Claudio Estevam Próspero

Masculino

Sao Paulo, Sao Paulo

Brasil

Comment Wall:

Load Previous Comments
  • NADIA STABILE

    OI CLAUDIO!! AGRADEÇO!!! vc é mesmo um grande cara!! GRANDE ABRAÇO AMIGÃO!! vou lá ver seus blogs e Twitter!!
  • nedio antonio seminotti

    Bem,... antes de mais nada, convém dizer que Morin fala da incerteza. Do fim das certezas anunciada pela modernidade. Portanto, precisamos conviver com o inesperado, impensado, instável. Assim, não podemos prever se haverá transformação, metamorfoses, ou desintegração do sistema, mas apena ter, segundo ele, esperança e, em nosso âmbito de poder, proceder com entusiasmo no sentido das transformações que esperamos.

    Lembremos que Morin para conceber a auto-organização do sistema na direção da transformação foi se inspirar, como ele próprio diz, especialmente, nas ideias da biologia de Atlan e na física de Von Foerster. Para ambos o sistema, para se auto-organizar em direção à vida, buscando a neguentropia, mesmo diante da tendência da vida para entropia, é preciso haver uma estabilidade mínima do sistema, sem a qual ele tende a degradação, à entropia, à morte. Agora, além disso, é preciso assinalar que, segundo Von Foerster, é possível o sistema manter a neguentropia, sem negar a segunda lei da termodinâmica. Para respeitar essa lei e considerar também a possibilidade da neguentropia, a organização do sistema, basta pensar em um sistema qualquer não infinito, mas delimitado, finito, distinguido pelo observador, e que esteja aberto para intercâmbios com outros sistemas/ambientes, também distinguidos pelo observador. Quer dizer, um sistema delimitado que mantenha um estado permanente de interação com outro. Nessa interação ele troca energia, informação e organização. Na troca de organização um sistema pode se organizar a expensas da desorganização do outro sistema com quem mantém intercâmbio, sem prejuízo para o sistema desorganizado. Nesse intercâmbio os sistemas criam condições, oportunidades de desorganizar-se - condição primeira para novas organizações - e reorganizar-se buscando uma nova organização, rearranjo, do conjunto de informações e energia indispensável para o sistema se manter com vida.

    Morin leva em conta as propriedades do sistema do ponto de vista da física e da biologia para conceber o sistema social. Alinhados com o pensamento de Morin, sublinhamos duas questões fundamentais para a transformação social: a abertura dos sistemas e o intercâmbio entre sistemas (o sistema de ideias, por exemplo). Buscar o diálogo de ideias. Constituir a dialógica. Para a dialógica sublinho três princípios sistêmicos que me parecem indispensáveis: a autonomia e dependência (interdependência), a abertura e fechamento e a recursão organizacional.

     

  • Leonardo Curvello de Castro

    Oi , tudo bem?

    Eu não sei trabalhar muito bem com essas coisas.

    Mas, me parece que estas pedindo algo.

    Como posso contribuir com o trabalho?