemplo, em uma empresa, a hierarquia organizacional é uma hierarquia de poder com certas regras de comportamento - quem reporta a quem, quem é responsável por qual decisão, e assim por diante. Esta estrutura é formada não tanto porque as pessoas gostam de poder (embora isto também seja verdade), mas também porque é uma maneira eficaz de dividir tarefas e trabalho, de modo que a empresa como um todo pode actuar de forma eficaz.

RSS

© 2021   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço