Escola de Redes

CONTACTO

Márcio Vasconcelos Pinto – Fundación AVINA

marcio.vasconcelos@avina.net

skype: marciovp

 

Este blog es el principal canal de divulgación del estudio techyredes – publicación resultado de una investigación realizada por la Fundación AVINA con asesoramiento técnico del Cidade Democrática.

Su interés está dirigido especialmente a las redes sociales dedicadas a causas culturales, sociales, políticas y ambientales, no obstante, sus propuestas son aplicables a cualquier tipo de red social. No se debe confundir aquí “redes sociales” con herramientas web que auxilian en la comunicación de redes sociales como Facebook, Orkut, QuePasa, Google +, que son plataformas o herramientas y no redes propiamente dichas.

El estudio propone entonces un método de uso de protocolos de interacción por medio de herramientas web como forma de producir ganancias crecientes de productividad en la gestión de redes sociales dedicadas a causas.

Su contenido está disponible en los enlaces abajo y también en el menú del blog.

El idioma del blog será mayormente el español, pero el estudio está disponible en portugués, español e inglés.

Estudio completo (versión de mejor calidad – 16mb) – PORTUGUÉS / ESPAÑOL

Estudio completo (versión reducida – 5mb) - PORTUGUÉS / ESPAÑOL

Partes del estudio

Método techyredes -  PORTUGUÉS / ESPAÑOL

Protocolos techyredes -  PORTUGUÉS / ESPAÑOL

Movimiento techyredes: Cómo participar -  PORTUGUÉS ESPAÑOL

Movimiento techyredes: Visión de Futuro -  PORTUGUÉS / ESPAÑOL

Movimiento techyredes: en Internet –  PORTUGUÉS / ESPAÑOL

*

En 16 de agosto fue lanzada la versión del estudio en portugués. 

En 22 de agosto fue lanzada la versión en español. 

 En 29 de agosto será lanzada la versión en inglés. 

*

El blog es un espacio para intercambio de propuestas, ideas, conocimientos, estórias de suceso.

También tenemos una comunidade en Facebook, una cuenta en Twitter y un canal en Youtube, además de otras herramientas como Diigo, Slideshare, Gmail, Google Docs. Todas están disponibles en Movimiento en Internet (portugués / español).

Se quieres saber más o participar del Movimiento techyredes, comente, escriba, twitte, participe. 

 



Exibições: 233

Respostas a este tópico

EM PDF o documento TECHYREDES | Método para dinamizar redes sociais dedicadas a causas usando ferramentas web e protocolos de interação
EM PDF o documento TECHYREDES | Método para dinamizar redes sociais dedicadas a causas usando ferramentas web e protocolos de interação

Olá, Augusto!

 

Também gostei do material. Note que eu já havia disponibilizado algumas informações e os links no post: " Techyredes : método para dinamizar redes sociais dedicadas a causas" em http://escoladeredes.ning.com/profiles/blogs/techyredes-m-todo-para....

 

Estou estudando o material e já o indiquei para o grupo que está trabalhando no Projeto de Extensão Rede Social Arca de Noé Brasil, empreendedorismo social que pretendemos implantar e implementar em 2012.

 

[ ]'s,

 

Raciel

...

É o diabo do Ning, Raciel. A gente não tem como achar as coisas e republica frequentemente conteúdos. Existem vários videos duplicados, por exemplo. A busca do Ning é muito ruim.

Olá, Augusto!

 

Como se diz nesta terra "peixeira"... Não "isxquenta"!

 

[ ]'s,

Augusto,

 

A propósito, entendo que não devemos culpar a Plataforma NING pelas dificuldades operacionais que encontramos ao utilizarmos o sistema de busca. No meu entendimento (não é a minha área) devemos sim culpar a nossa desatenção com o "SEO" (Search Engine Optimization) já que não valorizamos ou não damos a devida atenção ao correto preenchimento das TAGS.

Entendo que seria interessante uma aulinha sobre essa matéria, o que você acha?

Particularmente, gosto das orientações disponíveis em: http://www.otimizacaodesites.org/rankingdogoogle.html

 

 

[ ]'s,

 


Augusto de Franco disse:

É o diabo do Ning, Raciel. A gente não tem como achar as coisas e republica frequentemente conteúdos. Existem vários videos duplicados, por exemplo. A busca do Ning é muito ruim.

Acho bom, Raciel. Mas o tagueamento só fica inequívoco quando o número de pessoas tagueando é muito grande. Uma alternativa a isso é fazer uma lista (predeterminada) de tags, o que é ruim por motivos óbvios. A outra alternativa é dar aula para o pessoal aprender a taguear, o que é ruim também, além de impraticável (quando o número de pessoas é muito grande, mas não tão grande para corrigir bottom up o tagueamento equívoco).

Na verdade, o sistema de busca do Ning é ruim mesmo. A começar pela resposta que fornece (uma página de coisas inúteis em cada output).

Muitos criticam o Ning por não ter um bom sistema de gestão do conhecimento. Mas sabemos que quem organiza o conhecimento é a busca e na falta de uma busca semântica ficamos assim entre o cruz e a caldeirinha: todos os sistemas de gestão do conhecimento são docentes (alguém tem que organizar o conhecimento para os outros: inicialmente isso era feito para organizar o conhecimento para o comando, para que os chefes pudessem tomar a melhor decisão estratégica, mas num mundo de redes mais distribuídas do que centralizadas isso não tem o menor sentido).

Eu me contentaria, por enquanto, com um sistema de busca um pouco melhor.

Raciel Gonçalves Junior disse:

Augusto,

 

A propósito, entendo que não devemos culpar a Plataforma NING pelas dificuldades operacionais que encontramos ao utilizarmos o sistema de busca. No meu entendimento (não é a minha área) devemos sim culpar a nossa desatenção com o "SEO" (Search Engine Optimization) já que não valorizamos ou não damos a devida atenção ao correto preenchimento das TAGS.

Entendo que seria interessante uma aulinha sobre essa matéria, o que você acha?

Particularmente, gosto das orientações disponíveis em: http://www.otimizacaodesites.org/rankingdogoogle.html

 

 

[ ]'s,

 


Augusto de Franco disse:

É o diabo do Ning, Raciel. A gente não tem como achar as coisas e republica frequentemente conteúdos. Existem vários videos duplicados, por exemplo. A busca do Ning é muito ruim.

Augusto,

"...todos os sistemas de gestão do conhecimento são docentes (alguém tem que organizar o conhecimento para os outros:...)", não obstante, se imaginarmos que estamos usando a mídia social (no caso específico a E_R) para organizar o conhecimento para nós mesmos, então se cada um fizer a sua parte direitinho, então teríamos o todo bem organizado, o que permitiria uma busca eficiente e a (re)organização no espaço que hoje dividimos, certo?

Concordo que as tags poderiam ser parte de um sistema mais inteligente que nos apresentasse as pessoas e o conhecimento de uma forma que facilitasse encurtar o caminho, mas por outro lado, temos que considerar que encurtar o caminho não significa encontrar e colher do melhor.

Particularmente, gosto de navegar no mundo virtual a partir de algumas referências, sem destino, e descobrir novas ideias e ideais...

[ ]'s,

 

 


Augusto de Franco disse:

Acho bom, Raciel. Mas o tagueamento só fica inequívoco quando o número de pessoas tagueando é muito grande. Uma alternativa a isso é fazer uma lista (predeterminada) de tags, o que é ruim por motivos óbvios. A outra alternativa é dar aula para o pessoal aprender a taguear, o que é ruim também, além de impraticável (quando o número de pessoas é muito grande, mas não tão grande para corrigir bottom up o tagueamento equívoco).

Na verdade, o sistema de busca do Ning é ruim mesmo. A começar pela resposta que fornece (uma página de coisas inúteis em cada output).

Muitos criticam o Ning por não ter um bom sistema de gestão do conhecimento. Mas sabemos que quem organiza o conhecimento é a busca e na falta de uma busca semântica ficamos assim entre o cruz e a caldeirinha: todos os sistemas de gestão do conhecimento são docentes (alguém tem que organizar o conhecimento para os outros: inicialmente isso era feito para organizar o conhecimento para o comando, para que os chefes pudessem tomar a melhor decisão estratégica, mas num mundo de redes mais distribuídas do que centralizadas isso não tem o menor sentido).

Eu me contentaria, por enquanto, com um sistema de busca um pouco melhor.

Raciel Gonçalves Junior disse:

Augusto,

 

A propósito, entendo que não devemos culpar a Plataforma NING pelas dificuldades operacionais que encontramos ao utilizarmos o sistema de busca. No meu entendimento (não é a minha área) devemos sim culpar a nossa desatenção com o "SEO" (Search Engine Optimization) já que não valorizamos ou não damos a devida atenção ao correto preenchimento das TAGS.

Entendo que seria interessante uma aulinha sobre essa matéria, o que você acha?

Particularmente, gosto das orientações disponíveis em: http://www.otimizacaodesites.org/rankingdogoogle.html

 

 

[ ]'s,

 


Augusto de Franco disse:

É o diabo do Ning, Raciel. A gente não tem como achar as coisas e republica frequentemente conteúdos. Existem vários videos duplicados, por exemplo. A busca do Ning é muito ruim.

Olá Raciel e Augusto,

Apenas para lembrar que o "Pesquisar Escola de Redes" do Ning baseia-se muito mais em conteúdos (título e corpo de texto) do que em tags...

[já comentei isso aqui: http://escoladeredes.ning.com/xn/detail/2384710:Comment:68220]

E ainda bem! Isso porque o Ning não permite o "tagueamento" em comentários, que é onde se dá boa parte [senão a maior parte] das discussões aqui na E=R, sejam em fóruns, grupos, publicações de blogs ou mesmo em páginas de eventos.

Vejam, acabei de fazer num exercício simples:
Busquei por "transformação" nas publicações de blog, pois eu postei em março/2009 uma publicação - Princípios Educacionais e Mudança de Paradigmas - na qual incluí esse termo como "tag". Como resultados da busca retornaram 50 itens em 3 pgs e minha publicação apareceu no final da pg 2. Contudo, ao clicar no termo "transformação" das tags da minha publicação, descobri que essa é a única marcada com esse termo dentre todas publicadas na E=R...

Acho que estamos bem aquém de equacionar o problema simplesmente fazendo nossa "parte direitinho" :)

Abraços, luiz cjr.

Taí. É isso, Luiz e Raciel.

Olá, Luiz!

 

Beleza! Dei uma "olhadinha" lá no NING Creators e estão tratando do assunto como "BUG"... Confesso que não fui fundo na leitura, mas é um assunto que irei estudar... O que eu acompanhei por lá está em http://creators.ning.com/forum/topics/bug-in-blog-metadata?id=42442...

 

[ ]'s,

 

Luiz de Campos Jr disse:

Olá Raciel e Augusto,

Apenas para lembrar que o "Pesquisar Escola de Redes" do Ning baseia-se muito mais em conteúdos (título e corpo de texto) do que em tags...

[já comentei isso aqui: http://escoladeredes.ning.com/xn/detail/2384710:Comment:68220]

E ainda bem! Isso porque o Ning não permite o "tagueamento" em comentários, que é onde se dá boa parte [senão a maior parte] das discussões aqui na E=R, sejam em fóruns, grupos, publicações de blogs ou mesmo em páginas de eventos.

Vejam, acabei de fazer num exercício simples:
Busquei por "transformação" nas publicações de blog, pois eu postei em março/2009 uma publicação - Princípios Educacionais e Mudança de Paradigmas - na qual incluí esse termo como "tag". Como resultados da busca retornaram 50 itens em 3 pgs e minha publicação apareceu no final da pg 2. Contudo, ao clicar no termo "transformação" das tags da minha publicação, descobri que essa é a única marcada com esse termo dentre todas publicadas na E=R...

Acho que estamos bem aquém de equacionar o problema simplesmente fazendo nossa "parte direitinho" :)

Abraços, luiz cjr.

RSS

© 2019   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço