Escola de Redes

 

Irresistível fazer balanços no final de ano. Acho que está relacionado a fim de ciclos e no ocidente temos este ciclo anual de 360 dias, é uma demarcação convencional, mas oferece muitos dias para que eu olhe como ando vivendo. Aproveito. Para mim é sempre uma mirada para a trajetória percorrida e inspiração para os caminhos que emergem.

Quando olho o que estou fazendo no campo das redes sociais (é uma atividade profissional para mim) vejo as ressonâncias da minha interação na Escola no que tenho feito. As preciosas provocações de Augusto, alargando nossos horizontes; a maravilhosa Biblioteca e suas comunidades de aprendizagem; o generoso fluxo de ideias, conhecimentos e inciativas dos enredados; as ricas conversações, a reverberação da CIRS2010. Vejo os rastros de tudo isto no que tenho realizado.

Desde 2009 e durante 2010 testei e comprovei o princípio "a fenomenologia decorre da topologia da conexão" observando a cooperação e a produção conjunta. Tenho um post sobre isto Pensando sobre cooperação. A partir do que aprendi em relação as topologias: 

1 - criei uma relação entre  topologias e padrões de comunicação:

Os padrões de comunicação são importantes no meu trabalho pois o campo de intervenção  como netweaver  é a comunicação e a produção conjunta. 

Estas três topologias correspondem a três padrões comunicacionais:  um para todos,  comunicação mediada por terceiro (s),  entre todos  ou comunicação distribuída.

2 - criei uma configuração para os móveis da salas onde faço as oficinas, cursos, conversações (se houver espaço). Toda minha metodologia de trabalho é muito plástica, vejo o que tenho, o que o meu contrato demanda,  e monto o que vou fazer com as pessoas com as quais estou trabalho.  Meu método é modelagem.

Organizo um círculo com cadeiras, sem mesas: é o lugar onde fazemos conversações, praticamos círculos colaborativos, desenvolvemos ações  em que estamos necessariamente todos juntos. Organizo as mesas de forma que possam ser formados pequenos grupos de três a quatro pessoas  mas não estamos fazendo trabalho em grupo. É um clusterzinho. Durante as atividades passamos de um lugar para o outro, conforme a dinâmica da produção seja mais individual ou mais coletiva.

Acho que esta organização do móveis retrata melhor a dinâmica de interação em rede que a clássica disposição em círculo: em alguns momentos estamos todos juntos, ou pelo meno uma grande parte dos atuantes estão sincronizados, e em outros estamos com nossos amigos, em nosso pequenos grupos, produzindo, investigando, pegando carona, simplesmente nos relacionando. Esta forma de organizar os móveis surgiu ocasionalmente durante  os cursos que ofereci em 2010 para a DATER/MDA, mas quando olhei para a sala e vi o desenho (a topologia) percebi que tinha encontrado uma coisa bem legal e incorporei à minha didática.

A configuração ajuda também a desmontar a ideia "participativa" de que temos que fazer as coisas todos juntos, da mesma forma, seguindo alguém. As proposições de organizar sem lideres fixos, de liderança circulante, da existência de inúmeras formas para resolver o mesmo problema ou desafio precisam ser vivenciadas na prática e com o corpo. Não são aprendizados apenas intelectuais: são afetivos, vivênciais.

Ler não é suficiente, mas é fundamental: se eu não conhecesse sobre topologias não teria percebido  a riqueza da configuração dos móveis. Se não conhecesse sobre padrões e contexto não teria identificado a topologia. Na aprendizagem há movimento permanente entre praticar, refletir, conhecer, praticar  (é uma circularidade evolutiva, uma espiral).

O item dinâmicas de redes sociais, um conteúdo que  desenvolvo nos cursos, também sofreu mudanças a partir das interações na ER. Com a leitura de O poder das Conexões (Cristakis & Fowler), Redes Sociais na Internet  (Raquel Recuero); Wikinomics (Tapscott & Williams), Quem está no comando?  (Brafman & Beckstrom), A lógica da abundância (Juan Urritia) e textos de Augusto de Franco, enriqueci minha abordagem, criando uma visão que inclui as dinâmicas sistêmicas e as dinâmicas de interação (aqui um contribuição da psicologia social). Com exceção dos autores de psicologia social, a maioria  conheci na biblioteca da Escola. 

Considero que são fenômenos de tipo diferente: as dinâmicas sistêmicas estão relacionadas ao padrão rede, são de escala, são de convergência e as dinâmicas de interação estão no tempo/espaço do aqui e agora, situacional, em que as pessoas e suas singularidades fazem diferença, imprimem um pulso aos acontecimentos. É onde surgem as emergências no afetação mútua das interações pessoais.

Tudo isto  está em elaboração, minha curiosidade é incluir na visão sobre redes sociais a questão das novas subjetividades relacionadas ao ciberespaço, cibercultura, metrópoles comunicacionais. Comecei a estudar sobre isto com Massimo Canevacci em 2010 e vou continuar em 2011. Acredito que mudará muito o que penso em relação as dinâmicas de interação, campo em que minha abordagem atual deriva da psicologia social, principalmente Pichon-Rivière.

 

 

 

 

Em relação as dinâmicas sistêmicas e à ciência de redes  tenho utilizado o vídeo O poder dos 6 graus e o da apresentação do Augusto no TED SP em novembro de 2009. 

No e-learning (meus cursos têm sido semipresenciais, pois normalmente ensino as pessoas a utilizarem alguma plataforma web de redes sociais) frequentemente utilizo o texto  Cada um no seu quadrado, do Augusto que dá origem a conversações muito ricas.

Alguns dos ppts que utilizo estão em http://tinyurl.com/2394kd4 ou no Scrib em http://www.scribd.com/documents.

Estas são algumas coisas que queria compartilhar  com vcs e agradecer a todos pelas aprendizagens oportunizadas.

 

Feliz 2011!

Exibições: 556

Comentar

Você precisa ser um membro de Escola de Redes para adicionar comentários!

Entrar em Escola de Redes

Comentário de João Paulo Brandão Barboza em 29 dezembro 2010 às 18:19

 

Oi Viviane,

 

Antes de concluir 2010, sou grato por receber esse resumo de aprendizagem anual. Somou para meu aprendizado ainda de 2010. Aproveito para reforçar os votos de Luz, Paz e Amor a todos nós em todos anos, dias e ofertar um vídeo:

 

 

Aloha,

 

J.P

 

Comentário de Vivianne Amaral em 28 dezembro 2010 às 13:35

Pois é, a vida social virtual existe mesmo :-)

abraços

Comentário de Angela Regina Pilon Vivarelli em 28 dezembro 2010 às 6:15

Oi Viviane!

Gostei muito do que compartilhou. É curioso...Acho que em nosso encontro pessoal em 2009 (Ecoformação) conheci menos de você do que aqui...Olha só...

Beijos e bom 2011.

Comentário de Augusto de Franco em 27 dezembro 2010 às 17:40
Gostei também, Vivi. Abraços.
Comentário de Luiz de Campos Jr em 26 dezembro 2010 às 14:13

 

que legal vivianne, um balanço colaborativo! :)

abs e um ótimo ano para vc também.

 

© 2020   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço