Escola de Redes

Evandro Sanguinetto
  • Masculino
  • Itajubá, MG
  • Brasil
Compartilhar no Facebook Compartilhar

Amigos de Evandro Sanguinetto

  • Juliana Caminha Noronha
  • Osvaldo Gehm
  • Patricia Moron
  • Marcos Bernardes
  • Angela Regina Pilon Vivarelli
  • Lala Deheinzelin
  • Edite Faganello Querer
  • Nilce
  • rita monte
  • Fábio Otuzi Brotto
  • marly Scarinci
  • Eduardo Sejanes Cezimbra
  • Mila San
  • Carlos Boyle
  • Augusto de Franco

Grupos de Evandro Sanguinetto

 

Página de Evandro Sanguinetto

Informações do Perfil

Você está disposto(a) a ler até o fim o texto Sobre a constituição da Escola-de-Redes?
Sim
Este não é um site de relacionamentos. Você está ciente dos objetivos da Escola-de-Redes?
sim

Sobre caminhos, horizontes, limites - um pouco sobre mim

Da janela os horizontes

Da janela da sala vejo as montanhas ao longe, Serra Branca. Mais perto um grande morro, quase só pasto ralo. De outro lado as montanhas de Maria da Fé.
Os extremos. Os horizontes ficam nos extremos do olhar. Impossível alcançá-los caminhando. Para qualquer lado que se vá os horizontes insistem em se afastar do caminhante. Chegam perto quando estamos no fundo dos vales. Distanciam-se quilômetros do alto das montanhas.
Os limites.
Os extremos.
Os horizontes.
O caminho não tem fim quando caminhamos. Um passo a mais e novos horizontes se descortinam ante nossos olhos, ampliando os limites. E quando a terra vira mar, nossas deficiências afloram. O mar não limita o caminhante, apenas exige que se transforme em peixe ou gente do mar para continuar sua jornada. Se não pode ou não quer a transformação, afoga-se ou volta por onde veio. Encontra o limite de si mesmo e toma uma decisão.
E a decisão pode ser parar e transformar sua própria jornada. Experimentar outros limites. Sabendo que o horizonte não pode ser atingido, sabendo que entre os extremos está o equilíbrio, pode achar a si mesmo em sua busca. O centro do mundo está no caminhante que para e se percebe entre os extremos, entre os horizontes.
- Foi para se achar que saiu, não foi? Para procurar o horizonte de si mesmo. E descobre que o encontra dentro e não fora.
É.
E agora me transformo de passageiro em observador, que vê os que passam. Pararão? Ou seguirão sua jornada? Interromperão sua busca para encontrar outros limites? Ou continuarão a expandir os limites através dos horizontes de suas buscas?
Quando a gente caminha, outros são os observadores. Nós passamos. Chegamos e no nosso tempo nos vamos. Os demais ficam, permanecem. Não nos podem pedir para ficar. Podem apenas abrir as portas de suas casas para que entremos ou não. E quando nos tornamos observadores, a regra deve ser seguida, honrada. Não podemos pedir que fiquem. É preciso honrar a jornada do outro. Podemos apenas abrir as portas, indicar o caminho para um prato quente de comida, um banho refrescante, uma taça de vinho. E quem caminha define se entra, se vai, se permanece à porta. Porque esse é o seu momento, sua verdade, seu caminho.
Honrar as escolhas dos que caminham.
Existem leis não ditas nos caminhos.
Nem todos entendem.
Nem todos as seguem.
É preciso caminhar atento para apreende-las. E uma vida é pouco para tudo que um caminho ensina. E um caminho ensina muito pouco se o que buscamos é chegar em algum lugar do horizonte. Porque o horizonte foge do caminhante. E se ri dele: kkkkkkkkkkkkkkkk ........
Quando no entanto, o caminhante faz do caminho sua meta, não importa onde a estrada vá. Nem importa caminhar. O caminhante aprendeu que o caminho se faz com seu próprio caminhar. E qualquer lugar é lugar, pois o centro está onde ele estiver.
O centro nunca é o outro. Não existe uma metade fora que nos complemente. A metade que falta está dentro. E quando o caminhante cessa sua jornada externa, encontra a metade que faltava. Dentro. Do lado de dentro de si mesmo.
E quando encontra isso, talvez o melhor que possa oferecer ao outro, o melhor de si mesmo, seja o Amor Incondicional, o amor e respeito ao caminhar do outro.
Meus caminhos são muitos, hoje que parei de caminhar. E descortino horizontes como nunca antes, agora que caminho sem sair do lugar. Os limites vão-se encontrando. As distancias vão-se encurtando. Os opostos vão-se encontrando. Vou-me integrando e entregando.
A jornada ganha novos contornos, sabores, tons, cores.
Observo os que chegam e me pergunto: estarão no tempo de parar? Encontraram seu caminhar?
As portas deixo abertas...

Blog de Evandro Sanguinetto

Olhar Curvo

Estava na Fazenda Ipanema com Luciano, quando decidimos sair para ver o céu. Partimos pela estrada em direção à Portaria 02 e, longe das luzes do alojamento, paramos o carro e descemos. Céu limpo e estrelado, víamos Escorpião, Cruzeiro do Sul, Sírius.

Algumas vezes saímos a passeio com as crianças e adolescentes da Fazenda e naquela noite Iara, uma garotinha de 10 anos e sua mãe passavam pela estrada e pararam para perguntar se tínhamos problemas.



- Precisam de alguma coisa? –… Continuar

Postado em 18 janeiro 2010 às 15:56 — 2 Comentários

Caixa de Recados (5 comentários)

Você precisa ser um membro de Escola de Redes para adicionar comentários!

Entrar em Escola de Redes

Às 19:41 em 16 março 2010, Fábio Otuzi Brotto disse...
Oi, Evandro!

Bom saber que nos acompanhamos e compartilhamos a amizade do Edu Coutinho!
Tomara que possamos seguir assim e adiante em nossa com-viência e cooperação.
Até já!
Abraço
Fábio
Às 22:22 em 29 janeiro 2010, Nilce disse...
Teoricamente, 'área' entende-se como uma superfície limitada ou ilimitada. :)
Conjecturamente, sou da área da Educação como 'todos nós'.
Pragmaticamente, Literatura e Filosofia para o E.M. e Ética para o E.F. II.
That's all!
E você?
Às 20:46 em 29 janeiro 2010, Nilce disse...
!?! Não entendo...
Eu aceitei o seu convite como Amigo, mas não aparece em minha página, só na sua...
Enfim, sou de SP, como está 'escrito' em minha página. rs
Desde o ano passado - são dois anos - estou cursando Pós na PUC "Educação para o Pensar" com 'olhar' tanto na área de Educação quanto de Filosofia.
Tive um módulo de Psicanálise o qual me interessou bastante, então estou nessas 'férias' participando de um curso "Paisagens da alma":
http://www.palasathena.org/frames.asp?language=pt
"Quem olha para fora, sonha. Quem olha para dentro, acorda" - Carl Gustav Jung
Às 19:46 em 29 janeiro 2010, Edite Faganello Querer disse...
lá, Evandro!
Continuemos a prosa meu MSN editesol11@hotmail.com
Voce vem na Conferencia Internacional de Redes?
Abraços.
Edite
Às 7:18 em 20 janeiro 2010, Mila San disse...
Oi Evandro,
Sobre a Coppe, eu estou estudando engenharia de produção lá. Para te dar uma idéia, sou formada em comunicação visual e estou amando. A minha linha de pesquisa é sobre gestão e inovação de iniciativas socias. Talvez lhe interesse.
Para saber mais, veja o site: www.producao.ufrj.br
Os concursos para entrada costumam abrir lá para setembro.
Mas eles também têm uma formação em Engenharia Ambiental (aberta apenas para determinadas áreas de conhecimento). Não entendi pelo seu perfil o que faz exatamente. Por isso, é o máximo que consigo imaginar.
Inté.
 
 
 

© 2019   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço