Escola de Redes

CONSERVAÇÕES... 2 - MUDANÇA CULTURAL

Clique aqui para ler o capítulo anterior

[][][]

Se uma cultura, como modo humano de vida, é uma rede fechada de conversações, ela surge logo que uma comunidade humana começa a conservar uma rede especial de conversações como a maneira de viver dessa comunidade. Por outro lado, desaparece ou muda quando tal rede de conversações deixa de ser preservada.

Dito de outra forma: uma cultura - na qualidade de rede particular de conversações - é uma configuração especial de coordenações de coordenações de ações e emoções (um entrelaçamento específico do linguajear com o emocionar). Ela surge quando uma linguagem humana começa a conservar, geração após geração, uma nova rede de coordenações de coordenações de ações e emoções como sua maneira própria de viver. E desaparece ou se modifica quando a rede de conversações que a constitui deixa de se conservar. Assim, para entender a mudança cultural devemos ser capazes de caracterizar a rede fechada de conversações que - como prática cotidiana de coordenações de ações e emoções entre os membros de uma comunidade específica - constituem a cultura que vive tal comunidade. Devemos também reconhecer as condições de mudança emocional sob as quais as coordenações de ações de uma comunidade podem se modificar, de modo a que surja nela uma nova cultura.

[][][]

Clique aqui para continuar lendo

Comentar

Você precisa ser um membro de BIBLIOTECA HUMBERTO MATURANA para adicionar comentários!

Comentário de Iris Cristina Barbosa Cherubini em 19 dezembro 2013 às 12:11

A tempo, quando digo, " não consigo conceber que os modos de produção NÃO.....

Comentário de Iris Cristina Barbosa Cherubini em 19 dezembro 2013 às 12:09

A perspectiva de Maturana nos leva a entender que a cultura se constrói num processo emocional, contido nas várias formas de conversação. Porém, quando pensamos que a cultura toma um viés histórico, num processo político e econômico de determinado país, não consigo conceber que os modos de produção capitalistas interferem no processo cultural. Dessa maneira, do meu ponto de vista, compreendo o processo cultural como sendo um "apêndice" das ideologias políticas, presentes nos formatos de sociedade. Ou seja, a cultura serve ao "poder", que ao ser concebido como tal, dicotomiza uma grande parte dos sujeitos sociais.  

© 2017   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço