Escola de Redes

            Tecnologia não possui caráter, não possui moral e nem sofre de dor na consciência. Tecnologia é sempre aquilo que os homens fazem dela. Assim como posso usar a faca para preparar um peixe, a mesma peixeira pode servir para cometer um crime. Em sua existência, a tecnologia não possui inclinações que expliquem seus usos fora das intenções que os humanos a dão. E não é diferente em relação à tecnologia digital, seus usos e riscos.

            Agora mesmo no Japão mais de 95% dos celulares da população estão no silencioso, mas não desligados. E porque isso?  Por que o paradigma de existir, que tem um caráter essencialmente social e em rede, sempre fez parte daquilo que somos.  Continuamos sendo seres sociais, e isso está apenas sendo exacerbado ou levado a um outro patamar de abrangência, que exige um novo modelo para interpretar o modo com as pessoas interagem, e por fim existam no mundo. É evidente que reunir-se em torno de um grupo na praça do bairro ou no grupo do whatsapp são coisas diferentes, pois na praça você está inteiro - corpo e mente, enquanto no outro a vivência da realidade impõe uma limitação e pode ser superficial. Mas o modo como as pessoas fazem uso é que pode significar uma ameaça ou uma oportunidade.

            A experiência que dá prazer, seja ela qual for, vai ter uma certa medida de poder viciante. A pesquisadora em bioquímica, Liping Wei da Universidade de Pequim, depois de mais de 20 anos de pesquisa, conseguiu identificar que há pelo menos mais de 18 caminhos viciantes que se estabelecem pelo reforçamento que há entre as relações das células do sistema nervoso, processo que é semelhante ao processo de aprendizagem, segundo ela. Ora se os estímulos são semelhantes, então há um risco de viciar-se. Mas ninguém questiona se há vício associado ao ato de aprender ou pegar num livro, mas imagina o mundo antes e depois da prensa de tipos móveis de Guttenberg, devia parecer louco e viciante ficar escorado em qualquer lugar lendo livros, mas agora ler livros não causa nenhum frenesi.

            De maneira que se você percebe que seu uso da tecnologia está lhe privando de outras experiências sociais interessantes e gratificantes, e exerce algum poder dominador sobre você, então é preciso reavaliar. Para alguns a atualização de status deveria ser: Se sentindo viciado (carinha de triste). Mas para outros, o bom uso fará da tecnologia apenas uma oportunidade de ir mais além e desfrutar ainda com mais profundidade da vida. Se sentindo feliz! Carinha de riso!

Exibições: 48

Comentar

Você precisa ser um membro de Escola de Redes para adicionar comentários!

Entrar em Escola de Redes

© 2017   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço