Escola de Redes

ESCOLA-DE-REDES CHEGA A 11 MIL PESSOAS CONECTADAS

A escola-não-escola chamada Escola-de-Redes (E=R significa: a escola é a rede) tem agora 11.005 pessoas conectadas. Atenção: o site da rede não é a rede. O número de pessoas registradas em uma plataforma não é um indicador de interação, mas dá uma medida de conexão. A plataforma da E=R tem, provavelmente, o maior acervo sobre redes já reunido. Sem falar no acervo de conversas (uma pessoa gastará mais de um mês para ver tudo). Confira: http://escoladeredes.net

Veja abaixo um pequeno histórico:

Atingimos na manhã de 23 de fevereiro de 2009 a marca de 1 mil conectados. E na noite de 19 de julho de 2009, a marca de 2 mil conectados. E na tarde de 04 de janeiro de 2010, a marca de 3 mil conectados. E na manhã de 04 de março de 2010, a marca de 4 mil conectados. E ao meio dia de 22 de julho de 2010 a marca de 5 mil conectados. E na manhã de 10 de março de 2011 a E=R atingiu 6 mil pessoas conectadas. E ao meio dia de 28 de setembro de 2011, 7 mil pessoas conectadas. E às 15h00 de 28 de agosto de 2012 a E=R alcançou 8 mil pessoas conectadas. E às 07h00 de 15 de julho de 2013 a E=R completou 9 mil pessoas conectadas. E completou 10 mil pessoas conectadas às 20h00 de 08 de abril de 2014. E na madrugada de 19 de maio de 2015, chegou à 11 mil pessoas conectadas.

Quase sete anos depois, está chegando a hora de fazer algumas mudanças mais radicais. Este será um tema para a conversação (para quem quiser conversar sobre isso, naturalmente).

1 - Se você pudesse fazer apenas uma mudança nesta plataforma da E=R, que mudança você sugeriria?

2 - Entendendo que o site da rede não é a rede, que sugestões você daria para o netweaving na Escola-de-Redes?

Exibições: 399

Responder esta

Respostas a este tópico

A E=R vai bem. Para ir melhor, sem imitar uma organização hierarquizada e autoritária, só depende de cada um. Tenho divulgado a E=R para pessoas que eu considero estar procurando por ela, mas acho que apenas falar não dá resultados. A informação se perde no turbilhão. Vou mostrar o que a E=R tem e já realizou para os meus amigos, um por um, com apoio de um projetor. É o mínimo que posso fazer. Isso também será um aprendizado, porque a esperança que tenho é a de que muitos cidadãos e cidadãs estejam doando no futuro algum tempo de sua vida para o interesse coletivo. A política para os amadores! Podemos fazer!
Manter um balanço atualizado daquilo que já aconteceu é facilitador da divulgação.

Bom dia,

Caro Augusto franco, eu entendo pouco de redes - embora seja uma abelha no enxame - o tempo não me dá tempo para o poder aprofundar aqui, até porque, e com todo o respeito, o site parece se fechar num circulo restrito a um certo padrão, direi intelectual, com algumas regras, status, etc. Gostei mais da sua ação no 'Café Filosófico" (onde o conheci pela primeira vez) e no CO.MO.VER, foi bem sucinto e deixou tudo bem claro para um leigo como eu no assunto. Daí, e se bem entendi, a rede não gosta de ser muito teorizada, ela gosta de acontecer livremente. Consciência coletiva.

Zumbiu a abelhinha no turbilhão...

Pois é. Mas o site aqui não é conduzido por mim. As regras básicas de funcionamento existem há quase 7 anos, assim como o propósito. É uma plataforma de uma rede de investigação. Portanto, é para teorizar mesmo. Não se fecha (tanto que todo dia entram novas pessoas). Mas não é uma escola. É uma rede.

Resposta 1: Mudaria o layout da página para algo mais moderno e funcional.
Resposta 1: Estimularia a promoção de encontros regionais da rede no estilo dos que já acontecem no sul do País.

1 - indicadores qualitativos das propostas da E=R, mencionadas na home-page.

2 - pilotos e simulações de monitoramento de ações políticas e sociais como vereadores, temas de bairros, regionais e nacionais (diminuição da maioridade, voto distrital, etc)

Responder à discussão

RSS

© 2018   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço