Escola de Redes

Me deu vontade de intitular este post assim: "Chegaram tarde, babacas!". Com quase mil textos pendurados na minha conta 4Shared para a BIBLIOTECA DA ESCOLA-DE-REDES - exclusivamente para uso educacional e sem fins lucrativos - não posso atestar que não haverá mais alguma reclamação dos tarados privatistas do conhecimento. 

Mas não se preocupem: o texto em questão já está em pelo menos mais 13 servidores. Pelo menos esta providência tomamos (com grande ajuda de conectados à E=R) a tempo de evitar a perda do acervo compartilhado (mais de mil obras sobre redes sociais e temas correlatos).

As empresas que se dedicam a esse tipo de perseguição são molestadoras. Molestam os que compartilham desinteressadamente conhecimento. Algum dia, espero, ainda serão punidas, se não pelo arcabouço legal, pelo menos com o desprezo da sociedade. Essas empresas perseguidoras atentam contra o saudável e legítimo compartilhamento que emerge em uma sociedade-em-rede. No fundo elas sabem que estão tentando parar o curso do rio com uma barragem de entulho (o entulho legal que ainda remanesce). Elas sabem que, mais cedo ou mais tarde, a corrente avassaladora removerá todo esse lixo. Enquanto isso, porém, esperam ir ganhando algum dinheiro, assim, sordidamente, contra a humanidade, contra o chamado "progresso da ciência".

As tentativas até agora mal-sucedidas do SOPA e PIPA, carecem de legitimidade. Há alguns meses postei um banner no Facebook sobre isso, que mereceu nada menos do que 1472 compartilhamentos. Sinal de que as pessoas não estão de acordo com a privatização do conhecimento e, muito menos, com a perseguição aos que compartilham conhecimento. Vejam:

|

Bem, é isso! Vejam abaixo carta recebida do 4Shared. 

|

MAIS UMA CARTA DO 4SHARED

Dear Sir

We have received a notification that certain materials you posted on the 4Shared website as described below infringe upon someone else’s copyright:

http://4shared.com/document/1mSR5Grg/Hofstadter_Douglas_-_Godel-_Es... 
http://4shared.com/office/1mSR5Grg/Hofstadter_Douglas_-_Godel-_Es.html

Access to the material complained of has been temporarily disabled or such material has been removed. In addition, the public sharing function for your account has been disabled. For instructions on how to dispute the copyright infringement claim, please read the section titled Counter Notification Requirements below. For instructions on how to re-activate your sharing function, read the section titled Re-activation of the sharing function of your account at the end of this letter.

In accordance with 4shared’s Copyright Policy, to which you are bound by virtue of agreeing to our Terms of Use, your account will be terminated and your access to 4shared services permanently banned following three instances of copyright infringement. Unless you respond by counter notification and successfully dispute the copyright owner’s claim, this will be considered your FIRST instance of infringement under the three-strike policy.

Counter Notification Requirements


If you do not believe that such materials are infringing and wish to have access restored, please provide a counter notification containing the following information to 4Shared Designated Agent for Notice of Claims of Copyright Infringement (“Designated Agent”) as set forth below: 


1) Identify the material that was removed or disabled, and the location where it appeared before it was removed or disabled;


2) Declare under penalty of perjury that you have a good faith belief that the material at issue was removed or disabled as a result of either mistake or misidentification of the material to be removed or disabled;


3) Provide your name, address, and telephone number;


4) Provide a statement that you consent to the jurisdiction of the federal district court for the judicial district in which your address is located, or if your address is outside of the United States, for any judicial district in which 4Shared may be found, and that you will accept service of process from the person who provided the notification or an agent of such person.


5) Provide your physical or electronic signature.

Such counter notification must be sent via e-mail to our Designated Agent at dmca_agent@4Shared.com. 

Alternatively, you may send the counter notification to our Designated Agent using the contact information below:

Name of Designated Agent: Ganka Hadjipetrova


Address of Designated Agent: 745 Distel Dr., Ste. 110, Los Altos, CA 94022


Facsimile Number of Designated Agent: (650) 433-5471


If we receive a proper counter notice, then we may replace or cease disabling access to the allegedly infringing materials in ten business days in accordance with the provisions of the DMCA, unless our Designated Agent first receives notice that an action has been filed by the complainant seeking a court order to restrain the account holder from engaging in infringing activity relating to the material on our system or network.

You should also note that if you make any material misrepresentation in your counter notification that the material or activity was removed or disabled by mistake or misidentification, you will be liable for all damages, including costs and attorneys’ fees, incurred by 4Shared or any copyright owner or copyright owner’s authorized licensee as the result of our relying upon such misrepresentation in replacing the removed material or ceasing to disable access to it.


In the event you provide us with counter notification compliant with all requirements described above and the rights owner does not pursue the infringement claim further, 4shared will remove this instance of copyright infringement from your record and will not consider the take-down notice for purposes of the three-strike repeat infringer termination policy. If we receive a compliant counter notification, we will also re-activate your account’s sharing capability. Note that regardless of whether or not you challenge the infringement claim via a counter notification, 4shared will keep the take-down notification for its records.

Re-Activation of the Sharing Function of Your Account


Note that if you send us a counter notification fulfilling all requirements described above, your account’s sharing functionality will be re-activated.


In case you do not challenge the take-down notification, you may still be able to re-activate the sharing function of your account. To do that, you must remove all copyrighted content for which you do not hold author’s rights and do not otherwise have authorization to use. Once you have removed all unauthorized materials from your account, you must declare under penalty of perjury that your account does not contain infringing files here. Take note that you will still have access to your files if you do not verify your account is infringement free, but you will not be able to share them publicly.

Thank you. 
Sincerely, 
4shared Support Team
support@4shared.com

Exibições: 1072

Comentar

Você precisa ser um membro de Escola de Redes para adicionar comentários!

Entrar em Escola de Redes

Comentário de Augusto de Franco em 22 maio 2012 às 3:24

Os perseguidores do compartilhamento enviaram mais uma mensagem. Desta feita (as 18h50 de ontem, 21/05/12) cassaram o texto de George Orwell (A Revolução dos Bichos). Vejam abaixo:

Dear Sir/Madam,

We have received a notification that certain materials you posted on the 4Shared website as described below infringe upon someone else’s copyright:

http://www.4shared.com/office/p2uurJmW/George_Orwell-A_revoluo_dos_...

Access to this material has been temporarily disabled or such material has been removed.

This is the SECOND instance of copyright infringement claim associated with your 4shared account. In accordance with 4shared’s Copyright Policy, to which you are bound by virtue of agreeing to our Terms of Use, your account will be terminated and your access to 4shared services permanently banned following three instances of copyright infringement.

As a consequence of the infringement claim filed against you, the public sharing function for your account has been disabled. For instructions on how to dispute the copyright infringement claim, please read the section titled Counter Notification Requirements below. For instructions on how to re-activate your sharing function, read the section titled Re-Activation of the Sharing Function of your account at the end of this letter.

Counter Notification Requirements
If you do not believe that such materials are infringing and wish to have access restored, please provide a counter notification containing the following information to 4Shared Designated Agent for Notice of Claims of Copyright Infringement (“Designated Agent”) as set forth below: 
1) Identify the material that was removed or disabled, and the location where it appeared before it was removed or disabled;
2) Declare under penalty of perjury that you have a good faith belief that the material at issue was removed or disabled as a result of either mistake or misidentification of the material to be removed or disabled;
3) Provide your name, address, and telephone number;
4) Provide a statement that you consent to the jurisdiction of the federal district court for the judicial district in which your address is located, or if your address is outside of the United States, for any judicial district in which 4Shared may be found, and that you will accept service of process from the person who provided the notification or an agent of such person.
5) Provide your physical or electronic signature.

Such counter notification must be sent via e-mail to our Designated Agent at dmca_agent@4Shared.com. 

Alternatively, you may send the counter notification to our Designated Agent using the contact information below:

Name of Designated Agent: Ganka Hadjipetrova
Address of Designated Agent: 745 Distel Dr., Ste. 110, Los Altos, CA 94022
Facsimile Number of Designated Agent: (650) 433-5471

If we receive a proper counter notice, then we may replace or cease disabling access to the allegedly infringing materials in ten business days in accordance with the provisions of the DMCA, unless our Designated Agent first receives notice that an action has been filed by the complainant seeking a court order to restrain the account holder from engaging in infringing activity relating to the material on our system or network.
You should also note that if you make any material misrepresentation in your counter notification that the material or activity was removed or disabled by mistake or misidentification, you will be liable for all damages, including costs and attorneys’ fees, incurred by 4Shared or any copyright owner or copyright owner’s authorized licensee as the result of our relying upon such misrepresentation in replacing the removed material or ceasing to disable access to it.
In the event you provide us with counter notification compliant with all requirements described above and the rights owner does not pursue the infringement claim further, 4shared will remove this instance of copyright infringement from your record and will not consider the take-down notice for purposes of the three-strike repeat infringer termination policy. If we receive a compliant counter notification, we will also re-activate your account’s sharing capability. Note that regardless of whether or not you challenge the infringement claim via a counter notification, 4shared will keep the take-down notification for its records.

Re-Activation of the Sharing Function of Your Account
Note that if you send us a counter notification fulfilling all requirements described above, your account’s sharing functionality will be re-activated.
In case you do not challenge the take-down notification, you may still be able to re-activate the sharing function of your account. To do that, you must remove all copyrighted content for which you do not hold author’s rights and do not otherwise have authorization to use. Once you have removed all unauthorized materials from your account, you must declare under penalty of perjury that your account does not contain infringing files here. Take note that you will still have access to your files if you do not verify your account is infringement free, but you will not be able to share them publicly.


Thank you.
Sincerely, 
4shared Support Team
support@4shared.com

Comentário de Augusto de Franco em 21 maio 2012 às 5:21
POLÊMICA em http://opiniaoenoticia.com.br/opiniao/suspensao-de-site-gera-indign...

Suspensão de site gera indignação no meio acadêmico

Autores e pesquisadores defendem o site Livros de Humanas, ameaçado judicialmente por promover o compartilhamento digital de livros raros

por Bolívar Torres

fonte | A A A

Há três anos, ele tem se mostrado uma ferramenta essencial para estudantes e pesquisadores. Diversos livros esgotados podiam ser baixados de graça em formato PDF ou Epub pelo Livros de Humanas, site de compartilhamento de publicações de ciências humanas. Para o público da área, era a chance de ter contato com obras teóricas raras sobre filosofia, antropologia, literatura e psicanálise, muitas vezes impossíveis de serem encontradas. No entanto, desde esta quinta, 17, os usuários se depararam com a seguinte mensagem ao acessar o site: “Olá. O site está fora do ar porque recebemos notificação judicial da ABDR (Associação Brasileira dos Direitos Reprográficos). Por ora é o que podemos informar”.

Criado em 2009 por um estudante da USP, o Livros de Humanas era o maior e mais conhecido site de compartilhamento de livros. Em pouco mais de dois anos de existência, já havia formado uma biblioteca maior do que a de muitas faculdades brasileiras. A biblioteca do Livros de Humanas era toda formada sem qualquer autorização. O motivo da ameaça judicial teria sido dois livros, um de Jacques Lacan, que estava esgotado até o ano passado, e outro do professor de letras e linguista brasileiro José Luiz Fiorin. Ao mesmo tempo, outros sites do gênero também saíram do ar por causa de ameaças judiciais, como o IOS Book e EpuBr. Mais tarde, chegaram informações de que os responsáveis pelas ameaças judiciais eram duas editoras didáticas, Contexto e Forense. Esta última um selo do grupo Gen, editora de apostila didática para concurso, cujo presidente, Mauro Koogan Lorch, é diretor da ABDR.

O processo que resultou na retirada temporária dos sites coloca em xeque a cultura de compartilhamento de livros digitais. A ampliação da circulação de obras promovida pelo sistema de trocas na internet revolucionou o acesso ao conhecimento, mas bateu de frente com os interesses das editoras. Por outro lado, a medida provocou indignação no meio acadêmico. Professores e pesquisadores, muitos deles autores de livros (e, portanto, diretamente interessados) se manifestaram nas redes sociais em apoio ao site.

O antropólogo Eduardo Viveiros de Castro defendeu a cultura de compartilhamento de livros, afirmando em seu Twitter que “Sites que permitem a leitura gratuita de livros de difícil acesso, esgotados ou absurdamente caros, são fundamentais para a difusão do saber. O que a internet perturba é o CONTROLE, pela editora, da relação entre autor e leitor. Ninguém perde economicamente. A questão é política. Exceto é claro no obscuríssimo mercado de livros didáticos, onde a instrumentalização do saber e a concentração de poder são a regra”.

O antropólogo também acredita que o ataque ao site é “uma excelente ocasião para se inventariar o negócio do ‘livro didático’ no Brasil, das editoras ao MEC”. Ele aproveita para questionar os dogmas da ABDR e do mercado editorial: “Nunca vendi tantos livros (nunca foram muitos, mas enfim) como depois que meus livros entraram nas bibliotecas públicas da rede”, contou. Ele também afirma que “jamais COMPREI tanto livro como depois que pude começar a baixar livros GRATUITAMENTE pela rede”.

Quanto mais downloads, mais vendas

A teoria de Viveiros de Castro é a mesma de muitos especialistas da área; a de que o público que baixa livros é o mesmo que compra livros. Recentemente, ninguém menos do que Paulo Coelho, um dos autores mais vendidos do mundo, confessou que vazava propositalmente seus livros na internet, já que isso ajudava a promovê-los. O autor notou que suas vendas aumentaram em países onde costumava ser menos popular, como a Rússia, logo depois que traduções em russo de seus livros foram disponibilizadas para download.

“Mais pessoas leram meus livros graças ao @Livrosdehumanas que por qualquer outra via”, lembrou em seu Twitter Idelber Avelar, professor de literatura na Universidade de Tulane em New Orleans. “Como autor, sou profundamente grato e quero ajudar”. Ele também promoveu uma mobilização: “A internet tem que dar uma resposta contundente a esse ataque da ABDR contra @Livrosdehumanas. Levantar grana, boicotar, encarar a luta.”

A ideia de boicote às editoras foi levantada por diversos perfis no Twitter. O professor e poeta Eduardo Sterzi afirmou que “Em resposta ao ataque que fizeram a uma das mais democráticas bibliotecas brasileiras, nunca mais comprarei livros da Forense e da Contexto”. Sterzi acrescentou: “Sites de compartilhamento de livros têm de ser vistos e respeitados como bibliotecas. É o que eles são. Combatê-los é fomentar a ignorância”.

Não é a primeira vez que o Livros de Humanas sofre com ameaças judiciais. Em 2011, já havia recebido mensagens de violação dos termos de uso. Ameaçado, foi obrigado a sair do WordPress e ir atrás de um servidor fora do país. O site, no entanto, sempre funcionou sem nenhum interesse comercial. Promovia “vaquinhas” entre os usuários para comprar livros e digitalizá-los. Na prática, trata-se de um sistema de trocas que sempre aconteceu: diversas pessoas se mobilizam para comprar um livro e repassá-lo uns para os outros. A internet apenas deu à prática um alcance global. Além do mais, o site só digitalizava obras esgotadas e de difícil acesso.

“É óbvio que o blog desrespeita a legislação vigente”, havia dito o criador da página em entrevista ao Globo, em 2011, logo após as primeiras ameaças judiciais. “Mas não porque somos bandidos, mas porque a legislação é um entrave para o desenvolvimento do pensamento e da cultura no país”.

Vale lembrar que, segundo o próprio site da ABDR, o Livros de Humanas não aparece entre os enquadrados na categoria pirataria editorial. No Twitter oficial do site, o administrador anuncia que “a discussão se fará em juízo” e disse que já está “consultando advogados”.

Comentário de Augusto de Franco em 17 maio 2012 às 7:27

Pois é... A Rússia, infelizmente, é um exemplo acabado de banditismo de Estado. Agora também de banditismo empresarial.

Pirate Pay torrent 'blocker' backed by Microsoft

Piracy

Blocking tool Pirate Pay draws its name from controversial piracy site The Pirate Bay

A Russian company has developed software it says can disrupt and prevent people from downloading pirated content.

Pirate Pay has been backed by Microsoft and has so far worked with publishers such as Sony Pictures to stop "thousands" of downloads.

The tool poses as real bit torrent users but then "confuses" peer-to-peer networks, causing disconnections.

Critics argue that the method will be ineffective in the long term.

The entertainment industry claims that the downloading of pirated material costs copyright holders billions of pounds in lost revenue every year.

Last month, the British Phonographic Industry won a court battle to force UK internet service providers to block its customers from accessing high-profile piracy site The Pirate Bay.

However, the true extent of the financial impact is strongly questioned by internet rights campaigners.

Swamping

Bit torrent blog Torrent Freak reported that Pirate Pay began life as traffic management software for internet service providers.

From here they discovered it could be used to swamp peer-to-peer networks - which are used to share the files - with false information.

"After creating the prototype, we realised we could more generally prevent files from being downloaded, which meant that the program had great promise in combating the spread of pirated content," said Andrei Klimenko, the company's chief executive, in an interview with Russia Beyond the Headlines.

The technology has received high-profile praise from the president of Microsoft Russia - Pirate Pay was awarded one million rubles (£62,000, $100,000) from a seed investment fund set up by the company behind Windows.

Start Quote

You don't solve social issues with technical fixes”

Richard ClaytonUniversity of Cambridge

A recent campaign saw Pirate Pay "protect" recent Russian film Vysotsky. Thanks to God, I am Alive".

Pirate Pay said it blocked 44,845 attempted illegal downloads of the film.

However, as the Torrent Freak blog pointed out, the blocked downloaders might have simply just tried again later.

'Social issues'

Although exact details on how the system operates are not known outside of the company, security researcher Richard Clayton from the University of Cambridge told the BBC it was a process that could work, if only in the short term.

"If you flood the network with lots of lies, then you will be short of real things.

"[But] the networks are robust about this in the long term because you will say to your peer 'please give me this data', and when it gives you the data it will say 'this doesn't match' and throw it away."

Mr Clayton, who blogs about such issues, said peer-to-peer networks would eventually adapt, sharing information about "bogus" peers such as those reportedly utilised by companies like Pirate Pay.

Mr Clayton added: "You don't solve social issues with technical fixes.

"The social issue here is that a lot of people think that the legal offerings are too expensive and don't provide what they want.

"Once you solve that, nobody's going to want to mess around with complicated bits of software to get what they need."

Comentário de Paulo Ganns @pganns em 17 maio 2012 às 5:54

O Contra-ataque, direto da Russia e financiado pela Micro$oft:

http://www.bbc.com/news/technology-18056727

Não vai ser tão simples assim!

Comentário de saul ignacio fuks em 10 maio 2012 às 12:41

oi augusto
a muita gente lutando com ese asunto...
o link e para se cadastrar numa rede contra o comercio do conhecimiento
http://thecostofknowledge.com/
abrazos
saul

Comentário de Angelica Keller em 10 maio 2012 às 7:37

Como aprendiz tambem da ER, como diz o Renato Farah, me solidarizo e admiro a capacidade de coragem e esforço de clareza que vejo no seu trabalho e dos que o acompanham. Se eu puder ajudar de forma mais efetiva, conte comigo, por favor. Abraço.

Comentário de Antonio Silvio Hendges em 9 maio 2012 às 9:47

Como parte de minha indignação com as tentativas de privatização do(s) conhecimento(s) reproduzo abaixo uma parte do texto do Augusto de Franco que expressou de modo total o tipo de empresas que tentam barrar o progresso com suas más intenções e desserviços à humanidade:

"As empresas que se dedicam a esse tipo de perseguição são molestadoras. Molestam os que compartilham desinteressadamente conhecimento. Algum dia, espero, ainda serão punidas, se não pelo arcabouço legal, pelo menos com o desprezo da sociedade. Essas empresas perseguidoras atentam contra o saudável e legítimo compartilhamento que emerge em uma sociedade-em-rede. No fundo elas sabem que estão tentando parar o curso do rio com uma barragem de entulho (o entulho legal que ainda remanesce). Elas sabem que, mais cedo ou mais tarde, a corrente avassaladora removerá todo esse lixo. Enquanto isso, porém, esperam ir ganhando algum dinheiro, assim, sordidamente, contra a humanidade, contra o chamado "progresso da ciência".

Fora SOPA, PIPA e todas as outras tentativas reacionárias de controlar a comunicação livre!!!!!

Comentário de Teofilo Betlen em 9 maio 2012 às 8:38

Você está correto. Imaginemos: quando eu compro um livro e o empresto para alguém ler, estarei cometendo privataria? Não, só estou compartilhando um conhecimento.

Comentário de Edilberto Sastre em 9 maio 2012 às 8:28

Será que a liberdade é um rio que corre de baixo pra cima?

Comentário de Ricardo Farah em 9 maio 2012 às 7:17

Prezado Augusto, 

Há pouco enviei a mensagem abaixo um amigo que esta sofrendo estes mesmos problemas só que em uma conhecidíssima rede social de relacionamentos.

" Meu prezado Paulo: 

Lembro-me de que há muitos anos quando criamos a área de humanas na ESPM e Fator Humano era um dos módulos, eu dizia aos alunos depois de apresentar-lhes o trecho do filme Sociedade dos Poetas Mortos onde o Robin Williams os incitava a rasgar páginas do livro e “ a pensar por si mesmos” que ao sair do “status quo” ou “Matrix” sempre há um preço a pagar pela capacidade de questionar e incomodar. Coragem, dizia eu, tinha bônus e ônus. E,  sempre,  teríamos na vida de escolher aonde nossos propósito e valores nos colocariam sob o medo ou sob o Amor (coragem). 

Ser estratégico como Ulisses na Odisseia é uma boa opção. Tal qual você planeja fazer agora. 

Apenas a título de curiosidade, você sabe que faço parte como aprendiz da Escola de Redes. Inscrevi-me para entender redes ( não de relacionamento social neste caso) e veja o que recebemos hoje do Augusto Franco... um dos fundadores.  

http://escoladeredes.net/profiles/blog/show?id=2384710%3ABlogPost%3... 

Por fim, seres humanos são solidários com outros seres humanos cujo qualidade maior reside na compaixão e na capacidade corajosa de dizer a verdade. Assim, continue com minha solidariedade."

Abraço forte,

Ricardo

Augusto, estendo-lhe também minha solidariedade. 

Abraço forte,

Ricardo

© 2014   Criado por Augusto de Franco.

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço