Escola de Redes

LIVRO: O Senhor das Moscas. William Golding (1954)

FILME: O Senhor das Moscas ("Lord of the Flies"), de Peter Brook (1963) [Atenção: ao clicar no link você tem que baixar o filme, não é possível assisti-lo no Dropbox]

GOLDING E BA'AL ZEBUB

William Golding (1911-1993) - poeta inglês e Nobel de literatura em 1983 - escreveu a novela alegórica O Senhor das Moscas em 1953. O livro, publicado no ano seguinte, não fez sucesso na época. O livro retrata o comportamento de um grupo de crianças inglesas de um colégio interno, preso em uma ilha deserta após a queda do avião que as transportava para longe da guerra.

O Senhor das Moscas (1954) faz parte da literatura do pós-guerra e - como A Revolução dos Bichos de George Orwell e tantos outros - explora, de forma peculiar, a tensão entre democracia e autocracia no dealbar da guerra fria a partir do comportamento social de indivíduos em condições de escassez (natural e artificial, porém mais artificial do que natural - e aí pode estar uma chave de interpretação para o surgimento de modos de regulação autocráticos aderentes a padrões de organização hierárquicos).

Segundo a análise do verbete na Wikipedia, "muitos interpretaram O Senhor das Moscas como um trabalho de filosofia moral. O cenário da ilha, um paraíso com toda a comida e a água necessários, pode ser visto como uma metáfora para o Jardim do Éden. Assim, a primeira aparição do “Bicho” seria o surgimento da serpente, como o mal surge no livro de Gênesis. Um dos principais temas do livro é a natureza do Mal. Isto pode ser claramente visto na conversa que Simon [um dos personagens] mantem com o crânio do porco, que se refere a si mesmo como “O Senhor das Moscas” (uma tradução literal do nome hebraico de Ba'alzevuv, ou Beelzebub em grego). O nome, enquanto se refere aos enxames de moscas sobre si, claramente refere-se ao personagem bíblico".

Talvez seja melhor interpretá-lo, entretanto, como a descrição de um experimento social do que como uma reflexão sobre a origem do mal ou, mesmo, como uma alegoria política stricto sensu. O livro permite uma leitura capaz de fazer correspondências entre o social e o político, ou seja, sobre os condicionamentos recíprocos entre padrão de organização e modo de regulação.

No programa de investigação-aprendizagem sobre reconhecimento de padrões autocráticos o livro de Golding constitui material de pesquisa do oitavo módulo.

O SENHOR DAS MOSCAS

O oitavo filme do programa é O Senhor das Moscas (Lord of the Flies), de Peter Brook (1963).

O filme é baseado no livro homônimo de William Golding (1954) e que já foi tratado aqui.

Em termos bem simplórios, a ementa divulgada pelas distribuidoras diz o seguinte. Após um terrível acidente aéreo, um grupo de crianças vê-se perdido numa ilha deserta. Ao perceberem as dificuldades de obterem socorro, os meninos unem-se para fazer frente ao medo e ao desespero. Mas a medida que se apossam da ilha, cresce um sentimento de competição e de luta pelo poder, que os divide em dois grupos. O título é uma referência a Belzebu (do nome hebraico Ba’al Zebub), um sinônimo para o Diabo). É melhor ler a resenha do livro no link acima para entender por que O Senhor das Moscas está incluído na lista.

No programa de investigação-aprendizagem sobre reconhecimento de padrões autocráticos esse filme constitui material de pesquisa do oitavo módulo.


QUESTÕES PARA REFLEXÃO 8

QUESTÃO 01

01 - Afinal, que tipo de sociedade surgiu na ilha dos meninos de O Senhor das Moscas? (Atenção: você pode marcar mais de uma alternativa)

a) Uma sociedade primitiva, onde os garotos retornaram à situação de guerra generalizada, devido à falta de um poder que os controle.

b) Não podemos falar de sociedade, pois a tentativa de estabelecer uma dinâmica democrática é frustrada pela necessidade de alimento, o que leva os garotos a serem guiados por seu instinto de sobrevivência. A sociedade e a cultura são valores que só podem ser cultivados em situações estáveis.

c) Ao reproduzir exatamente as práticas vividas em sua sociedade de origem, os garotos reproduzem um sistema hierárquico e combativo, baseado no medo e na construção de inimigos, sendo levados a uma situação violenta, semelhante àquela na qual viviam antes da fuga e do acidente.

d) Não havendo instituições, não pode haver uma sociedade. Os garotos tentam estabelecer uma instituição democrática, a partir das assembleias e da nomeação de líderes, mas a falta de acúmulo histórico impede o sucesso de sua realização.

e) Nenhuma das alternativas anteriores.

QUESTÃO 02

02 - Quais elementos levam os garotos da ilha ao estado de violência que eles estabelecem? (Atenção: você pode marcar mais de uma alternativa)

a) A presença de alguns poucos “maus” indivíduos que, interessados em obter privilégios, manipulam os demais garotos, fazendo-os agir de forma alienada.

b) A luta pelos instrumentos (óculos, faca) necessários à sobrevivência na ilha e monopolizados por um pequeno número de pessoas.

c) A luta pelo território e a escassez de alimentos.

d) A pré-configuração das relações entre os garotos, estabelecidas de acordo com os modos sociais aos quais estavam habituados (assembleia, criação de líderes, divisão de funções, organização das ações), leva à reprodução de práticas que estabelecem entre os indivíduos relações autocráticas, baseadas na criação da escassez (necessidade de carne, onde há abundância de frutas, necessidade de proteção contra o “monstro”, divisão de território) e no medo.

e) Nenhuma das alternativas anteriores.

QUESTÃO 03

03 - Quais indicadores de um modo de regulação autocrático podem ser percebidos na ilha do Senhor das Moscas de William Golding? (Atenção: você pode marcar mais de uma alternativa)

a) A existência de liderança centralizada, gerando o surgimento de uma contra-liderança e, consequentemente, uma bipolarização estiolante para o capital social (destruidora da cooperação).

b) A existência de um modo de regulação participativo (assembleia) altamente vulnerável ao controle e incapaz de se proteger de dissensões.

c) A produção artificial de escassez promovida pelas facções em luta (possuídas por uma vibe guerreira).

d) O fato de os meninos reproduzirem os padrões de organização e os modos de regulação da sociedade hierárquico-autocrática onde viviam, que fica claro na pergunta-lamento do Porquinho (no filme): "Fizemos tudo como os adultos, como pode dar errado?"

e) Nenhuma das alternativas anteriores.

QUESTÃO 04

04 - Na sua opinião, qual a razão para encontrarmos em “O senhor das moscas” uma situação onde um grupo formado apenas por garotos encontra-se isolado em uma ilha deserta, depois de um acidente ocorrido durante uma fuga de uma região em guerra? (Atenção: você pode marcar mais de uma alternativa)

a) Este é apenas um recurso literário, não tendo importância na narrativa. Se fossem adultos em uma cidade qualquer o livro teria o mesmo efeito sobre os leitores.

b) O autor está trabalhando com as imagens de isolamento constantes nas utopias e distopias, o fato de serem crianças é um apelo emotivo.

c) Ao tratar de um lugar “selvagem” e de crianças, o autor suspende as justificativas recorrentes de que as ações humanas estão determinadas pela história, abrindo o campo de possibilidades de organização e de interpretação dos fenômenos sociais.

d) O autor está tentando imaginar uma situação possível diante de um mundo em guerra, e constrói um quadro muito próximo da realidade, descrevendo o que seria vivido de fato caso um acidente deste tipo ocorresse.

e) Nenhuma das alternativas anteriores. 

QUESTÃO 05

05 - O que o livro O Senhor das Moscas de William Golding tem a ver com o filme O Senhor das Moscas de Peter Brook? (Atenção: você pode marcar mais de uma alternativa)

a) Não tem nada a ver.

b) É uma boa produção cinematográfica que, no essencial, faz jus ao livro.

c) Nenhuma das alternativas anteriores.

Se quiser enviar suas respostas CLIQUE AQUI 

Exibições: 89

Anexos

© 2017   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço