Escola de Redes

   

    Os brasileiros reclamam das diversas injustiças no país mas não sabem exatamente o que fazer. Faremos aqui algumas sugestões de exigências dentro do nosso plano de uma Democracia Participativa Direta:

1) Nossos políticos, embora sejam os melhor remunerados, são os piores do planeta. Porque é assim? Na verdade, governar ou legislar não são tarefas fáceis... Exigem talento, inteligência, força de vontade, idéias e preparo. Analisem agora: Só se ingressa no poder Judiciário por concurso público. Isto já filtra os melhor preparados... Entretanto, nos poderes Executivo e Legislativo, basta receber votos!! Ora bolas, Uma coisa que PRECISA ser exigida é uma prova ou concurso que pré-habilitasse alguém a esse Poderes. Não que lhe garantisse depois qualquer cargo, ele ainda teria de obter votos, mas sim que nos garantisse que o indivíduo tenha domínio dos mínimos pré-requisitos intelectuais para uma investidura na área pública. Outra coisa importante a exigir-se é uma incursão moral pelos arredores da região da habitação do futuro candidato – aos moldes do que é feito ao se entrar nas forças policiais – Saberíamos assim se o indivíduo tem ou não boa índole.

2) Os críticos da Democracia Participativa Direta apontam que é muito difícil reunir pessoas de uma dada comunidade numa assembleia para deliberar democraticamente certas decisões importantes na administração da cidade. Concordamos com esta critica. Ela é pertinente. Essas decisões devem recair nas mãos e na inteligência do gerente público, o sujeito escolhido pelo POVO e que assume o poder EXECUTIVO. Certas decisões demandam urgência e precisam de UMA cabeça só para dar certo. Que o Executivo permaneça como é hoje... Nossa proposta envolve tão somente o Legislativo. Ora fazer leis é importante MAS não tem a mesma URGÊNCIA das decisões do Executivo. Simplesmente pondo o poder Legislativo nas mãos do POVO nos permitirá economizar mais de um trilhão de Reais ao ano. Além dos ganhos com a transparência.

3) A quem devemos requisitar a implantação da Democracia Participativa Direta? Aos outros poderes, o Executivo e ao Judiciário. Juntos, dois poderes PODEM corrigir o terceiro. A idéia aqui é prescindir de representantes e deliberar conforme a vontade de milhares de outros brasileiros espalhados pelo Brasil e até pelo mundo afora, pela rede, com tele-presença, só quem souber o que está fazendo irá naturalmente participar. Há milhares de brasileiros inteligentes, honestos e experientes capazes de propor boas leis para o país por um custo muitíssimo mais o barato do que sai hoje.

4) Minha sugestão principal é que se comece HOJE a implantar um CONGRESSO virtual. Um espaço de rede experimental onde qualquer brasileiro possa se cadastrar, propor leis e participar das pautas virtuais. Uma experimentação que por hora, por um tempo, ficará paralela ao que existe hoje MAS que se projeta como a solução definitiva para os próximos anos. Precisamos de gente de informática boa para o site. De pessoas com experiência no trâmite das leis do congresso. De pessoas que proponham princípios e regras gerais de comportamento padrão, de técnicas de apresentação de sugestões, de apresentação de contrapontos e criticas e etc. Precisamos COMEÇAR e ir aprimorando no Vôo... O que acham?

Video da idéia=>

http://www.youtube.com/watch?v=Bt1rFioi_5Y&feature=youtu.be

Petição pública=>

http://www.avaaz.org/po/petition/Implantacao_da_DEMOCRACIA_PARTICIPATIVA_DIRETA/\
?copy

Abraço

Exibições: 359

Comentar

Você precisa ser um membro de Escola de Redes para adicionar comentários!

Entrar em Escola de Redes

Comentário de Manolo Mauriat em 15 agosto 2013 às 12:15

O  texto referido é ótimo! Muito bem embasado, tem novidades conceituais criativas, neologismos... É realmente genial! Serve de base e fundamentação para um projeto grandioso de reinvenção da democracia. O problema é que projeto assim tão grandioso pode levar ANOS até render frutos. Temos de trabalhar todos  juntos.  Digo isso porque gênios há poucos e se o produto de seus trabalhos não for simplificado para gente "comum" corre-se o risco de trabalhar para a posteridade e nunca se ver realizar nossas expectativas. Há vários exemplos de tecnologias criadas por gênios que estão até hoje nas gavetas dos escritórios de patentes sem virarem realidade prática.

        Uma vez fornecida a  base, precisamos  desenvolver  os mecanismos práticos que possibilitem o exercício pleno e prático de  uma democracia direta. Sabemos que há três poderes constituídos que trabalham paralelamente, o Executivo, o Legislativo e o Judiciário. Não vou entrar em pormenores de seus escopos porque é assunto bem dominado. Quero sugerir que a reinvenção da democracia COMECE pelo poder legislativo PORQUE fazer leis não tem a mesma urgência que tomar certas decisões cruciais do Executivo nem de julgar casos do Judiciário. No caso brasileiro, nosso legislativo está repleto de canalhas que se auto-locupletam as custas de todos, assim, sugiro que qualquer formulação de prática democraticatizante se inicie por este Poder.

      Precisamos assim de um tipo de congresso virtual... Um site governamental  ao molde de salas de bate-papo (como a deste site aqui) onde as pessoas possam se encontrar virtualmente e desenvolver propostas de leis. Podem haver vários debates simultâneos em salas diferentes com pessoas diferentes.  Essas pessoas estarão identificadas certificadamente , primeiro para impedir acesso a estrangeiros e segundo para que se saiba exatamente com quem estamos lidando. Creio que os primeiros a se interessar por participar deste congresso virtual serão alguns funcionários de carreira do poder legislativo... Resta alguma dúvida de que sejam eles quem -de fato- estejam por trás de algumas idéias de leis defendidas por muitos parlamentares? Quem os senhores acham que toma conta da agenda do deputado Titririca? O referido palhaço é um exemplo óbvio.. Há muitos outros parlamentares supostamente "competentes" que tem suas agendas legislativas atreladas a certos funcionários... Duvidam? 

   Primeiramente, que façamos um tipo de manual de procedimento interpessoal básico. São várias as sugestões.. Algumas são óbvias; quanto ao nível da linguagem, o cuidado com as palavras e com abordagens excessivamente emocionais. Temos de ter muito respeito pelo outro e sua réplicas porque quem nos faz algum tipo de oposição, muitas vezes, nos revela o que não percebemos na proposta original. Também devemos ter cuidado na hora de fazermos nossa oposição e que as façamos sempre construtivas. Isso prece até óbvio demais para quem tem vida acadêmica,  MAS não esqueçam que este congresso virtual QUER abarcar todo tipo de brasileiro...  Uma sugestão pertinente é que adotemos CORES diferentes nas fontes (letras)  das réplicas feitas às propostas originais... Exemplo: Alguém inicia uma proposta de lei ou idéia atribuindo um nome e um numero, digamos 00 ou 01 e lança para debate com a fonte do texto em cor preta. Quem apoia totalmente a idéia ou proposta faz uma réplica em acréscimo na cor VERDE. Quem Se opõe veementemente a proposta e tem fortes argumentos contrários e inconciliáveis escreve em vermelho e quem aprovar a idéia MAS tem ressalvas que escreva em amarelo. Tal procedimento facilita  a avaliação da evolução da idéia porque na medida em que a idéia for evoluindo se poderá acompanhar as mudanças de cores das réplicas até o ponto onde só houver postagens  verdes ou amarelas e dai se leva a votação geral...  Eu sugiro assim, que ajamos dessa forma JÀ e testemos este procedimento neste site.. O que acham?

Vou parar por aqui,

Grato pela atenção

Comentário de Augusto de Franco em 15 julho 2013 às 6:47

Pois é, Manolo. Dê uma olhada no texto A TERCEIRA INVENÇÃO DA DEMOCRACIA que está no grupo de mesmo nome.

© 2020   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço