Escola de Redes

O futuro da busca em questão no SES 2009

Painel de destaque do último dia foi de Charlene Li, autora do best seller Groundswell, que tratou sobre o encontro da busca com as mídias sociais

Alfredo Reikdal*
Meio & Mensagem Online, 14/08/2009

O último dia do Search Engine Strategies, que acontece em San Jose, na Califórnia, contou com a participação de Charlene Li, autora do best seller Groundswell, que foi a responsável pelo principal painel do dia - "Como se preparar para o futuro da busca". O foco de sua apresentação foi a intersecção entre o search e social media e as conseqüências decorrentes desse encontro.

Ela começou comparando o "search" em 2001, quando tínhamos apenas links de texto, com o que temos agora, com fotos, vídeos e localização em mapas, permitindo uma experiência cada vez mais rica para o usuário - somando-se isso a velocidade exponencial das inovações e a proliferação das redes sociais.

Em um cenário em que as redes sociais são também objeto de resposta do Google e outras ferramentas, é imprescindível repensar a forma como vemos a busca, e passa a ser necessário focar nas pessoas e não mais apenas nas palavras-chave.

Para Charlene Li, no futuro as redes sociais serão "como o ar": algo que não vemos mas que está em toda parte. Segundo ela, vai ser estranho olhar para trás e pensar que um dia foi necessário nos logarmos no Facebook ou no Twitter para compartilhar conteúdo ou interagir com nossa rede social: este futuro aponta para uma integração quase invisível entre o mundo virtual e o real.

O uso das redes sociais estará presente quando estivermos comprando, viajando e fazendo "search". Os reviews farão parte destas respostar através de filtros que você colocará sobre as pessoas que você conhece ou respeita, fazendo com que o seu resultado de busca seja cada vez mais influenciado pela sua rede de relacionamento.

Estamos falando de algo que as ferramentas de busca não trazem atualmente, que é o significado de relevância dentro das redes sociais, que pode ser traduzida por engagement, palavra esta, imagino, que seja uma das mais repetidas em reuniões de marketing.

Charlene apresentou ainda o "engagement pyramid" e algumas dicas de como usar cada um dos degraus dessa pirâmide neste novo cenário, mas o que fica é o eco do mantra do marketing nos dias de hoje: "Foco nas pessoas" - crie relacionamentos e, quando estabelecer estes relacionamentos, foque em mantê-los e não nas ferramentas que são apenas "enablers" neste processo. Quer dizer, não gaste uma fortuna desenvolvendo sua rede social ou uma ferramenta, mas saiba tirar proveito das redes existentes entendendo o papel que elas exercem na vida das pessoas e como as pessoas se relacionam através delas.

O resultado disso é um grande volume de aprendizado, onde as pessoas serão agrupadas de várias formas, através de seu perfil demográfico, psicográfico, geográfico, "behavioral" e, por que não, "social-gráfico"?

A apresentação de Charlene Li compensou a fraca palestra do dia anterior realizada por Nicholas Fox, Product Management Director, AdWords - Google, deixando uma série de lições de casa para todo mundo.

*Alfredo Reikdal é diretor de plataformas digitais da NBS

Leia Também
- Como ficam as redes sociais no mix de marketing?
- Dicas simples que não são utilizadas

Exibições: 56

Comentar

Você precisa ser um membro de Escola de Redes para adicionar comentários!

Entrar em Escola de Redes

© 2020   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço