Escola de Redes

ATENÇÃO: NÃO É PARA DISCUTIR E SIM PARA TRADUZIR. MENCIONE O PEDAÇO (OU OS PEDAÇOS) QUE VOCÊ TRADUZIU E PUBLIQUE A TRADUÇÃO NO CAMPO DE COMENTÁRIOS.

Pedaço 1
FP — I would like you to explain now what you think of the state of the social networks theory and how it fits within this greater framework

FC — I must tell that my knowledge there is very limited. I am still looking for theories and theoretical frameworks that I can use to elaborate these ideas on networks, and I have not found much. Castells is one of the big exceptions. Then there is a sociologist in England, at Lancaster University, John Urry, who has written a book called "Global Complexity." He analyzes networks, and he also has a critique of Castells that is very interesting. There are also some French sociologists who have developed a theory they call "actor-network theory," which I find very confusing and full of misperceptions. So, all in all, I have not found much in terms of effective network theories.

FP — It seems easier to find a methodology of how to map a network than any serious theory to understand what's at stake. Luhmann seems to be much closer to giving a theoretical approach. One last thing: how do you connect all this with your social agenda today?

Pedaço 2
FC — This is very simple, although it emerged for me through many years. The core of my social agenda is sustainability. I work as an environmental activist and educator, and my key aim is to help build a sustainable society. When you do that, you first have to really understand the concept of sustainability. I define an ecologically sustainable society as a society that is designed in such a way that its ways of life, businesses, economy, physical structures, technologies and social institutions do not interfere with nature's inherent ability to sustain life. The outstanding characteristic of the biosphere is that it has sustained life for over three billion years. And we are now seriously interfering with these processes that nature has evolved to sustain life.

What we need to do is first to become ecologically literate, to understand the principles of organization that ecosystems have evolved to sustain life, and then we have to redesign our technologies and social institutions accordingly. When you try to understand how ecosystems organize themselves, this leads you very soon to understanding how all living systems organize themselves. So, the exploration of sustainability becomes inextricably linked to the question of the nature of life, the nature of living systems.

FIM

Exibições: 114

Respostas a este tópico

TRADUÇÃO DE LONISE:

FP - Por favor explique o que você pensa sobre o estatso da teoria das redes sociais e como ela "encaixa"dentro do framework maior

FC - Preciso dizer q meu conhecimento sobre o assunto é muito limitado. Eu ainda estou procurando teorias e frameworks teóricos que eu possa usar para elaborar estas idéias nas redes, e não encontrei muito. Castells é uma das grandes exceções. Têm também um sociologista na Inglaterra, na Universidade de Lancaster, John Urry, que escreveu um livro chamado "Complexidade Global". Ele analisa redes, e ele também tem uma crítica interessante do Castells. Existem também alguns sociologistas franceses que desenvolveram uma teoria que chamam de "rede-ator", que eu considero muito confusa e cheia de percepções errôneas. Portanto, no final de tudo, não encontrei muito de teorias efetivas de redes.

FP - Parece mais fácil encontrar uma metodologia de como mapear uma rede do que qualquer teoria séria para entende-la. Luhmann parece estar muito mais perto de dar um approach teórico. Uma última coisa: como você conecta tudo isto com sua agenda social hoje ?

FC - Isto é muito simples, embora tenha aparecido para mim através de muitos anos. O âmago da minha agenda social é sustentabilidade. eu trabalho como um ativista ambiental e educador, e meu objetivo principal é ajudar a construir uma sociedade sustentável. Quando você faz isto, você precisa inicialmente entender realmente o conceito de sustentabilidade. Eu defino uma sociedade ecologicamente sustentavel como uma sociedade que é designed (planejada) de tal forma que sua forma de vida, negócios, economia, estruturas físicas, tecnologias e instituições socias não interfiram com a capacidade inerente da natureza de manter a vida. A maravilhosa característica da biosfera é que sustentou a vida por mais de 3 bilhões de anos. E nós estamos agora interferindo seriamente nestes processos que a natureza evoluiu para sustentar a vida.

O que precisamos fazer é primeiro nos tornamos ecologicamente letrados, para entender os princípios da organização que os ecosistemas evoluiram para sustentar a vida, e depois nós temos q replanejar nossas tecnologias e instituições sociais de acordo. Quando você tenta entender como os ecosistemas se organizam, isto te leva rapidamente a entender como todos os sistemas vivos se organizam. Portanto, a exploração da sustentatbilidade está intrinsicamente "linkada"(ligada) à questão da natureza da vida, a natureza dos sistemas vivos.


FIM

RSS

© 2021   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço