Escola de Redes

LIVRO: A Revolução dos Bichos (Animal Farm). George Orwell (1945)

FILME: A Revolução dos Bichos ("Animal Farm") de John Stephenson (1999) [Atenção: ao clicar no link você tem que baixar o filme, não é possível assisti-lo no Dropbox]

ORWELL É O BICHO

George Orwell (1903-1950) - pseudônimo do escritor e jornalista inglês Eric Arthur Blair, nascido na Índia Britânica - publicou em 1945 a novela satírica A Revolução dos Bichos (Animal Farm). O livro foi incluído na lista dos cem melhores romances do século 20. Há um bom Orwell Reader neste link

A Revolução dos Bichos é uma sátira da revolução bolchevique e uma crítica contundente do período stalinista na União Soviética. Na fábula os animais de uma granja se revoltam contra os humanos e fazem uma revolução. Liderados pelos porcos Bola-de-Neve (Snowball) e Napoleão (Napoleon), os animais tentam criar uma sociedade utópica, mas Napoleão, seduzido pelo poder, afasta Bola-de-Neve e estabelece uma ditadura semelhante a dos humanos.

A sociedade pós-revolucionária da fazenda dos bichos reproduzia a estrutura (hierárquica) e a dinâmica (autocrática) da antiga dominação humana. Em vez de uma revolução social propriamente dita, houve apenas a troca dos ocupantes humanos por ocupantes animais. As regras iniciais foram então sendo adaptadas às conveniências dos que tomaram o poder. Assim, os preceitos revolucionários iniciais viraram preceitos de adaptação às condições pretéritas:

- "Nenhum animal dormirá em cama" virou "Nenhum animal dormirá em cama com lençóis".

- "Nenhum animal beberá álcool" (o antigo dono humano, o fazendeiro Jones, era um beberrão cruel) virou "Nenhum animal beberá álcool em excesso".

- "Nenhum animal matará outro animal" virou "Nenhum animal matará outro animal sem motivo".

- "Todos os animais são iguais" virou "Todos os animais são iguais, mas alguns são mais iguais que os outros".

No final os animais que fizeram a "revolução" mas não estavam no poder já não conseguiam mais distinguir os porcos dos homens.

No programa de investigação-aprendizagem sobre reconhecimento de padrões autocráticos esse livro de Orwell constitui material de pesquisa do quinto módulo. 

A REVOLUÇÃO DOS BICHOS

O quinto filme do programa é A Revolução dos Bichos (Animal Farm) de John Stephenson (1999). Há uma versão anterior (animação), de Joy Batchelor e John Halas (1954).

O filme é baseado no conto satírico de George Orwell (1945) de mesmo nome e que já foi tratado no link aqui.

No programa de investigação-aprendizagem sobre reconhecimento de padrões autocráticos esse filme constitui material de pesquisa do quinto módulo.

QUESTÕES PARA REFLEXÃO 5

QUESTÃO 01

01 - No capítulo 1 de A Revolução dos Bichos, Orwell coloca na boca do Major o seguinte discurso: "Pouco mais tenho a dizer. Repito apenas: lembrai-vos sempre do vosso dever de inimizade para com o Homem e todos os seus desígnios. Qualquer coisa que ande sobre duas pernas é inimigo, qualquer coisa que ande sobre quatro pernas, ou tenha asas, é amigo. Lembrai-vos também de que na luta contra o Homem não devemos assemelhar-nos a ele. Mesmo quando o tenhais derrotado, evitai seus vícios. Animal nenhum deve morar em nem dormir em camas, nem usar roupas, nem beber álcool, nem fumar, nem tocar em dinheiro, nem fazer comércio. Todos os hábitos do Homem são maus. E, principalmente, jamais um animal deverá tiranizar outros animais. Todos os animais são iguais". Mesmo antes do processo de autocratização promovido por Napoleão e seus asseclas, podemos encontrar, na visão do Major, alguns germes da futura autocracia que se instalou na granja? Se sim, que germes são estes? (Atenção: você pode marcar mais de uma alternativa)

a) Não há nenhum germe de autocracia na visão do Major. A autocracia foi uma degeneração do sonho original, introduzida por Napoleão.

b) A construção do inimigo e a sua qualificação como inimigo natural (permanente).

c) A demonização do inimigo.

d) A revolução como guerra.

e) Nenhuma das alternativas anteriores.

QUESTÃO 02

02 - Em A revolução dos bichos, de George Orwell, vemos a implementação progressiva de uma organização que tem sua hierarquia fundamentada em uma diferença de capacidade, decorrente de uma diferença entre as raças. Os porcos tornam-se os líderes dos animais e passam a tomar as decisões sobre o trabalho, a distribuição da produção e dos espaços, as regalias etc. Os próprios porcos argumentam em seu favor dizendo "Não penseis, camaradas, que a liderança seja um prazer. Pelo contrário, é uma enorme e pesada responsabilidade. Ninguém mais que o Camarada Napoleão crê firmemente que todos os bichos são iguais. Feliz seria ele se pudesse deixar-vos tomar decisões por vossa própria vontade; mas às vezes poderíeis tomar decisões erradas, camaradas; e então, onde iríamos parar? Valentia não basta. A lealdade e a obediência são mais importantes. Disciplina, camaradas, disciplina férrea! Esse é o lema para os dias que correm. Um passo em falso, e o inimigo estará sobre nós." Você acredita que: (Atenção: você pode marcar mais de uma alternativa)

a) Este é um processo autoritário, de implementação progressiva da dominação de uma cúpula que passa a operar de forma arbitrária. Suas justificativas são meros argumentos para a instituição de uma autocracia.

b) Este livro é bastante fantasioso, pois tenta reproduzir situações humanas sem levar em conta que os humanos são todos iguais e que uma tal distinção só poderia basear-se nas diferenças efetivas de capacidade e não em diferenças raciais.

c) Embora os porcos passem a adotar medidas autoritárias e nocivas à sociedade, isto decorre de um desvio em sua conduta, pois é, sim, necessário reconhecer que existem diferenças entre os homens, sobretudo em relação a seu preparo e, a partir destas diferenças, o grupo melhor preparado deve, sim, governar, mas visando o bem da comunidade e não o seu bem particular.

d) Esta situação é muito semelhante àquela em que vivemos hoje, pois é evidente que uma elite branca, garantindo seus privilégios de classe, governa e manipula a maioria para seu deleite pessoal.

e) Nenhuma das alternativas anteriores.

QUESTÃO 03

03 - Em que ideia(s) se baseia, fundamentalmente, o regime descrito por Orwell em A Revolução dos Bichos? (Atenção: você pode marcar mais de uma alternativa)

a) Nos princípios do Animalismo, uma doutrina - urdida pelos porcos - que organizou como um sistema de pensamento os ensinamentos do Major em sete mandamentos (após a sua morte): 1. Qualquer coisa que ande sobre duas pernas é inimigo; 2. Qualquer coisa que ande sobre quatro pernas, ou tenha asas, é amigo; 3. Nenhum animal usará roupas; 4. Nenhum animal dormirá em cama; 5. Nenhum animal beberá álcool; 6. Nenhum animal matará outro animal; 7. Todos os animais são iguais.

b) Na verdade, o regime resultante da revolução dos bichos não se baseava nas ideias do Animalismo (mencionadas na alternativa anterior) e sim na realpolitik autocrática praticada pelos porcos sob o comando de Napoleão, que tinha como objetivo apenas manter o poder conquistado pela burocracia porcina.

c) Fundamentalmente, em uma ideia apenas: na ideia de igualdade de todos os bichos.

d) Em duas ideias principais: a) na ideia de que os bichos eram iguais (amigos); e b) na ideia de que os bichos eram diferentes dos homens (seus inimigos)

e) Nenhuma das alternativas anteriores.

QUESTÃO 04

04 - Examine o seguinte trecho do capítulo 3 de A Revolução dos Bichos de Orwell: "Após o hasteamento da bandeira, iam todos ao grande celeiro, para assistir a uma assembleia geral conhecida como "a Reunião". Lá planejavam o trabalho da semana seguinte e discutiam as resoluções. Estas eram sempre apresentadas pelos porcos. Os outros animais aprenderam a votar, mas nunca conseguiram imaginar uma resolução por conta própria. Bola-de-Neve e Napoleão eram sempre mais ativos nos debates... Os porcos reservaram o depósito de ferramentas para sede da direção. Ali, à noite, estudavam mecânica, carpintaria e outras artes necessárias, em livros trazidos da casa-grande. Bola-de-Neve ocupava-se também da organização dos outros bichos por meio dos chamados Comitês de Animais. Formou o Comitê da Produção de Ovos, para as galinhas; a Liga das Caudas Limpas, para as vacas; o Comitê de Reeducação dos Animais Selvagens (cujo objetivo era domesticar os ratos e os coelhos); o Movimento Pró Mais Branca, que congregava as ovelhas; e outros mais, além da criação de classes para ensinar a ler escrever". O que você acha desses procedimentos políticos? (Atenção: você pode marcar mais de uma alternativa)

a) Eram procedimentos radicalmente democráticos, posto que todos podiam discutir e decidir por votação em assembleia e ainda podiam participar dos diversos conselhos (ou comitês, ou movimentos) que foram formados.

b) Eram procedimentos aparentemente democráticos, mas não realmente democráticos, pois os porcos controlavam a pauta da assembleia e também monopolizavam a palavra apresentando todas as propostas de resolução; ademais, eram os porcos que organizavam e controlavam os diversos mecanismos participativos (conselhos, comitês, movimentos).

c) Constituíram parte da implantação tática de um participacionismo assembleísta e conselhista, altamente controlado pela burocracia dirigente (pelos porcos), como caminho estratégico para, mais adiante, substituir tudo pela decisão autocrática dos porcos comandados por Napoleão.

d) Nenhuma das alternativas anteriores.

QUESTÃO 05

05 - Na Batalha dos Estábulo, narrada no capítulo 4 de A Revolução dos Bichos de Orwell, Bola de Neve - que depois seria expurgado por Napoleão - disse: "Nada de sentimentalismos, camarada! - gritou Bola-de-Neve, de cujos ferimentos o sangue jorrava. - Guerra é guerra. Ser humano bom é ser humano morto". Examinando essa frase, podemos concluir: (Atenção: você pode marcar mais de uma alternativa)

a) Que a concepção de Bola de Neve também era autocrática, pois as ideias de que na guerra vale tudo e de que o inimigo deve ser exterminado fisicamente são partes de uma visão autoritária (ou totalitária) da política.

b) Que se Bola de Neve não tivesse sido expurgado, o regime resultante da sua liderança não seria muito diferente daquele que foi erigido por Napoleão.

c) Apenas que Bola de Neve se transformou num guerreiro, reproduzindo expressões que são próprias dos combatentes em todas as épocas e lugares.

d) Nenhuma das alternativas anteriores.

QUESTÃO 06

06 - No capítulo 5 de A Revolução dos Bichos de Orwell, examine esse discurso (e o diálogo que se seguiu) do porco Garganta, que foi mandado percorrer a granja para explicar aos demais bichos a nova situação (de expurgo de Bola de Neve e de centralização do poder pelos outros porcos, sob o comando de Napoleão):

"Camaradas - disse -, tenho certeza de que cada animal compreende o sacrifício que o Camarada Napoleão faz ao tomar sobre seus ombros mais esse trabalho. Não penseis, camaradas, que a liderança seja um prazer. Pelo contrário, é uma enorme e pesada responsabilidade. Ninguém mais que o Camarada Napoleão crê firmemente que todos os bichos são iguais. Feliz seria ele se pudesse deixar-vos tomar decisões por vossa própria vontade; mas, às vezes, poderíeis tomar decisões erradas, camaradas; então, onde iríamos parar? Suponhamos que tivésseis decidido seguir Bola-de-Neve com suas miragens de moinho de vento - logo Bola-de-Neve que, como sabemos, não passava de um criminoso?

- Ele lutou bravamente na Batalha do Estábulo - disse alguém.

- Bravura não basta - respondeu Garganta.

- A lealdade e a obediência são mais importantes. E quanto à Batalha do Estábulo, acredito, tempo virá em que verificaremos que o papel de Bola-de-Neve foi um tanto exagerado. Disciplina, camaradas, disciplina férrea! Este é o lema para os dias que correm. Um passo em falso e o inimigo estará sobre nós. Por certo, camaradas, não quereis Jones de volta, hem?".

Decodificando o discurso de Garganta, podemos afirmar que: (Atenção: você pode marcar mais de uma alternativa)

a) Nota-se o reforço de um claro padrão autocrático, pelo qual se inculca a crença de que os bichos comuns são inaptos a tomar decisões sobre a vida e a gestão da granja, tornando desejável a existência de uma liderança redentora e um círculo burocrático competente que concentram todo o poder.

b) Reforça-se um sentimento, comum nas autocracias, de que qualquer mínimo desvio do “caminho correto” levará à completa destruição da ordem vigente, com consequências devastadoras para todos, instalando o medo do inimigo externo, insegurança das pessoas sobre os assuntos públicos e, portanto, reforçando a submissão, “lealdade e obediência” ao Líder ou ao Partido que tudo resolverá e a todos protegerá.

c) A democracia não é incompatível com uma liderança técnica que tome as decisões pela sociedade, desde que esta pessoa ou grupo seja competente e esteja comprometido a gerir os assuntos públicos com seriedade e compromisso com o bem comum.

d) Há uma clara mudança de foco das atitudes mais valorizadas pela sociedade, passando de um ufanismo militarista e heroico (antes personificado em Bola-de-Neve), para uma postura mais pacífica, baseada na lealdade e obediência. Isso indica não uma eliminação, mas pelo menos uma redução do grau de autocratização do regime, uma vez que a autocracia fundamenta-se na guerra.

e) Nenhuma das alternativas anteriores.

QUESTÃO 07

07 - No final do capítulo 7 do livro A Revolução dos Bichos de Orwell, há a seguinte passagem:

"Mal haviam terminado de cantar [o hino "Bichos da Inglaterra"] a terceira vez, apareceu Garganta, seguido de dois cachorros, com ar de quem tem coisa muito importante a dizer. Anunciou que, por decreto especial do Camarada Napoleão, a canção Bichos da Inglaterra fora abolida. Daquele momento em diante, era proibido cantá-la.

Os animais foram colhidos de surpresa.

- Por quê? - exclamou Maricota.

- Não há necessidade, camaradas - respondeu Garganta inflexivelmente. - Bichos da Inglaterra era a canção da Revolução. Mas a Revolução agora está concluída. A execução dos traidores, hoje à tarde, foi o ato final. Em Bichos da Inglaterra expressávamos nosso anseio por uma sociedade melhor, no porvir. Ora, essa sociedade já foi instituída. Evidentemente, o hino não tem mais valor algum".

Analisando a passagem reproduzida acima o que podemos concluir? (Atenção: você pode marcar mais de uma alternativa)

a) Que de fato a revolução dos bichos estava concluída, pois os donos humanos da fazenda (ou granja) foram depostos e o governo agora era dos animais (o que era o objetivo do movimento).

b) Que não houve revolução alguma na granja dos bichos, mas apenas uma troca dos ocupantes do poder autocrático, de vez que as relações de dominação permanecem [Napoleão, o porco, apenas ocupou o lugar de Jones, o homem].

c) Que a burocracia dos porcos promoveu uma contrarrevolução, tomando o poder, exercendo-o autocraticamente e fraudando as intenções originais do Major (apoiada por todos os bichos) de promover a igualdade na granja.

d) Nenhuma das alternativas anteriores.

QUESTÃO 08

08 - Examine a seguinte passagem do décimo (e último) capítulo do livro A Revolução dos Bichos, de Orwell:

"... Naquele luxo de que Bola-de-Neve lhes falara certa vez, baias com luz elétrica e água quente e fria, e na semana de três dias, não se falava mais. Napoleão denunciara tais ideias como contrárias aos princípios do Animalismo. A verdadeira felicidade, dizia ele, estava em trabalhar bastante e viver frugalmente.

De certa maneira, parecia como se a granja se houvesse tornado rica sem que nenhum animal tivesse enriquecido, exceto, é claro, os porcos e os cachorros. Talvez isso acontecesse por haver tantos porcos e tantos cachorros. Não que esses animais não trabalhassem, à sua moda. Garganta nunca se cansava de explicar que havia um trabalho insano na ação de supervisionar e organizar a granja. Grande parte desse trabalho era de natureza tal que estava além da ignorância dos bichos. Tentando explicar, Garganta dizia-lhes que os porcos despendiam diariamente enormes esforços com coisas misteriosas chamadas "arquivos", "relatórios", "minutas" e "memorandos". Eram grandes folhas de papel que precisavam ser miudamente cobertas com escritas e, logo depois, queimadas no forno. Era tudo da mais alta importância para o bem-estar da granja, dizia Garganta. A verdade é que nem os porcos nem os cachorros produziam um só grama de alimento com o seu trabalho; e havia um bocado deles, com o apetite sempre em forma.

Quanto aos outros, sua vida, ao que sabiam, continuava a mesma. Geralmente andavam com fome, dormiam em camas de palha, bebiam água no açude e trabalhavam no campo; no inverno, sofriam com o frio; no verão, com as moscas. De vez em quando, os mais idosos rebuscavam a apagada memória e tentavam determinar se nos primeiros dias da Revolução, logo após a expulsão de Jones, as coisas haviam sido melhores ou piores do que agora. Não conseguiam lembrar-se. Nada havia com que estabelecer comparação: não tinham em que basear-se, exceto as estatísticas de Garganta, que invariavelmente provavam estar tudo cada vez melhor. Os bichos consideravam o problema insolúvel; de qualquer maneira, dispunham de muito pouco tempo para essas especulações".

Podemos afirmar: (Atenção: você pode marcar mais de uma alternativa)

a) Que A Revolução dos Bichos é uma sátira da revolução bolchevique e uma crítica contundente do período stalinista na União Soviética.

b) Que a sociedade pós-revolucionária da fazenda dos bichos reproduzia a estrutura (hierárquica) e a dinâmica (autocrática) da antiga dominação humana. Em vez de uma revolução social propriamente dita, houve apenas a troca dos ocupantes humanos por ocupantes animais. As regras iniciais foram então sendo adaptadas às conveniências dos que tomaram o poder.

c) Que toda revolução dá sempre na mesma coisa: a substituição das elites no poder, ficando sempre os cidadãos convertidos em súditos de um novo poder semelhante ao antigo do ponto de vista das formas de organização e dos modos políticos de funcionamento.

d) Nenhuma das alternativas anteriores

QUESTÃO 09

09 - Quais indicadores de um modo de regulação autocrático podem ser percebidos no mundo descrito por Orwell em A Revolução dos Bichos? (Atenção: você pode marcar mais de uma alternativa)

a) O ideal do movimento desencadeado sob a liderança do Major e operada sob o comando de Napoleão e Bola-de-Neve e, finalmente, institucionalizada pelo primeiro, de promover a igualdade na granja sacrificando a liberdade dos bichos.

b) A dinâmica de guerra do movimento revolucionário, sempre agindo em função de destruir um inimigo: inicialmente os humanos (representados por Jones), depois os inimigos externos (as granjas concorrentes, dirigidas por humanos) e, sobretudo, os inimigos internos (Bola-de-Neve e seus supostos agentes secretos).

c) A instalação de um regime altamente controlável de participacionismo assembleísta e conselhista como transição para um regime autocrático (a ditadura monocrática de Napoleão).

d) A criminalização de qualquer oposição.

e) A organização de um misto de guarda pretoriana e polícia política (composta pelos cachorros).

f) A falsificação dos ideais da revolução: "Nenhum animal dormirá em cama" virou "Nenhum animal dormirá em cama com lençóis"; "Nenhum animal beberá álcool" (o antigo dono humano, o fazendeiro Jones, era um beberrão cruel) virou "Nenhum animal beberá álcool em excesso"; "Nenhum animal matará outro animal" virou "Nenhum animal matará outro animal sem motivo"; "Todos os animais são iguais" virou "Todos os animais são iguais, mas alguns são mais iguais que os outros".

g) A conversão do ditador em pai e dos animais em rebanho conduzido (realidade representada na sátira pelo comportamento das ovelhas, sempre balindo palavras de ordem repetitivas para abafar o proferimento de qualquer opinião discordante).

h) Nenhuma das alternativas anteriores.

QUESTÃO 10

11 - O que o livro A Revolução dos Bichos de Orwell tem a ver com o filme A Revolução dos Bichos de Stephenson? (Atenção: você pode marcar mais de uma alternativa)

a) Não tem nada a ver.

b) O filme de Stephenson apenas tenta adaptar a sátira de Orwell para o cinema, alterando porém de modo inadequado o seu final.

c) O filme é uma boa adaptação do livro, embora não tão fiel quando poderia.

d) Nenhuma das alternativas anteriores.

 

Se você quiser enviar suas respostas CLIQUE AQUI

Exibições: 212

Anexos

© 2017   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço