Escola de Redes

Parceria entre Senac São Paulo, Prefeitura de Catanduva e sociedade civil promove a criação de plano estratégico para o desenvolvimento sustentável local

A realização social das redes, o conhecimento local e a vontade de querer viver no melhor lugar do mundo são elementos que dão a força política para articular apoio dos setores público e privado

Metodologia de educação para o Desenvolvimento
É o mecanismo que cria condições para que pessoas e comunidades potencializem suas habilidades e conhecimentos para uma vida melhor.

Por Jorge Carlos Silveira Duarte*

O Brasil, nos anos 80, foi um dos países que mais cresceram no mundo, mas isto não trouxe necessariamente o desenvolvimento. Só poderemos falar em desenvolvimento do homem, da sociedade e da sua sustentabilidade. A metodologia do Senac São Paulo cria e facilita condições para que isso ocorra.

Este processo inicia-se com estratégias de mobilização. Identificamos lideranças de uma localidade e compartilhamos ferramentas de gestão, em seguida criamos vínculos por meio de fóruns de debates até fomentarmos o trabalho em rede.

Estas redes transformam-se em comunidades de projetos coordenadas por representantes da comunidade.

Na cidade de Catnduva, interior de São Paulo, as organizações estão realizando esses diagnósticos. Primeiro no bairro Pachá, com ações implementadas pela comunidade e apoio da prefeitura. A seguir, será definida a expansão da metodologia no município e de um plano estratégico entre os setores civil, público e privado.

Conhecer para desenvolver

A aplicação da metodologia começa no fazer o levantamento de dados técnicos com os principais indicadores econômicos, sociais e ambientais do município. Na seqüência, se identificam nas micro-regiões as riquezas, os talentos e as oportunidades que ajudarão a fazer do local um lugar melhor.

Esta rede intersetorial, baseada na geração e manutenção de confiança, cria a governança local que promove e sustenta o desenvolvimento.

Dito de outra forma, é o caminho de construção coletiva que leva à realização dos sonhos, do local melhor, do convívio melhor, do bem-estar social.

*Jorge Carlos Silveira Duarte é gestor da área social e coordenador para o desenvolvimento e implementação de metodologias de redes e desenvolvimento local do Senac São Paulo.



Empenho: O trabalho do Pachá é resultado do compromisso em torno de projetos que ajudam a construir o bem-estar comum.



Ação em Rede
A população do Pachá desejava um bairro mais limpo e iluminado. Desta união, o trabalho de transformação virou uma realidade.

Por Heveraldo Galvão* e Maria José Ferreira Barbour**

A Rede Social Catanduva quis saber da população do Pacha o que ele mudaria no bairro e como seria o Pachá de seus sonhos. Essa investigação resultou na Primeira Semana de Mobilização e Limpeza do Bairro Pachá, de 24 a 29 de julho.

A Prefeitura e Catanduva foi parceira, fazendo a limpeza mais pesada do bairro, pintura do meio-fio, combate ao mosquito transmissor da dengue e o reparo da iluminação. O setor privado local também colaborou.

Com esta organização e estímulo, a população fez a sua parte ativamente. Árvores foram podadas, ruas foram limpas e o lixo foi reciclado em uma gincana da limpeza.

O propósito foi articular e realizar o trabalho em conjunto entre a Rede Social Catanduva, prefeitura, moradores e empresa através da integração e cooperação, ampliando o diálogo em rede. Um exemplo de construção de cidadania individual e coletiva, que é um dos desafios permanentes da metodologia social do Senac São Paulo.

**Maria José é a gerente da Unidade Senac de Catanduva.
*Heveraldo Galvão é monitor de Educação Profissional do Senac Catanduva.




Mobilização: Redes Sociais buscam realizar sonhos ou atingir resultados que de forma isolada não seriam possíveis.



Mãos à obra
Rede Social Catanduva

Criada em maio de 2004, a Rede Social Catanduva reúne e organiza pessoas e instituições que criam compromissos em torno de projetos. O trabalho foi organizado por comissões e já amplia os frutos sociais na cidade.

Comissão de Desenvolvimento Local

Em um bairro da periferia, isolado por um córrego, com água não potável, alunos e docentes do curso de Técnico Ambiental do Senac estão desenvolvendo projetos ambientais como canalização do esgoto e educação ambiental.

Comissão voluntariado

Criou a AVOHPA (Associação dos Voluntários do Hospital Padre Albino), que promove visitas semanais, arrecadação de doações e suporte emocional aos pacientes. São ações simples, mas que melhoram, em muito, o bem-estar do paciente internado.

Força conjunta

O apoio da Prefeitura de Catanduva foi fundamental para o sucesso do trabalho desenvolvido pela rede Social. O prefeito Afonso Macchione Neto compartilha seu entusiasmo com a parceria.

Como avalia esta parceria, prefeito?
Macchione ? Todo este processo ainda e novo para a cidad, estamos aprendendo juntos como articular e fortalecer a participação da sociedade civil nas políticas e vice-versa. Estamos descobrindo que as parcerias fortalecem as políticas públicas, que se tornem mais assertivas.

Por que a aposta da Prefeitura na metodologia do Senac?
Macchione ? Percebemos que se a população não se sentir motivada a participar, não adianta o poder público querer. A metodologia do Senac aposta na mobilização e motivação da população e acredita também que o desenvolvimento de uma comunidade depende principalmente dela mesma. Nós compartilhamos deste pensamento.

Já há um novo foco comunitário para a aplicação da metodologia?
Macchione ? O bairro Flamingo fora cogitado como o próximo a ser contemplado com a metodologia. Também é um local de baixa renda e que tem o presidente da Associação de Bairro integrado à Rede Social e à Comissão de Desenvolvimento Local. A Prefeitura será parceira na ação, como foi e está sendo no Pachá.

Exibições: 83

Comentar

Você precisa ser um membro de Escola de Redes para adicionar comentários!

Entrar em Escola de Redes

© 2019   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço