Escola de Redes

Resumo do livro de Pierre Lévy, La sphère sémantique - Tome 1, Computation, cognition, économie de l'information, Hermès, 2011, by Réda Benkirane in http://www.archipress.org.

Dois tweets de Pierre Levy (@plevy) em 01/12/2011, elogiando o resumo feito por Réda Benkirane (@Ba_Reda) do seu livro La sphère sémantique (2011):

 Bravo! Je suis sincèrement épaté par la précision et la concision de ton compte rendu du tome 1 de La sphère sémantique!

Merveilleux résumé de mon livre "La sphère sémantique" par  

Segue abaixo uma tradução feita colaborativamente por ana.amelia.brasileiro (com uma ou outra revisão pontual):

1. Segundo seu princípio interno, a esfera semântica é leibniziana, ou seja, perspectivista e monadológica (Monadologia, § 56).

2. Segundo seu princípio externo, a esfera semântica é deleuzeana, ou seja, em reterritorialização permanente, rizomática. Agregação fractal.

3.  Do ponto de vista de sua verticalidade, a esfera semântica é aviceniana: intelecto agente, nuvem angélica de signos que é a soma dos uns/daqueles in(di)visíveis.

4. Do ponto de vista da horizontalidade, a esfera semântica é teillardiana: noosfera em emergência, inteligência em enxame. Propriedade coletiva.

5. Em seu princípio ativo, a esfera semântica produz o sentido do sentido por cálculo: sua razão é algorítmica.

6. Em seu princípio passivo, a esfera semântica procede de uma automação cognitiva. Uma maquinaria percorre a paisagem dos signos para territorializar as paisagens mentais, balisá-las em sinais de pensamento.

7. A forma esférica remete à membrana pensante e comunicante da humanidade que recobre o globo terrestre por cabo, fibra, antena, satélite interpostos. Envolvimento/Abarcamento.

8. A dimensão semântica é aqui tomada no seu sentido originário de “técnica dos sinais”: se inventa no lançamento um simbolismo novo transfigurado em uma signalética calculadora/calculatória. Sentido e potência.

9. A esfera semântica é o encerramento evolutivo e emergentista de fulgurações se produzindo a cada microssegundo no seio da membrana Web: estas fulgurações são idéias infinitesimadas pela comunicação ubiquitária/ubíqua.

10.   A esfera semântica abarca o conjunto das conversações criadoras queimando/fervilhando no seio da Membrana; ela ordena os detalhes e motivos; ramifica séries e pares/sequências de signos para que emerja a Complexidade do sentido.

11.   A esfera semântica apresenta/deixa-transparecer as diferentes escalas de complexidade da humanidade pensante e comunicante: ela se remete a um metanível, ou seja, a uma epistemologia transcultural, transdisciplinar. A hipercomplexidade ao mesmo tempo unifica e diferencia as humanidades dentro da Humanidade.

12.   A esfera semântica é o principal regime de produção do sentido de uma inteligência coletiva, conectiva, cognitiva. Entendimento meta-humano do que o humano pode significar sobre o plano info-tecno-lógico.

13.   Esta inteligência coletiva, conectiva e cognitiva escapa a todo controle, todo poder, toda autoridade pelo poder massivamente paralelo do Grande Espírito da Humanidade.

14.   A filosofia da informação da esfera semântica verifica o postulado (meta)físico do (B)it, 'It from Bit', ou seja, que tudo “isso” deriva de um fio ou de um fragmento de informação.

15.    A esfera semântica não é uma biblioteca, um estoque, um reservatório; ela é Fluxo.

16.   A esfera semântica, conversação infinita de milhões de indivíduos, exprime, segundo uma nova tecnologia e uma outra teologia da escrita, a humanidade da Humanidade.

Réda Benkirane

Original

Principes de la Sphère sémantique

Pierre Lévy, La sphère sémantique - Tome 1, Computation, cognition, économie de l'information, Hermès, 2011.

  1. Sel on son principe interne, la sphère sémantique estleibnizienne, c’est-à-dire perspectiviste et monadologique (Monadologie, § 56).

  2. Selon son principe externe, la sphère sémantique estdeleuzienne, c’est-à-dire en reterritorialisation permanente, rhizomatique. Agrégation fractale.

  3. Du point de vue de sa verticalité, la sphère sémantique estavicennienne: intellect agent, nuée angélique de signes qui est somme des uns in(di)visibles.

  4. Du point de vue de son horizontalité, la sphère sémantique estteilhardienne: noosphère en émergence, intelligence en essaim. Propriété collective.

  5. Dans son principe actif, la sphère sémantique produit le sens du sens par calcul : sa raison est algorithmique.

  6. Dans son principe passif, la sphère sémantique procède d'une automation cognitive. Une machinerie parcourt le paysage des signes pour territorialiser des paysages mentaux, les baliser en signaux de pensée.

  7. La forme sphérique renvoie à la membrane pensante et communicante de l'humanité qui recouvre le globe terrestre par câble, fibre, antenne, satellite interposés. Enveloppement.

  8. La dimension sémantique est ici rendue à son sens originaire de « technique des signaux » : s'invente dans la lancée un symbolisme nouveau transfiguré en une signalétique calculatoire. Sens et puissance.

  9. La sphère sémantique est l'aboutissement évolutif et émergentiste de fulgurations se produisant à chaque microseconde au sein de la membrane Web: ces fulgurations sont des idées infinitisées par la communication ubiquitaire. 

  10. La sphère sémantique embrasse l'ensemble des conversations créatrices bruissant au sein de la Membrane; elle ordonne les détails et motifs, ramifie séries et suites de signes pour qu'émerge la Complexité du sens.

  11. La sphère sémantique donne à voir les différentes échelles de complexité de l'humanité pensante et communicante: elle renvoie à un métaniveau, c’est-à-dire une épistémologie transculturelle, transdisciplinaire. L'hypercomplexité à la fois unifie et différentialise les humanités dans l’Humanité. 

  12. La sphère sémantique est le principal régime de production de sens d'une intelligence collective, connective, cognitive. Entendement méta-humain de ce que l'humain peut signifier sur le plan info-techno-logique.

  13. Cette intelligence collective, connective et cognitive échappe à tout contrôle, tout pouvoir, toute autorité par la puissance massivement parallèle du Grand Esprit de l’Humanité.

  14. La philosophie de l'information de la sphère sémantique vérifie le postulat (méta)physique du (B)it, ‘It from Bit’, c'est-à.-dire que tout « ça » dérive d’un fil ou d'une bribe d'information. 

  15. La sphère sémantique n'est pas une bibliothèque, un stock, un réservoir; elle est Flux.

  16. La sphère sémantique, conversation infinie de milliards d'individus, exprime, selon une nouvelle technologie et une autre théologie de l’écriture, l’humanité de l’Humanité.

Réda Benkirane

Exibições: 730

Respostas a este tópico

Caro Augusto de Franco, será que poderia re-traduzir este fragmento. O que Pierry Lèvi afirma acima sobre isso:

5. Em seu princípio ativo, a esfera semântica produz o sentido do sentido por cálculo: sua razão é algorítmica.

6. Em seu princípio passivo, a esfera semântica procede de uma automação cognitiva. Uma maquinaria percorre a paisagem dos signos para territorializar as paisagens mentais, balisá-las em sinais de pensamento.

Trata-se de uma matemática complexa? Esta plataforma de modelagem já existe, sua linguagem é o logo, e afinal o que seria a paisagem de signos, muito vago o emprego semântico (seria qualquer objeto no mundo exterior?)

Vamos perguntar ao Pierre Levy, Ricardo. Ele está aqui na Escola-de-Redes! Abs.

Ricardo Freitas disse:

Caro Augusto de Franco, será que poderia re-traduzir este fragmento. O que Pierry Lèvi afirma acima sobre isso:

5. Em seu princípio ativo, a esfera semântica produz o sentido do sentido por cálculo: sua razão é algorítmica.

6. Em seu princípio passivo, a esfera semântica procede de uma automação cognitiva. Uma maquinaria percorre a paisagem dos signos para territorializar as paisagens mentais, balisá-las em sinais de pensamento.

Trata-se de uma matemática complexa? Esta plataforma de modelagem já existe, sua linguagem é o logo, e afinal o que seria a paisagem de signos, muito vago o emprego semântico (seria qualquer objeto no mundo exterior?)

Desculpe a obrigação quanto a resposta caro Augusto. Estou lendo alguns escritos seus especialmente os modelos mentais, redigido em 2009. É bem verdade que ele nos acompanha desde o nascimento, eles na verdade indiretamente são úteis para uma vasta área de conhecimento.

RSS

© 2017   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço