Escola de Redes

Compartilhadores de formas pós-religiosas de espiritualidade com outras pessoas que se dispõem a celebrar suas amorosidades e a polinizar mutuamente os modos pelos quais vivem sua mística.

PRIMEIRA ESCOLHA

Carlos Diego (1a Opção)

Augusto de Franco (2a Opção)

Ariolino Azevedo (2a Opção)

Camila Haddad (2a Opção)

Rosângela Correa (2a Opção)

FLUXOS

- espaços para repensar/redescobrir o feminino - Camila Haddad

- Yoga / Budismo - linhagem Sakya - Carlos Diego

- materialidade - Augusto de Franco

- vivência do sagrado em rede - Giovanni Bianco

- couching/transformação "pessoal" - Giovanni Bianco

- encontro a jornada do eu herói - Gui Neves

DESEJOS

- espaços para repensar/redescobrir o feminino - Camila Haddad

- [futuro] o que aparecer sincronicamente - Carlos Diego

- fazer meditações coletivas - Fernando Baptista

- vivência do sagrado em rede - Giovanni Bianco

- fluir o fluxo como transcendência do ego - Giovanni Bianco

- um veleiro - Daniel Nobre

- retomar práticas espiritualistas; meditação - Rosângela Correa

- tradução/exibição do documentário Fierce Light - Gui Neves

- festival de cinema do despertar - Gui Neves

- desejo fluir - Ana Paula Peron

- pajelança - Carla Ferro

- coletivo de estudos sobre o feminino - Giovana Andrade de Camargo

Exibições: 98

Respostas a este tópico

Como eu não fui no primeiro dia, coloco aqui meus:

Fluxos: o que você está fazendo agora?

Fazendo entrecruzamentos entre saúde (homeopatia e cia)/ ciência (história da ciência)/ fluxos de informação (aprendizagem)/ arte e cultura / espiritualidade (ética e inteligência espiritual)

Desejos: o que você quer fazer ano que vem?

Desenvolver a inteligência espiritual (ética e acolhimento) em grupos que atuam com saúde e aprendizagem e fazer curadoria/gestão/produção de conteúdo em espaços na WEB.

E este grupo seria minha 1a (primeira) opção.

 

Carlos Diego escreveu lá no Etherpad Espiritualidade [https://pad.riseup.net/p/e62X0Y8BIPMX] e eu trouxe pra cá...
"# Minhas anotações mentais, o que eu escrevo depois destes dois dias presenciais entorno do tema. Hoje o tema esquentou :)
Você está preparado para o vazamento(fluir) em sua espiritualidade?
- tudo vai fluir, isso significa também seus sentimentos e necessidades
- todas as verdades, a cada observador e a cada religare pessoal. Há visões e cada qual tem sua base (seu eu), seus mitos e suas redes mais próximas de contato.
A espiritualidade no mundo distribuído em rede é seu único espaço e refúgio garantido anti-distribuição: mesmo que tudo seja claro e conectado por fora (ouonde você esteja submerso) você poderá se esconder na escuridão de seu próprio ponto gerador de conectividade.
- tudo que pode vazar - arquivos, segredos, esquemas, falhas e ritos
- não há monopólio do sacerdócio ou expropriação do ato divino em um cenário de liberdade de exercício espiritual de conexões. 
A espiritualidade pode se dar sem a relação, interação. Há o ermitão.
É uma sequência de bomba-fluzz quando em grupos, clusters, quando tem referência distribuída na experiência.
Espiritualidade pode ser bem expressa como ensina a comunicação não-violenta: qual sua necessidade? qual seu sentimento perante um feedback à sua necessidade?
A espiritualidade tratará de sentimentos perante a materialidade. Enquanto teve a tendência de tratar dos fenômenos ditos do além, superiores e divinos, a espiritualidade da materialidade trata de percepções sutis do cotidiano vínculo do contato.
A experiência do contato e vínculos pode ganhar novas sensações dado que consciente o fenômeno do encontro. Sei que clusterizo, sei que enxameio. Sei que clono e sei que chegarei mais perto do Outro a cada novo encontro.
Sentir felicidade no encontro com o sagrado em um cluster repleto de fortes conexões e afinidades é divindade. Sentir felicidade em caminhar junto ao enxame é percepção da divindade. (interessante)
Vivemos num mundo intermediado, mediado, midiático. É interessante levar sempre em consideração a possibilidade de investigação das expressões de espiritualidade de cada pessoa, naquela que está emergindo em tempos de enxames.
Intermediados por muros, seleção/fração na rede obstruída fisicamente do contato e limitante da relação direta interpessoal.
A nova sensação de liberdade espiritual pressupõe desvencilhar a mente, o olhar, e manter muros intactos? 
A espiritualidade da materialidade é a nova política para o eu.
O observador altera o observado. A espiritualidade é em si sobre si, é alterar-se iterativamente - repetidamente - onde não há interação necessária. É raridade em existência no campo social, é possibilidade de ainda inalterado no humano.
Há espiritulidade peaceblock?"
[aqui é mais fácil de interagir!]
Maria Thereza escreveu lá no Etherpad Espiritualidade [https://pad.riseup.net/p/e62X0Y8BIPMX] e eu trouxe pra cá...
"Uma questão minha [maria thereza] - o que seria uma experimentação relevante na confluência do tema 'espiritualidade' e do "NEXT é um programa de investigação-aprendizagem sobre a transição de hierarquia para rede" (e pensando em "ESPIRITUALIDADE | Compartilhadores de formas pós-religiosas de espiritualidade com outras pessoas que se dispõem a celebrar suas amorosidades e a polinizar mutuamente os modos pelos quais vivem sua mística.")?
E eu diria que "a espiritualidade da materialidade é a aceitação da divindade que está em cada um/que cada um é" e também que é a aceitação de que a espiritualidade faz parte do dia a dia, é (deveria ser) ordinária, não extraordinária.
Eu estou colocando minhas "mexeções" em um texto neste endereço no Google Drive (me sinto mais a vontade para mexer no texto dos outros em um outro local):https://docs.google.com/document/d/13fS5FAy115thZLAKFLT2-SlAMxAK7Pv..."
[aqui é mais fácil de interagir!]

A conversa sobre a apresentação do grupo "Convivências glocais + Espiritualidade" vai estar aqui:

http://escoladeredes.net/group/fluxonet/forum/topics/apresenta-o-do...

RSS

© 2018   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço