Escola de Redes

Há muitos anos pesquisadores como Jurgen Habermas, Anthony Gidens a Hannah Arendt tentavam compreender as funções da esfera pública. O espaço público como um espaço de interação e relacionamento. Uma transcrição da antiga Ágora aonde a voz de alguns se fazia ser ouvida por muitos. Hoje em dia algumas idéias do passado recente foram comprovadas e outras hipóteses foram derrubadas. 
Habermas pregava o domínio da esfera privada pela esfera pública. A esfera pública foi descrita por ele como um espaço de representação entre o estado e a sociedade. E esta esfera, segundo ele, teria uma grande tendência de dominar o privado. Ou seja, o que é alheio ao público. E de fato, isso tudo tem algum sentido. O advento dos movimentos pró democracia participativa são exemplos disto. Uma esfera onde a sociedade tenha voz. E tenha vez. Contudo em um mundo onde 'até a china bebe coca-cola', do capitalismo selvagem excludente ,competitivo e dominador, o público vem sendo invadido pelo privado. E isso não se restringe às privatizações de estatais que passam do domínio público para o privado. Mas vai além do 'controle da liberdade de expressão' notável na China, no Oriente Médio e até mesmo na Venezuela. 
De mesmo lado de Habermas, Anthony Gidens já nos introduzia uma ideia de Democracia semi-direta. Hoje há muitos pesquisadores que aprofundam este tema. Que vão além da participação direta do povo nas escolhas. Como o exemplo brasileiro do Orçamento Participativo, que foi esquecido e deixado de lado. Mas sim, que fala também da trasnparência política, da visibilidade midiática e da accountability, que é uma espécie de prestação de contas públicas aos cidadãos. 
Hannah Arendt igualmente reconhecia a necessidade de liberdade, igualdade e pluralismo político. A diversidade de opiniões. E de posições ideológicas é benéfica e necessária. Isto tudo é notável hoje em dia. Num mundo onde devemos continuar lutando para eliminar diferenças. Habermas, Gidens e Arendt tinham algo em comum. Ambos sonhavam com um mundo melhor. Uma democracia de verdade, com direitos, deveres e liberdade de escolha. Neste sentido devemos seguir lutando para solidificar a conquista da Ágora. Fazendo do Ciberespaço um espaço de acesso a todos. Onde a cibercultura de Pierre Lévy circula livremente pelas comunidades virtuais descritas por Howard Rheingold. Um mundo sem fronteiras e sem regimes totalitários. Mundializado. Globalizado e Universalizado. 
Estamos caminhando nesta direção. Cada vez que um artigo é publicado no wikipedia. Cada vez que um video é postado no YouTube. Cada vez que denunciamos ou testemunhamos qualidades e problemas de produtos e serviços em sites e blogs alternativos. Estamos participando na construção da Nova Ordem Mundial. John Lenon já dizia: 'Imagine'. Me atrevo a dizer: 'Realize'.

Exibições: 142

Comentar

Você precisa ser um membro de Escola de Redes para adicionar comentários!

Entrar em Escola de Redes

© 2019   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço