Escola de Redes

Gabriel R. de Andrade Silva
  • Masculino
  • São Paulo, SP
  • Brasil
Compartilhar no Facebook Compartilhar

Amigos de Gabriel R. de Andrade Silva

  • Ericsson Santana Marin
  • Nilton Lessa
  • Maria Thereza do Amaral

Grupos de Gabriel R. de Andrade Silva

 

Página de Gabriel R. de Andrade Silva

Informações do Perfil

Você está disposto(a) a ler até o fim o texto Sobre a constituição da Escola-de-Redes?
sim
Este não é um site de relacionamentos. Você está ciente dos objetivos da Escola-de-Redes?
am... acho que sim...

poema

ENTROPIA

Por que a vida?
Por que a morte?
Por que a sorte?

Se vida ou morte diz a sorte
Se morte ou sorte diz a vida
Se sorte ou vida diz a morte

Vida na vida, vida na morte, vida na sorte
Morte na vida, morte na morte, morte na sorte
Sorte na vida, sorte na morte, sorte na sorte.

O quê?
Via na vida e morte na morte e sorte na sorte,
Ou vida na morte e morte na sorte e sorte na vida,
Ou vida na sorte e morte na vida e sorte na morte,
Ou asorte na avida e amorte na amorte e avida na asorte,
Ou asorte na amorte e amorte na asorte e avida na avida,
Ou asorte na asorte e amorte na avida e avida na amorte ???

Tic tac.


Avida
É nada
Não nadando
É avida
Não sendo
Como você lê
Não lendo
Ouve
Não ouvindo

Vazio
Potentia
Desvio
Vigência
Extravio
Silencia.

Quantos estados são acessíveis?
Liberdade homeostática
Clama, chama, inflama
Errática
As ordens incorruptíveis
Queima estática
Certezas invencíveis
E ama
Apesar de tudo.

Amorte
É amortal
Só a sorte
É proposital
Se o norte
Aponta o inerte
Imerge amorte.

Amorte
Emorte
Imorte
Omorte
Umorte.

Amor te
É morte
Imortal
Óh mote
Universal!

Na Asorte
Há zar
Se Forte e una
Avida estar
Seca a espuma
Caso a caso
Atam-se nós
Sós
Sem voz
Mas calma caipira
Inspira
Visão ampla
Espanta
Ex-pântano
Prepara o vaso
D'amorte.

Brilha na estrela
Sem fim
Dissolve em mim
Vida
Enfim.
Escorre da fonte
Estampa a fronte
Deságua do monte
Equilibra e ajusta
Motiva e ilustra
Augusta
Seta do tempo
Cria
Solve
Coagula
Dissolve
Engula
Resolve
Procura
Faz viver
O Eterno.

Ninho de estrelas
cintila
No firmamento
Passa-me
Ungento
Ilumina
Cem por cento

Ordem
Desordem
Reordem
Redesordem
Desreordem...

Sistema aberto
Incerto
Mas belo
Fechado morre
Desmorre
Reatando o elo
Universo certo
Desperto.


===========
Obrigado por ler isto! Se tiver um tempo tente ler de trás para frente, verso a verso.

Fotos de Gabriel R. de Andrade Silva

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Vídeos de Gabriel R. de Andrade Silva

  • Adicionar vídeo
  • Exibir todos

Blog de Gabriel R. de Andrade Silva

Apagão X sustentabilidade = hierarquia X rede

Apenas deixando registrado mais um "pitaco" sobre atualidades...



Há uns 2 anos atrás vi um estudo sobre as redes de energia elétrica da China e os EUA que apontava ser a frequencia de blecautes proporcional à razão entre demanda e oferta de energia elevada a um expoente fractal... Concluíram que, para uma rede de grande porte, essa frequencia seria independente da eletricidade atmosférica (raios e tempestades elétricas). O Brasil tem um tamanho comparável a estes países, logo, ao que… Continuar

Postado em 14 novembro 2009 às 7:17 — 1 Comentário

Índice de distribuição em 2 tipos de redes regulares complementares

Para não desandar em delírios matemáticos inúteis e fazer justiça a realidade do caos, tendo estudado um pouco sobre grafos aleatórios, fui compelido a dar uma olhada nos grafos regulares, ainda sob a ótica do índice de distribuição.



Redes… Continuar

Postado em 13 novembro 2009 às 15:00

Caos e redes

Na tentativa de cumprir algumas tarefas daqui da E=R explorei um pouco o universo das redes aleatórias através do índice de distribuição, conforme proposto pelo Augusto.



Porém, as redes da natureza, as redes reais, não são aleatórias. A realidade é o CAOS. Bem entendido, caos (no contexto científico atual) não é o oposto de ordem. É algo entre a ordem e a desordem.



Por… Continuar

Postado em 11 novembro 2009 às 17:26

Índice de distribuição normalizado

Estive tentando encontrar uma maneira de comparar o índice de distribuição de redes com tamanhos diferentes.



Fiz alguns 'experimentos numéricos' com redes aleatórias, calculando o índice conforme explicado em



http://escoladeredes.ning.com/profiles/blogs/o-poder-nas-redes-sociais



Resultou uma característica interessante: em média, o índice parecia depender de algo como o número… Continuar

Postado em 8 novembro 2009 às 23:00 — 6 Comentários

Caixa de Recados (3 comentários)

Você precisa ser um membro de Escola de Redes para adicionar comentários!

Entrar em Escola de Redes

Às 20:34 em 2 fevereiro 2012, Ericsson Santana Marin disse...

Gabriel entre por favor no grupo Plataforma Fluzz, pois o Augusto adicionou a nossa discussão por lá. O tópico está neste link http://escoladeredes.ning.com/group/plataforma-fluzz/forum/topics/o-debate-sobre-o-indice-de-distribuicao. abs

Às 14:43 em 14 janeiro 2012, Augusto de Franco disse...

Sobre o papo rolando ali:

Como já disse ao Ericsson várias vezes, Gabriel, minha equação tinha propósitos mais demonstrativos do que analíticos. Os problemas detectados pelo Ericsson (e outros, por mim e por mais alguns) são reais. Mesmo assim, as distorções devem ser bem pequenas, se adotarmos o índice de distribuição que propus (o que chega a ser incrível, dado que não se trata de um teorema e sim de uma definição (convenção). Para os propósitos do Ericsson, creio que não fará diferença ponderável. A questão é o conceito: e o conceito está basicamente correto (a resiliência da rede depende da continuidade do fluxo quando nodos e conexões são eliminados), conquanto a fórmula matemática não esteja. Mas tal conceito é bem mais avançado do que os constructs da SNA, a despeito de suas fórmulas serem matematicamente corretas para o que se propõem (o problema é que das variáveis que escolhe não se pode derivar nada tão esclarecedor das relações entre distribuição, conectividade e interatividade).

Às 5:27 em 7 novembro 2009, Augusto de Franco disse...
Gabriel, vamos retomar esse estudo (estou me referindo aos gráficos que você postou)? Tenho uma sugestão: faça uma mensagem de blog sobre isso - inserindo as imagens no corpo do texto e explicando como procedeu e quais foram as suas conclusões. Seria muito importante para nossa E=R. Que tal? Topa?
 
 
 

© 2017   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço