Escola de Redes

Mais um tema que proponho para o Open Space da #CIRS, agora bastante ampliado numa perspectiva caórdica (quer dizer: temos mais temas do que lugares e horários, mas a nossa criatividade arranjará tudo, duvidam?).

Então vamos lá. O novo tema é o seguinte: Procura-se parceiros para um novo negócio em rede. Então quem tiver idéia de um novo negócio, de um novo empreendimento, terá alguns minutos para expor sua proposta. Os que acharem a proposta interessante logo se agrupam e vão arrumar um lugar para conversar sobre o negócio. E daí pode surgir uma sociedade para implementar a idéia. E, quem sabe, até um financiador (por exemplo, algumas grandes empresas de alta tecnologia estarão presentes).

Que tal?

Exibições: 1085

Respostas a este tópico

Olá Augusto, você poderia dar um exemplo por favor? Só para se ter uma idéia sobre o que realmente se trata, para mim ficou meio vago, obrigado!
Trata-se do seguinte, Wellington. Você tem idéia de fazer uma coisa qualquer, um empreendimento empresarial, por exemplo. Aí você chega lá - no grupão dos que estão interessados em novos negócios - e diz assim: "Pessoal, tenho aqui uma idéia de fazer um computador que se ligue a outros computadores por meio de uma onda de rádio que ele mesmo emitirá" (hehe, um exemplo ousado, não?). Aí lá tem um cara da IBM que diz: "Ué!, que idéia bacana! Vamos conversar". E tem outro cara que diz: "Xiii, também pensei nisso, mas encontrei tais e tais dificuldades". E tem outro ainda que diz: "Ora, lá no Porto, fulano está tentando fazer isso para montar uma rede local P2P independentemente da Internet e seus protocolos e sua estrutura física etc.". Bem, aí esses interessados se reúnem para conversar. O que pode ter continuidade ou não.

Mas esse é só um exemplo, meio caricatural (pois os desafios tecnológicos envolvidos são enormes). Poderia dar outro exemplo, mais fácil e factível: você tem idéia de fazer uma plataforma web cujas funcionalidades sejam capazes de mapear a rede social de uma organização. Aí você propõe. Aí...

Entendeu?
Hummm.... Eu tenho um novo negócio para propor! Quero participar desta discussão!
ótima idéia!
Hehe, sim, agora tenho certeza do que se trata, eu só queria ter certeza de que havia compreendido a proposta.

Meu caro, irei sociabilizar com uns amigos e quem sabe uma de nossas idéias loucas ressurgem e aí trocamos figurinha....

gracias, abraços!
desde que não seja venda de tupperware ou amway, tô dentro! :)
Hehe, e se for venda de cigarro picado, daquelas réplicas fabricadas no Paraguai, Marcelo?

Marcelo Estraviz disse:
desde que não seja venda de tupperware ou amway, tô dentro! :)
Gostei. Estou lendo Wikinomics e vejo que é uma boa oportunidade de observar e experimentar os princípios da produção colaborativa e compartilhada. Acho que o tema/desafio vai articular uma comunidade bem diversificada de pessoas. Estou junto. ;-)
Tenho uma dúvida em relação aos cursos q vão acontecer CIRS: há inscrição prévia?

abraços
Antes havia inscrição prévia para os cursos, Vivi. Agora não há mais, pois não tem como manter turmas de 60 alunos com tanta procura. Então a solução vai ser ir para um lugar grande e fazer lá. Abs.

Vivianne Amaral disse:
Gostei. Estou lendo Wikinomics e vejo que é uma boa oportunidade de observar e experimentar os princípios da produção colaborativa e compartilhada. Acho que o tema/desafio vai articular uma comunidade bem diversificada de pessoas. Estou junto. ;-)
Tenho uma dúvida em relação aos cursos q vão acontecer CIRS: há inscrição prévia?

abraços
Otima proposta pessoal!

Me identifico muito com o pessoal com perfil empreendedor!
Estou pensando em montar uma empresa pra trabalhar com desenvolvimento de sistemas utilizando RFID para gerir produtos..

Alguem tem alguma ideia parecida??

Forte Abraco!

Osvaldo Gehm
Olá
Não tenho como ir à CIRS, pois vivo em Portugal e não tenho o tempo e os meios, mas tenho uma ideia bacana. Trata-se do seguinte: quando você viaja para um lugar distante, ter lá um amigo ou amiga, faz toda a diferença, não é? Você é orientado/a para conhecer o melhor que o lugar tem, sem perder tempo procurando, nem se limitando ao chamado 'pacote turístico'. Bem, um dia destes eu vou montar uma rede social online para permitir resolver este problema e os custos inerentes à animação da rede vão ser suportados por operadores turísticos alternativos (os operadores 'mainstream' já têm os seus circuitos de prato de mel para apanhar moscas, eh, eh).
Bem, se alguém pegar esta ideia, quem sabe a rede não se tornará, um dia, transatlântica!
Abraços,
Pedro
Olá tod@s
O que vimos estudando por aqui é em relação aos padrões subjacentes às nossas moradias e estilos de vida, um determinando o outro e ambos reproduzindo velhos padrões insustentáveis. Uma vez que buscamos por um modo de vida e produção sustentáveis, os padrões devem ser outros - se os padrões não mudam, as coisas continuam como tem sido há séculos!
Aqui na Escola de Redes estamos superando o padrão linear para o de rede, por exemplo. E diferentes padrões estamos buscando aqui para nossas casas, mais sustentáveis, casas ecológicas e habitats sustentáveis (terreno em torno da casa) como chamamos.
Com padrões diferentes para nossas casas, tb nosso modo de vida vai-se modificando em acordo com os novos padrões. Várias casas ecológicas e habitas sustentáveis interconectados em rede, gerando novos padrões socioculturais e assim, nos aproximando de Comunidades Sustentáveis, é aonde queremos chegar. Em outras palavras, assentamentos humanos que estejam em harmonia e equilíbrio com os processos da vida planetária. O que exige que pensemos nesses assentamentos em termos de padrões estabelecidos pela vida e não pela economia tradicional.
Claro que isso tudo não inviabiliza o lucro, o econômico, o financeiro, mas os colocam em um lugar que não é o topo da pirâmide. Na visão da pirâmide, se o dinheiro está no topo, então todo restante está abaixo. Está aí uma das raízes principais dos problemas que enfrentamos hoje: se o dinheiro está acima, a vida, a ética, o social, o ambiental, etc, estão abaixo. A maximização do lucro como padrão do curto prazo, inviabiliza a vida no médio e longo prazos. Por outro lado, a vida como padrão, não inviabiliza o lucro, mas o coloca em seu devido lugar.
Essas idéias estamos transformando em negócios e parceiros são muito mais que bem vindos e desejados!!!
Encontramos sintonia com essa proposta?
Abs

RSS

© 2019   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço