Escola de Redes

Informação

Análise de Redes Sociais

Investigação de tecnologias e metodologias para a análise de redes sociais

Membros: 351
Última atividade: 9 Jun, 2016

Fórum de discussão

Quem é você e por que entrou neste grupo? 90 respostas 

Iniciado por Ronaldo Richieri. Última resposta de Fatima rosane silveira souza 8 Jan, 2014.

ALGUÉM QUER ME AJUDAR ? COMO ORGANIZAR MAPEAR E ORGANIZAR MINHA REDE SOCIAL 15 respostas 

Iniciado por Fabio Ignácio. Última resposta de RODOLFO JOSE DE CAMPOS CURVO 24 Jul, 2012.

Dialogismo em Redes Descentralizadas: Distribuídas e Distributivas

Iniciado por Sergio Spritzer 18 Mar, 2012.

Caixa de Recados

Comentar

Você precisa ser um membro de Análise de Redes Sociais para adicionar comentários!

Comentário de Julia Andrade Ramalho Pinto em 7 junho 2011 às 12:30

:-( .... Estarei em Manaus na semana! Me avise quando montar o outro minicuro. Quero conhecer algumas ferramentas para diagnóstico de sistemas...

abs,

Julia

Comentário de Clara Pelaez Alvarez em 7 junho 2011 às 11:09

Oi Julia,

 

Tenho um curso já montado, mas preciso fazer acontecer.

 

No dia 14/06 (dia todo) vou dar um seminário na ABTD sobre isso.

http://portal.abtd.com.br/portal/340/eventos/detalhe/Desenhando-e-A...

 

Abraços

Comentário de Julia Andrade Ramalho Pinto em 7 junho 2011 às 10:59

Oi Clara você tem outro Minicurso de Análise de Redes Sociais em vista?

abs,

Julia

 

Comentário de Jaime Tak em 7 junho 2011 às 10:36
Clara, estou falando das mulheres porque vcs estavam falando dos motivos delas, os motivos masculinos para entrar no facebook são bem fúteis tb! heheh
Comentário de Clara Pelaez Alvarez em 7 junho 2011 às 10:19
Caramba Jaime! Que imagem fútil você pintou! he he
Comentário de Jaime Tak em 7 junho 2011 às 10:11
Olá Myriam, vivo em Atibaia no estado de São Paulo, cidade com um pouca mais de 120 mil habitantes. Entrei faz quinze dias no facebook para espionar e constatei que uns dez por cento da cidade está no facebook e a maioria mulheres, procurando se mostrar e se relacionar com as mesmas pessoas que conhecem na vida real. Os motivos bem femininos da vida real adentram e tendem no geral a ter continuidade no facebook: conhecer pessoas, namorar, mostrar-se feliz no casamento, ser bem sucedida, consumir e competir com outras mulheres.
Comentário de Myriam Zaluar Basilio em 7 junho 2011 às 5:44

Muito obrigada Clara, vou dar uma olhadela.

Jaime, que "motivos bem femininos"? Fiquei curiosa.

Comentário de Jaime Tak em 6 junho 2011 às 13:30
Clara e Myriam, acho que os homens entraram primeiro no facebook e as mulheres no geral foram atrás por vários motivos bem femininos!
Comentário de Clara Pelaez Alvarez em 4 junho 2011 às 10:51
Myriam, interessante essa tua hipótese de que as mulheres migraram em números maiores para as mídias sociais! Nunca li nada parecido.
Procurei nos meus alfarrábios, mas nada achei especificamente sobre isso. Pincei algumas coisas que talvez posssam te ajudar.... De qualquer forma, com apenas essas informações não estou conseguindo visualizar onde entraria uma análise relacional.
Veja se estes papers podem te ajudar em algo!
Posting, quoting and replying, a comparision of methodological approaches to mesure communication ties in web foruns
Munmun De Choudhury, Yu-Ru Lin, Hari Sundaram, K. Selçuk Candan,
Lexing Xie, Aisling Kelliher: How Does the Data Sampling Strategy
Impact the Discovery of Information Diffusion in Social Media? 
Blogosphere research issues, tools and applications 
Social Networks Analysis and Minning (este livro é bom)
Community detection and Minning in social media
Participatory Aggregation of qualitative information
Jornais sobre SNA
ACAD MANAGE J      
ADMIN SCI QUART    
ADV STRATEG MANAGE 
AIDS CARE          
AM J SOCIOL        
AM SOCIOL REV      
ANN TOURISM RES    
ANNU REV INFORM SCI
ANNU REV SOCIOL    
ASIAN J SOC PSYCHOL
BEHAV INFORM TECHNOL
BRIT J POLIT SCI   
CAN J CRIMINOL CRIM
CHILD DEV          
COMMUN RES         
COMMUN THEOR       
CRIMINOLOGY        
DEV CHANGE         
EDUC EVAL POLICY AN
ENTREP REGION DEV  
ENTREP THEORY PRACT
ENVIRON PLANN A    
ENVIRON PLANN B    
EUR J PERSONALITY  
EUR PLAN STUD      
EUR SOCIOL REV     
EVAL PROGRAM PLANN 
GLOBAL NETW        
GROUP DYN-THEOR RES
GROUP ORGAN MANAGE 
HEALTH EDUC RES    
HUM RELAT          
IEEE T PROF COMMUN 
IND CORP CHANGE    
INFORM RES         
INFORM SYST RES    
INT J DRUG POLICY  
INT J HUM RESOUR MAN
INT J IND ORGAN    
INT J RES MARK     
J AGING HEALTH     
J AM SOC INF SCI TEC
J APPL COMMUN RES  
J APPL PSYCHOL     
J BUS ETHICS       
J BUS VENTURING    
J COMPUT-MEDIAT COMM
J CONFLICT RESOLUT 
J ECON BEHAV ORGAN 
J ECON THEORY      
J ENG TECHNOL MANAGE
J ETHN MIGR STUD   
J EVOL ECON        
J INFORMETR        
J LEISURE RES      
J MANAGE           
J MATH SOCIOL      
J ORGAN BEHAV      
J PEACE RES        
J POLIT            
J POLIT ECON       
J WORLD BUS        
JAVNOST-PUBLIC     
KOLNER Z SOZIOL SOZ
MANAGE SCI         
MATH SOC SCI       
MOBILIZATION       
ORGAN BEHAV HUM DEC
ORGAN SCI          
PERS INDIV DIFFER  
PERS RELATIONSHIP  
POLICY STUD J      
PREV SCI           
PROF INFORM        
R&D MANAGE         
RATION SOC         
REG STUD           
RES NURS HEALTH    
RES POLICY         
REV FR SOCIOL      
SCIENTOMETRICS     
SEX ROLES          
SMALL GR RES       
SOC BEHAV PERSONAL 
SOC FORCES         
SOC INDIC RES      
SOC NETWORKS       
SOC PSYCHOL QUART  
SOC SCI MED        
SOC SCI RES        
SOCIOL EDUC        
SOCIOL METHOD RES  
SOCIOL PERSPECT    
SOCIOL REV         
SOCIOLOGY          
STRATEGIC MANAGE J 
SYST PRACT ACT RES 
TECHNOL FORECAST SOC
TELECOMMUN POLICY  
THEOR SOC          
TIJDSCHR ECON SOC GE
WORLD DEV          
Comentário de Myriam Zaluar Basilio em 4 junho 2011 às 6:07
Penso que um dos métodos que utilizarei quase de certeza será a criação de grupos focais na própria rede (facebook)
 

Membros (349)

 
 
 

© 2017   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço