Escola de Redes

As emissoras de televisão poderão utilizar os vídeos postados por usuários no canal da internet

O YouTube lançou um serviço denominado YouTube Direct, que tem o objetivo de incentivar o jornalismo cidadão. Segundo matéria do El País, por meio do novo canal, os editores de emissoras de televisão online ou de conteúdo audiovisual poderão ter acesso facilitado aos vídeos produzidos pelos usuários.


Por enquanto, não há intenção de cobrar pelo serviço. O objetivo, diz o YouTube, é fazer com que o trabalho do internauta seja reconhecido pelas empresas jornalísticas.

O portal considera que em muitas ocasiões, como catástrofes da natureza ou outros tipos de acidentes, os cidadãos que vivem na área atingida conseguem obter as imagens bem antes da chegada dos repórteres. Por essa razão as gravações têm um alto valor testemunhal e podem despertar a atenção dos veículos de comunicação.

Havendo interesse de um meio de comunicação por determinado vídeo, a empresa deve se conectar com o autor do material para pedir autorização e mais informações sobre o material. O YouTube entende que a abertura desta mídia amplia a visibilidade dos vídeos de caráter informativo, que antes acabavam escondidos na avalanche de arquivos que o site recebe - a cada minuto são inseridos 20 horas de vídeos.


IDG Now!, 17/11/09

Confira o vídeo (em inglês):

Exibições: 68

Comentar

Você precisa ser um membro de Escola de Redes para adicionar comentários!

Entrar em Escola de Redes

Comentário de Wellington Bernardino Parreiras em 18 fevereiro 2010 às 8:09
Cláudia Amaral, bom dia! É evidente que não é de interesse do Youtube o Ato de Educar, mas nele é possível que haja oportunidades para dentre das vertentes de interesses individuais, uma participação consciente, autônoma e crítica de pessoas engajadas à Educação. há uma diferença entre globalização e Educação, sabemos que ambas podem atingir a todos, no entanto a intencionalidade deve ser discernida para que não haja uma massificação alienadora.

É uma proposta interessante, principalmente se no processo de utilização da mesma haja também uma formação de sujeitos cidadãos de fatos e não os fantoches das mídias abertas de nosso Brasil.

Acredito que em pleno século XXI, às margens do terceiro milênio, a condição humana de inteligibilidade seja capaz de agir conscientemente por meio de princípios morais e éticos de forma responsável, não é concebível que ainda possamos agir ingenuamente ou enquanto indivíduo ignorante de seu potencial cognitivo, salvo casos em que alguns grupos foram erroneamente desenvolvidos por causa de ideologias opressoras.


Pelo menos há nessa possibilidade a participação colaborativa de todos, tenho certeza que teremos informações ricas em criticidade e autonomia.

Por mais ignorantes que sejam um mequetrefe ou uma andarilho que a sociedade repulsa, ambos são sujeitos em condições de ditarem valores dignos para com a sua execrável existência, há muitos saberes suplantados pelo saber ciêntifico, político e artístico e há um senso comum na arena acadêmica de que a massa não dá conta de ressignificar sua própria realidade, engana-se a intelectualidade, pois às margens da vida fictícia que nos alienamos, há uma existência integralizante e potenciadora que paulatinamente valora os escritos da ancestralidade omitida pelos heróis ao passo que mesmo em separados, tecem suas Histórias significativamente.

Abraços fraternos!
Comentário de Cláudia Amaral em 18 fevereiro 2010 às 7:32
Olá! Fico feliz que o post tenha sido útil para vcs!
Wellignton, não creio que o You Tube tenha em seus planos formar ninguém... E sinceramente, não creio que seja seu papel.
Wilsonb, o Now Public é mesmo muito legal, mas pelo que pude ver, ele é bem britânico... Não se trata apenas do idioma, mas dos assuntos de interesse. Me parece que o You Tube é mais global.
Obrigada pelos comentários e até a próxima!
Comentário de Wellington Bernardino Parreiras em 17 fevereiro 2010 às 19:08
Wilson Tognetti, boa noite!

Sim o site que sociabilizou é bom e seu acesso é leve, no entanto requer dos internautas vasto conhecimento do Inglês, vejo nesse fator uma política não tão universalizante como a do Youtube.

Obrigado pela dica.

Abraços fraternos
Comentário de Wilson Tognetti em 17 fevereiro 2010 às 18:57
O jornalismo cidadão... via posts de videos de celular .... ou câmeras pessoais é uma proposta bem além do que o youtube tem como principais funções...
Um exemplo interessante, de tentativa de "jornalismo' ligado à comunidade, e com essa proposta bem direcionada e específica, encontramos em :
http://www.nowpublic.com/
Comentário de Wellington Bernardino Parreiras em 15 fevereiro 2010 às 20:35
Cláudia Amaral, boa noite!

É uma proposta interessante, principalmente se no processo de utilização da mesma haja também uma formação de sujeitos cidadãos de fatos e não os fantoches das mídias abertas de nosso Brasil. Pelo menos há nessa possibilidade a participação colaborativa de todos, tenho certeza que teremos informações ricas em criticidade e autonomia.

Abraços fraternos,

Wellington Bernardino

© 2019   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço