Escola de Redes

http://furabolha.blogspot.com/2011/07/1-ato-generosidade-e-liberdade.html   quinta-feira, 14 de julho de 2011 1º Ato: A Generosidade e a Liberdade @generosidade-liberdade Entrevista em quatro atos…

http://furabolha.blogspot.com/2011/07/1-ato-generosidade-e-liberdad...

 

quinta-feira, 14 de julho de 2011

1º Ato: A Generosidade e a Liberdade

Entrevista em quatro atos com Angela Pilon Vivarelli, que um dia quis estudarEcologia, mas decidiu-se pela Psicologia e agora mistura tudo com  Sabedoria.

Como está a sua caminhada para chegar a uma síntese entre a psicologia, ecologia, sociedade, ética e espiritualidade? (Citou a respeito em e-mail ref. seu trabalho)
Acho que o caminho está se fazendo no caminhar, nele percebo o quanto me distanciei de uma simplicidade que preciso retomar e chego a achar engraçado precisar “buscar” a síntese de coisas tão obviamente ligadas.

E como relaciona tudo?
Vejo a vida como um labirinto repleto de salas que representam as possibilidades humanas aguardando nossas escolhas. Labirintos tem becos sem saída e salas nada agradáveis, mas tudo são tentativas validas de busca quando procurarmos agir de forma sincera. Acho que o “fio de Ariadne” aparece quando percebo que posso parar, refletir e escolher de maneira consciente. 
Aproveitando as questões acima, como conceitua generosidade?
Certamente a generosidade exige um movimento interno bem maior que a justiça e isso me fascina. Ela implica em um esquecimento de si, em uma doação, não por dever ou por direito, mas por sentir a necessidade do outro. Em um livro chamado: “Pequeno Tratado das Grandes Virtudes” (Comte-Sponville), há um capítulo sobre generosidade que fala: “Ser generoso é saber-se livre para agir bem e querer-se assim. O homem generoso não é prisioneiro de seus afetos, nem de si; ao contrário, é senhor de si e, por isso, não tem desculpas nem as procura. À vontade lhe basta. A virtude lhe basta. (...) Ser generoso é ser livre de si, das próprias pequenas covardias, pequenas posses, pequenas cóleras, pequenos ciúmes…”. 
E liberdade? 
A liberdade é um conceito filosófico complexo. Certamente leva em consideração o meu desejo, o que tem sentido para mim e a responsabilidade, que nada mais é do que a resposta que dou ao mundo levando em consideração o outro. 
O que é para você a sua liberdade e a liberdade dos outros?
Essa questão passa a não ser um problema quando a generosidade se alia ao conceito de liberdade não é mesmo? Afinal, queiramos ou não, estamos todos vivendo de forma interligada. 
Você acha que todo ser humano tem o direito de optar por viver do modo que quiser? Por quê?
Sim. Obviamente isso não quer dizer que eu aprove condutas que não levem em consideração o outro, mas que acredito que o ambiente natural do ser humano seja a amorosidade.
Acha que nossa sociedade, atualmente, permite que as duas (liberdade e generosidade) compartilhem da mesma mesa?
Penso nos exemplos diversos de pessoas que mesmo vivendo na nossa sociedade conseguiram trilhar seus próprios caminhos de generosidade e liberdade. Pensar em liberdade e generosidade juntas é pensar em ética e pensar em ética é pensar em convivência. Acho que a sociedade atual prejudica o desenvolvimento pleno do ser humano: não estimula a autonomia e não favorece a cooperação. Somos diferentes, temos percepções diferentes e valores diferentes, a natureza garante a sustentabilidade dentro da diversidade, precisamos achar um caminho que vá nesta direção.
 
O que pensa sobre a opção de viver pelo/em função do outro?

 (Por seus cônjuges, filhos, pais, amigos e outros.)

Não faço julgamentos, acredito que todas as escolhas devam ser respeitadas como caminhos. Acho autoritário, e por isso contra producente para a autonomia, que um só um caminho, geralmente o meu (risos), seja válido.
E qual a real diferença entre viver em função do outro e depender do outro (dependência psicológico-emocional)?
A diferença é uma diferença de grau. A dependência não é necessariamente uma condição negativa afinal, somos todos interdependentes mas, a dependência patológica, a falta de amor próprio e a dificuldade de segurança íntima são reflexos de um desenvolvimento deficiente da autonomia emocional, devendo portanto, ser trabalhados de alguma forma, para que o individuo possa se relacionar de maneira mais positiva.

Quais as diferenças entre individualidade e individualismo relacionados à agregação?Você cita em um de seus artigos:“...do individualismo para a agregação” 
No individualismo você se isola e empobrece, na individualidade você doa sua unicidade e se mantém íntegro.
Quais as causas que considera que mais alimentam a dominação e a submissão?
O medo. Acho que uma dentre as muitas dificuldades dos relacionamentos é elaborar os sofrimentos, às vezes inevitáveis, da convivência. Como nos falta competência emocional e ao mesmo tempo vivemos em uma cultura onde o “possuir” está ligado a uma suposta segurança emocional, passamos a objetificar as pessoas, na ilusão de termos as vantagens de um relacionamento duradouro através da dominação. A submissão vem do medo de não acreditar em si mesmo e da crença que se “formos bonzinhos” vamos conseguir que o outro permaneça sempre ao nosso lado.
“Seja qual for o seu sonho, comece. Ousadia tem genialidade, poder e magia” (Dizem que é de autoria de Goethe). Como interpreta esta frase e como acha que seria o mundo se fosse aplicada por todos no dia a dia?
Sim, é de Goethe. Assim como é dele: “Os homens trazem dentro de si não somente a sua individualidade, mas a humanidade inteira, com todas as suas possibilidades.” A única coisa que bloqueia o crescimento é a paralisia, a morte em vida...Vivamos!
As fotos são das cerejeiras do jardim da  casa de Angela. Foram enviadas pela entrevistada.
Angela Regina Pilon Vivarelli é Psicóloga formada pela PUC-SP, com especialização na área de neurologia pela Escola Paulista de Medicina. Atualmente está cursando pós-graduação na área de Desenvolvimento Moral.

 

Exibições: 204

Comentar

Você precisa ser um membro de Escola de Redes para adicionar comentários!

Entrar em Escola de Redes

Comentário de Angela Regina Pilon Vivarelli em 14 setembro 2011 às 16:18
Obrigada Magda por compartilharmos!
Comentário de magda aparecida bueno maciel em 29 julho 2011 às 7:43
parabéns esta excelente esta materia!!!!!

© 2019   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço