Escola de Redes

Carlos Mourthe
  • Masculino
  • Nova Lima MinaS Gerais
  • Brasil
Compartilhar no Facebook Compartilhar

Amigos de Carlos Mourthe

  • Julia Rodrigues Melo
  • paula lamego lourenco
  • Neide Lournço
  • Isabela Oliveira Fazzi
  • ANA CAROLINA
  • Gabriela Teixeira Silva
  • André de Souza Perini
  • Filipe Pontes Miranda
  • João Carlos Maia Dornelas
  • Leticia Maria Mourthe Antoniazzi
  • Cláudia Edwirges P. Monteiro
  • aguida de fatima mourao
  • mARIA lUISA BASILIO
  • cacilda rita de oliveira
  • Maria das Graças Carvalho Brito
 

Página de Carlos Mourthe

Informações do Perfil

Você está disposto(a) a ler até o fim o texto Sobre a constituição da Escola-de-Redes?
Sim
Este não é um site de relacionamentos. Você está ciente dos objetivos da Escola-de-Redes?
Sim

Apresentação

Caros companheiros de rede,Depois de alguns meses que me conectei a essa rede sinto-me encantado por esse padrão relacional que daqui emerge. Logo à minha entrada, convidado a me apresentar, protelei. Preferi ampliar minhas conexões por meio da leitura de textos disponíveis no site e postagens nos grupos de discussão, além dos valiosos vídeos. Muito seduzido, sinto-me confortável a me apresentar agora.Desde meados da década de 90 venho estudando pensamento sistêmico, especialmente a obra de Humberto Maturana, mas, fundamentalmente, tenho trabalhado juntamente com grupos na construção de culturas para a sustentabilidade. Nesse sentido não seria nem necessário explicitar que as convergências entre minhas crenças e aquilo que encontrei por aqui são inumeráveis.A agradável e integradora escrita circular recursiva de Augusto de Franco não poderia ser melhor convite a soltar o corpo nesse abismo. Um simpósio como o que aconteceu há alguns dias teria sido a mais breve oportunidade de me conectar fisicamente com um grupo com tantas possibilidades de contribuir cooperativamente com os processos dos quais tenho participado, no entanto, no dia 06 de agosto participei em Belo Horizonte de uma importante reunião - há muito agendada - de uma rede da qual faço parte e não pude me ausentar.Muito animado com as conexões que aqui possam ocorrer, apresento algumas bifurcações que distingo como observador de meu próprio devir, que me parecem importantes no processo de encontro com essa rede:A obrigação de defender o sistema burocrático em um debate em aulas de Organização e Normas no ensino médio que me permitiu um inusitado e importante encontro com Russeau, Proudhon e Bakunin.A sedução para olhar para o mundo com o Tesão inspirado pela obra de Roberto Freire e pela Soma Terapia.O encantamento pela biologia e o contato teórico e prático com o estudo da vida desde 85.Prosas com índios e comunidades tradicionaisO encontro com a obra de Fritjof Capra e consequentemente com as referências sistêmicas que ele e essas referências nos presenteiam.Dentre elas Maturana, a grande revolução do pensamento sobre a vida e o humano, que me ajudou a integrar tudo isso e muito mais.Minhas experiências como educador e os resultados surpreendentes da participação em práticas relacionais fundadas na cooperação, diversidade e autonomia.Desde o ano de 2002 tenho me envolvido em práticas sistêmicas e formação de redes junto a diferentes grupos (embora só mais tarde tenha integrado o conceito de rede aos trabalhos). Um esforço inicialmente compartilhado com literaturas e que foi se ampliando com os grupos dos quais fiz parte ao longo do tempo. Uma importante experiência com resultados efetivos ocorreu com um trabalho de seis anos junto ao Instituto Embraer de Educação e Pesquisa e o Sistema Pitágoras em São José dos Campos. Participei como coordenador de um projeto que teve o desenvolvimento de projetos educacionais e organização em rede de uma escola de Ensino Médio com importantes resultados medidos e outros maiores sem a possibilidade de aferição quantitativa, mas com inequívocas transformações culturais.De volta a Belo Horizonte, assumi algumas cadeiras no curso de Ciências Biológicas na PUC Minas e apresentei um projeto com os mesmos fundamentos para a Pro-reitoria de Extensão – TEIAS – Trabalhos Ecológicos de integração Social. Inspirado nas práticas precedentes o projeto integra desde seu início em 2009 estudantes e professores de diferentes cursos superiores no desenvolvimento de tecnologias sustentáveis, mas principalmente, com disseminação de uma cultura da sustentabilidade em rede, sustentada nos fundamentos cooperação diversidade e autonomia.Um dos importantes motivos que me traz até a essa rede é a forma que hoje integro a Rede Mensageiros da Água. Movimento trazido ao Brasil por Danielle Miterrand e que tive o privilégio de produzir os textos dos livros que dão subsídios ao programa Educacional brasileiro. Temos desenvolvido um programa de trabalho com a formação de uma rede entre professores, alunos e comunidade de Escolas públicas da bacia da Lagoa da Pampulha. A integração do grupo e a interação se amplia a cada dia.Estou convidando os integrantes dessa rede “Mensageiros da água” – rede Pampulha a se cadastrarem na escola de Redes para que possamos participar de reflexões neste espaço além de compartilharmos de toda a aprendizagem coletiva propiciada por essa rede.Ainda estou digitalizando alguns artigos que produzi para disponibilizar nesse site, mas compartilho com vocês um recente que saiu no Número Especial de Sustentabilidade da Revista DOM da Fundação Dom Cabral - Diálogos para a Sustentabilidade.Espero poder ampliar as reflexões em discussões aqui nessa rede.Cordialmente,Carlos Mourthe

Fotos de Carlos Mourthe

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Blog de Carlos Mourthe

Diálogos para a Sustentabilidade

Prezados,

 

Apresento em anexo um artigo de minha autoria relacionado com um trabalho que venho desenvolvendo há algum tempo e que possui muitas convergências com os fundamentos que sustentam as relações na E=R. Ele foi publicado na Revista especial de Sustentabilidade da DOM - Fundação Dom Cabral. Acredito que possa ser um disparador para algumas conversações.

 

Obrigado,…

Continuar

Postado em 15 agosto 2011 às 22:05

Caixa de Recados (2 comentários)

Você precisa ser um membro de Escola de Redes para adicionar comentários!

Entrar em Escola de Redes

Às 13:46 em 23 agosto 2011, cacilda rita de oliveira disse...

maga nunca tinha pensado neste titulo ,obrigado.faço o que posso pra tranfomar tudo que se dizem lixo em um produto de qualidade pra que seje aceito.amo o verde arvore pra mim e sagrada,e como celulose e sua massa corporal faco tudo pra poder salvalas.conte comigo .acho que nas escolas brasileiras o desperdicio de papel e assustador  da vontade de refazer ensinar pros alunos como e legal reiclar papel,pode se fazer tantas coisa as vezes piro so de pensar nas mil e umas possibilidades.o papel machê tambem fica demais .o negocio e consientizar as pessoas do desperdicio e tentar mudar a mentalidade e pra isso conto com voces ok. beijos ate.

Às 19:27 em 16 agosto 2011, Sérgio donizeti Ferreira disse...
cara, o negócio aqui é doido mesmo. É link pra tudo que é lado. Vou apanhar bastante neste site, mas vale o esforço!!
 
 
 

© 2019   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço