Escola de Redes

Resolvi aceitar o “desafio” do Augusto e preparar e publicar meu Itinerário de Leitura. Muito mais do que um desafio, considero um estimulo e um bom exercício de reflexão.
Na relação que faço abaixo, listo os principais livros, ligados a esta temática das redes sociais, que li nos últimos anos, e que me ajudaram na compreensão desse fenômeno político.
Faço algumas ressalvas antes de passar a relação:
a) Tentarei fazer uma pequena resenha explicando porque em minha opinião tal livro foi importante.
b) Assim, não tenho a mínima pretensão de abordar todo o livro, mas apenas emitir algumas opiniões.
c) Nesta primeira versão, estou publicando aqui no Ning – www.escoladeredes.ning.com e no meu blog pessoal - www.carloslopes1.blogspot.com
d) Como sei que farei alterações, com inclusões e retificações, em próximas versões dessa lista, atualizarei no meu blog e mantenho mensagem aqui.
e) Também não vou colocar em qualquer ordem, pois não tenho (neste momento) o mínimo critério para isso (a ordem abaixo foi a ordem da lembrança)

Vamos a lista:

1) Comunidade e Democracia: A experiência da Itália Moderna - Robert D. Putnam – Editora FGV
Neste livro, de forma clara, direta e objetiva encontrei e entendi o que é Capital Social e sua relação com o desenvolvimento. Putnam fez um estudo que durou 25 anos, comparando o índice de civismo no sul e norte da Itália. Nos distritos do norte, onde o esse índice é bem mais elevado, constatou melhor desempenho das instituições e conseqüente melhor desempenho econômico. Tenho usado os conceitos apreendidos neste livro para mostrar em apresentações a importância do Capital Social na promoção do desenvolvimento.
Claramente, incentivar e fomentar a formação de redes é uma estratégia para investimento em capital social e este é básico para o desenvolvimento local.
Ver resenha pessoal em http://carloslopes1.blogspot.com/2007/01/indicao-de-leitura-comunid...

2) A Democracia na América - Alexis de Tocqueville – Itatiaia Editora
Em 1834 (se não estou enganado), um político e advogado francês, Alexis de Tocqueville, ganha uma bolsa para visitar, conhecer e escrever a respeito da então propalada democracia na América. Visita durante 6 meses os Estados Unidos e relata sua experiência, tendo sempre como referencia a cultura aristocrática ainda reinante na França.
Neste livro pude compreender o poder participação associativa como formador de capital social e de fortalecimento da democracia. Apesar de que Tocqueville não fala em Capital Social (ele fala em governo civil), cita varias situações mostrando como as pessoas se organizavam para resolver seus problemas.
Igualmente gratificante neste livro foi compreender a formação dos Estados Unidos, ou seja, um grupo de colonos que sai da Inglaterra (em parte por discordar dos rumos morais aos quais estavam subordinados) e funda uma colônia no novo mundo. Organizam-se e dividem entre si as atividades de governo em prol do bem comum. Quando o número de colonos vai aumentando, organizam-se em cidades, e estas se juntam em condados, para depois formar os estados (e estes, num dado momentos, formam uma federação para alcançar a independência).
A ligação com a temática das redes é direta: é a qualidade da conexão entre as pessoas que faz a diferença no desenvolvimento (não deve ser por acaso que este país é dos mais desenvolvidos do mundo)

3) O Ponto de Desequilíbrio - Malcolm Gladwel – Editora Rocco
Explica como pequenas modificações podem geram mudanças em todo sistema. Importante para compreender os diversos papeis que as pessoas podem desempenhar na disseminação de idéias (chama de eleitos, que são os comunicadores, experts e vendedores) (o que Augusto tem denominado de hubs, inovadores e netweavers, não com essa necessária equivalência).
Alem disso, no processo de disseminação de idéias, apresenta os conceitos de “o fator de fixação” (a própria mensagem) e o “poder do contexto”.
Outro ponto que me chamou a atenção é a apresentação do “Modelo de Difusão de Idéias” de Everest Rogers, onde classifica 05 grupos de pessoas: Inovadores, primeiros adeptos, maioria inicial, maioria posterior e retardatários.
Importante para se estabelecer estratégias para a animação de redes.
Percebo grande relação com as idéias de David De Ugarte apresentadas no livro “O Poder das redes” (listado abaixo).
Ver resenha pessoal em: http://carloslopes1.blogspot.com/2007/02/o-ponto-de-desequilbrio.html

4) Democracia Cooperativa – John Dewey – Editora PUC RS
Trata-se da tradução que Augusto de Franco fez de alguns texto de John Dewey (o chamado filósofo da América). Importante para se pensar na democracia não enquanto forma de governo, mas como forma de vida, ou seja, sendo a democracia não um fim em si mesma, mas um meio de se viver e pensar.
Alguns textos, justamente por terem sido escritos num frágil momento para o mundo democrático (inicio da segunda guerra mundial), são muito atuais, quando hoje, muitos ditadores e populistas modernos tentam solapar a democracia em nome de uma pseudo maioria.
Incluo esse livro por entender que o ambiente democrático é básico para a existência das redes e formação de capital social.

5) Cartas Rede Social – Augusto de Franco – www.augustodefranco.locaweb.com.br
Esse conjunto de textos é auto-definido pelo autor como uma comunicação pessoal. Com periodicidade quinzenal, nasceram com nome de Carta DLIS, depois passou a ser chamada de Carta Capital Social e agora é Carta Rede Social, e podemos esperar novo nome para o futuro, bem ao estilo de seu autor, dinâmico e aberto a novas idéias (como devem ser as redes sociais e é o próprio conceito de rede).
E não se trata apenas de uma mudança de nome, mas traz consigo a dinâmica no entendimento de diversos conceitos ligados a área social. Quem se dispuser a ler da Carta 1 (17/12/2001) até a Carta 181 (15/01/2009) vai claramente poder evoluir conceitualmente junto com o pensamento do Augusto de Franco e vai poder refletir em temas tais como: capital social, desenvolvimento local, democracia, rede social, pobreza e política (entre outros). Escritas em linguagem clara e acessível, o autor vai dividindo com seu público suas novas descobertas, pensamentos, reflexões, análises e por vezes sua indignação com alguns fatores.
Particularmente só consegui chegar até o momento até a Carta Capital Social 139 (costumo dizer aos amigos e agora para todos que o Augusto tem capacidade diversas vezes maior de escrever do que eu de ler) e até esse número preparei um índice remissivo que pretendo publicar em breve em meu blog pessoal (www.carloslopes1.blogspot.com).
Essa leitura não pode faltar para quem trabalha com rede social

6) Presença - Propósito Humano e o Campo do Futuro - Peter Senge / C Otto Scharmer / Joseph Jaworski / Betty Sue flowers – Editora Cultrix
Sem duvida, um dos melhores livros que li nos últimos 5 anos. Apresenta reflexões inquietantes sobre sustentabilidade e visão/pensamento sistêmico, colocando o ser humano com agente ativo no processo. Ajuda a questionar nossos modelos mentais consagrados e nesse sentido, ajuda a pensar melhor sobre a atuação em rede, de uma forma horizontal e aberta (em contraste ao nosso modelo mental clássico de pensar em hierarquia).

7) O Poder das Redes - David De Ugarte – Editora PUC RS
O autor aborda a questão das redes distribuídas, principalmente tendo em vista estratégias de comunicação pelo meio virtual e de como animar essas redes. Faz um breve histórico (muito interessante) das mudanças da Rede Social (enquanto sociedade) em relação às mudanças nas tecnologias de comunicação. Apresenta ainda, alguns exemplos concretos de mudanças ocorridas tendo por base as novas formas de conectividade social.
Muito interessante também a análise que faz das motivações (ética hacker) de quem resolve atuar em rede distribuída.
Em resumo, traz questionamentos avançados do quanto as novas formas de comunicação estão permitindo novas formas de interação social e de quanto isso vai modificar a rede social e nossos padrões de comportamento político (principalmente).
Ver resenha pessoal em: http://carloslopes1.blogspot.com/2008/09/o-poder-das-redes-david-de...

8) A Natureza das Economias - Jane Jacobs – Editora Beca
O próprio titulo desse livro, já diz muito do seu conteúdo, pois aborda as origens da economia, assim como faz uma comparação com eco sistemas. A sustentabilidade está no centro dos conceitos, pois podemos aprender com essa leitura que uma localidade é sustentável na medida em que seu modelo de produção e aproveitamento dos recursos se aproxima, por comparação, a um eco sistema (uma floresta tropical, por exemplo). A diversidade presente, tanto num eco sistema como numa economia está diretamente ligada a sua capacidade de sustentação.
Ver resenha pessoal em: http://carloslopes1.blogspot.com/2007/01/indicao-de-leitura-naturez...

9) Morte e Vida de Grandes Cidades - Jane Jacobs – Editora Martins Fontes
Com este livro pude compreender de forma muito direta o poder da interação entre as pessoas e sua relação com o desenvolvimento de localidades. Jacobs mostra que o olhar vigilante de uma comunidade influencia o comportamento de seus membros. Esse vigilante não é necessariamente opressivo ou delator (mas também pode ser), mas muito mais no sentido de “cuidado”, ou seja, o que Malcolm Gladwel em O Ponto de Desequilíbrio chamou de Poder do contexto.
Como Jacobs é Urbanista, cita diversos exemplos de como a arquitetura de uma cidade pode influenciar a relação entre as pessoas.

10) Raízes do Brasil – Sérgio Buarque de Holanda – Editora Companhia das Letras
Importante para compreender as origens culturais do Brasil (herdadas em parte dos colonizadores portugueses) e entender parte do nosso deficit de capital social e a prevalência do privado sobre o público.

Exibições: 188

Comentar

Você precisa ser um membro de Escola de Redes para adicionar comentários!

Entrar em Escola de Redes

Comentário de Marcia Golfieri em 5 agosto 2009 às 21:10
Sugestões aceitas. Lá vou eu estudar...
Comentário de Carlos Lopes em 9 fevereiro 2009 às 15:48
Cristiane
Que legal que voce esta lendo o presença. Achei esse livro tão ótimo, que articulei um grupo de pessoas para dialogar a respeito do assunto. É um grupo formado por 10 pessoas e vamos + 5 encontros sobre o livro. Pena que esta em outro estado, se não poderia participar conosco. Vide nota que publiquei no meu blog em: http://carloslopes1.blogspot.com/2009/01/grupo-de-aprendizagem-do-p... .
Quanto a Bowling Alone esta em minha lista. Já saiu em portugues??
Comentário de Cristiane da Silva Santos Villela em 6 fevereiro 2009 às 20:02
Olá :)
A sua lista de leitura é realmente muito interessante. Estou lendo "Presença" e, também concordo com os elogios. Já do Robert Putnam, ainda não li "Comunidade e Democracia", mas recomendo a leitura de "Bowling Alone". Um abraço!
Comentário de Maria Paula Puglisi Yoshihara em 29 janeiro 2009 às 8:30
Obrigada pelo empenho em disponibilizar o "caminho das pedras" que percorreu.
Li "Presença" e concordo com seus elogios ao livro.
Vou me dedicar a percorrer este caminho literário.
Abc,
Comentário de Carlos Boyle em 22 janeiro 2009 às 0:49
obrigado Carlos moito organizado r claro

© 2019   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço