Escola de Redes

CONSOLIDADO DE TODOS OS TEXTOS DA BIBLI.E=R

BIBLIOTECA E=R (WORD 4SHARED) | BIBLIOTECA E=R (PDF 4SHARED)

BIBLIOTECA E=R (WORD MEDIAFIRE) | BIBIOTECA E=R (PDF MEDIAFIRE)

BIBLIOTECA E=R (WORD MULTIUPLOAD) | BIBLIOTECA E=R (PDF MULTIUPLOAD)

||

O acervo da E=R, com cerca de 830 textos para download da BIBLI.E=R está ameaçado. Esses livros e artigos foram reunidos pacientemente durante 3 anos, por vários conectados e conectadas à Escola-de-Redes e hoje talvez seja a maior biblioteca virtual de publicações científicas sobre redes sociais e temas correlatos. Eles foram pendurados no site http://4shared.com porque a o aplicativo do Ning, em 2009, era muito lento e não funcionava corretamente.

||

Vejam a mensagem que recebi ontem da Equipe de Suporte do 4shared support@4shared.com e a minha resposta. De qualquer modo, estamos com um sério problema. Pois, pelo que percebi, basta uma pessoa qualquer - um desses tarados por copyright que fazem do aprisionamento do conhecimento o seu meio de vida e fonte de lucro entre com uma reclamação - para o 4Shared interpretar como "abuse" e bloquear a conta. Ou seja, não temos a menor garantia.

||

 

MENSAGEM DO 4SHARED (00h08 DE 05/01/12)

Olá
Recebemos uma reclamação de que você está violando os Termos de Uso da 4shared. Foram detectados em sua conta arquivos explícitos ou ilícitos. Esses arquivos foram marcados como abusivos e movidos para a pasta 'Abuso' em sua conta, e o acesso a esses arquivos foi desativado.
Ao utilizar o serviço 4shared, é proibido fazer o seguinte: 1. publicar, distribuir ou de qualquer outra forma disponibilizar ou transmitir, nenhum dado, mensagem, texo, arquivo, ou qualquer outro material que infrinja qualquer direito autoral de terceiros e/ou qualquer lei, norma ou regulamentação, nacional ou internacional, incluindo, mas não limitada à: 
a. direitos autorais, marca registrada, patentes, outros direitos de propriedade; 
b. direito a privacidade ou publicidade; 
c. todas as obrigações de confidencialidade. 
2. Publicar, distribuir ou disponibilizar de outra forma qualquer um software ou outros arquivos que contenham vírus ou outros componente danoso. 
3. Publicar, distribuir ou disponibilizar de outra forma qualquer material pornográfico ou ilegal.
4. Publicar ou transmitir qualquer conteúdo ilegal, doloso, ameaçador, abusivo, de assédio, difamatório, ou ofensivo, difamatório, ou de conteúdo étnico derrogatório ou racial, ou qualquer conteúdo que expresse ódio contra qualquer pessoa ou grupos de pessoas devido à raça, credo, religião, cor, origem ou orientação sexual.
Atenção!
Este é o ultimo email de notificação relacionado à sua atividade ilícita no 4shared.com.
Quaisquer outras atitudes de violação de sua parte determinarão o bloqueio definitivo de sua conta.
Facilite a sua presença no 4shared e faça jus a ela – não viole os Termos de Uso do 4shared!
Saudações cordiais, 
Equipe de Suporte do 4shared 
support@4shared.com

||

 

MINHA RESPOSTA (07h08 DE 05/01/12)

Para Equipe de Suporte do 4shared:

Pelo que vi a alegada violação se deveu à publicação dos seguintes textos:

Wikinomics de Tapscott_Williams postado em 2009-09-30
Maturana Entrevista para Humanitates em 2010-05-22
Achei estes textos na Web, já estavam publicados. Não digitalizei.
Tenho centenas de textos no 4Shared na mesma condição. Eles são materiais didáticos, sem fins lucrativos, usados pela Escola-de-Redes (http://escoladeredes.ning.com/).
A Escola-de-Redes é uma rede social de pesquisa, que utiliza uma plataforma Ning. Nada do que é feito lá tem fins comerciais.
Se amanhã surgir uma pessoa fazendo uma reclamação qualquer e vocês interpretarem como violação dos Termos de Uso, então todo o acervo da Escola-de-Redes se perderá?
Vocês estão entendendo, que em pleno século 21 não se pode tratar mais assim a questão da propriedade intelectual e do copyright?
Como uma pessoa pode saber se um texto encontrado na Web é lícito ou ilícito?
Sei que vocês estão pensando em se resguardar de processos, mas, neste caso, o aconselhável seria mudar de negócio. É óbvio que numa site desse tipo (4Shared) aparecerão muitos textos que não foram autorizados pelos que detêm os direitos patrimoniais sobre antigas edições em papel. E o Creative Commons, como é que fica?
Pensem nisso.
E não escrevam mensagens como a que enviaram abaixo [aqui acima], pois elas são ofensivas a pessoas que não violaram lei alguma e estão trabalhando pro bono para o progresso da ciência.
Por outro lado, vocês também não podem avaliar corretamente quais são as consequências desse ato de bloqueio, se a ameça for concretizada. Vocês não sabem como a repercussão disso se propagará pela rede. Na balança custo-benefício talvez saia mais caro para vocês fazer isso.
Analisar caso a caso as situações - e não ter uma regra geral, sempre burra - é a melhor política.
No caso concreto, os textos de Tapscott-Williams estão espalhados pela Internet. E a entrevista de Maturana para Humanitates não é um produto tipicamente comercial. Creio que Maturana, que conheço, nada recebeu por essa entrevista e também creio que ele concordaria com minha avaliação.
Atenciosamente,
Augusto de Franco
Criador da Escola-de-Redes
||
Bem... pelo visto isso não terá um bom desfecho, pelos motivos que já apontei acima. Então temos que pensar rapidamente o que vamos fazer. Tenho backup dos arquivos. Eles estão espalhados em três máquinas diferentes. Fazer o upload de todos eles em outro lugar (qual?) ou usar o próprio Ning e depois relinkar tudo é um trabalho imenso, que gastará meses se apenas uma pessoa ficar dedicada a isso. O que vocês sugerem?
Talvez a melhor saída, tendo um lugar alternativo ou usando o próprio Ning é dividirmos entre nós o trabalho. Enquanto o 4Shared não for bloqueado, podemos fazer o download dos textos, pendurá-los nesse(s) lugar(es) e republicar - usando as mesmas normas adotadas pela BIBLI.E=R, que são muito simples - no grupo BIBLIOTECA E=R.
||
Mas se fizermos isso de modo distribuído, o trabalho será rápido. E nem importa muito as inevitáveis repetições.
||
Aliás, talvez a melhor solução seja esta mesmo: distribuir tudo e não coordenar nada. Cada um escolhe os textos que quer baixar do 4Shared e, em seguida, faz o upload em algum lugar que encontrar.
||
(Continua abaixo no campo dos comentários)

Vejam as novas páginas, organizadas pela inicial do sobrenome dos autores. Os textos ainda estão no 4Shared. Trata-se de fazer o download, pendurá-los (upload) em outro lugar e publicá-los novamente (com o novo link) no campo dos comentários: Novas Páginas


Exibições: 5335

Responder esta

Respostas a este tópico

Augusto, no slideshare, tanto na sua conta como na conta Escola de Redes, tem aproximadamente 153 publicações. Onde estão as outras quase 800?  Está lá com outro nome de perfil de usuário?
Abs 

todas as tentativas que fiz de acessar os textos da biblioteca no 4shared deram em nada. os textos estão sendo retirados de lá? 

99% dos textos não estão no Slideshare e sim no 4Shared. Vá na Biblioteca e clique no link de qualquer texto. Você irá para o 4Shared. Abraços.

Sergio Venuto Magalhaes disse:

Augusto, no slideshare, tanto na sua conta como na conta Escola de Redes, tem aproximadamente 153 publicações. Onde estão as outras quase 800?  Está lá com outro nome de perfil de usuário?
Abs 

Não Vivi, está funcionando perfeitamente. Deve ser um problema da sua conexão ou algum muro. De onde você está acessando?

Vivianne Amaral disse:

todas as tentativas que fiz de acessar os textos da biblioteca no 4shared deram em nada. os textos estão sendo retirados de lá? 

Talvez a solução possa ser esta mesmo, distribuir entre os participantes da rede. Uma solução de fato distribuída, não sei como. Quem se habilita?

Abs e força a toda Escola nesta luta democrática pelo conhecimento.

Luiz,

vamos organizar um pouco esse negócio dos .torrents?

Hoje à noite terei todos os arquivos baixados em meu PC em casa. Poderíamos ver quem mais tem interesse em ajudar a criar os torrents e dividir a tarefa entre as pessoas. Depois colocamos os links em um local de maneira organizada (nos moldes do que está publicado na Biblioteca E=R).

Que me diz? É trabalho pra pouco tempo, a depender da quantidade de pessoas que aderir à causa.

Abs

Gameiro.

Luiz de Campos Jr disse:

olá Luiz,
já segui a sua sugestão, só que por outra via...

criei um torrent para cada arquivo e os estou disponibilizando aqui e na biblioteca.

TAPSCOTT, Don & WILLIAMS, Anthony (2006): Wicknomics
MATURANA, Humberto (2004): Entrevista para Revista Humanitates


Luiz Bruno Vianna disse:

Sugestão:

Já que os arquivos problemáticos foram: 

Wikinomics de Tapscott_Williams postado em 2009-09-30
Maturana Entrevista para Humanitates em 2010-05-22

Então, vou publicar justamente estes em plataformas diferentes. Ao invés de bloquear o acesso, vamos tornar impossível o bloqueio a estas obras, publicando em diferentes lugares, com diferentes nomes (linkando ou não na biblioteca). Eu farei isso, que quiser que siga...

Mas o esforço principal é manter o acervo da biblioteca.

Vivi,

Tenta de novo.

Ontem tentei baixar um do Maturana, deu mensagem de erro, tentei de novo e consegui. Me deu a impressão que eles estão é fazendo pressão, eu diria, aliás, terrorismo meio facistóide...

.



Vivianne Amaral disse:

todas as tentativas que fiz de acessar os textos da biblioteca no 4shared deram em nada. os textos estão sendo retirados de lá? 

Renato,

Como exemplo de custo: acabei de despachar umas compras que fiz, que pesaram 12 Lb. Pela DHL saiu US120,00. quando chegar terei que pagar os impostos que incidem sobre o valor do produto + transporte. :-P É uma coisa maluca mesmo.Estes impostos, importacao simplificado (60% + ICMS + taxa de desembaraço na alfandega) sempe passam um pouco de 100%. E assim se caminha no BR: sobretaxando geracao de conhecimento, fluxos de produção.(sobretudo para os pequenos importadores, claro)


Renato Siqueira disse:

Nilton,

Excelente colaboração.

Permita fazer colocações:

01) Corretíssimo! Qualquer (QUALQUER) solução hospedada em sites dedicados ao compartilhamento de arquivos, cedo ou tarde, irá nos trazer problemas. Uma excelente solução é colocar os nome dos arquivos modificados, mas há um problema nisso: Os "certinhos anti ladrões safados" (advogados das marcas) tem técnicas que rastreiam os arquivos, mesmo com nomes trocados, por outras coisas, como hash e texto âncora (Texto que consta no link que aponta para o arquivo). Leva mais tempo, mas eles acabam achando.

02) Torrent é uma solução, mas tem os problemas que já levantei. Não acho uma solução "responsável" do ponto de vista sustentável (se estou tentando mudar o mundo, tenho que zelar para que ainda haja um mundo para minha filha viver quando eu já não estiver mais aqui...)

03) Com relação ao PogoPlug, ele pode ficar na casa de alguém. É muito difícil de dar problema, garanto. Já passei por isso e sei o que estou dizendo ;) E eu posso me responsabilizar por ele. Sem problema nenhum. E de mais a mais, tendo tudo num local "móvel", caso alguém recebesse uma "notificação" (pois ninguém pode ser processado sem ela) bastaria mudar o PogoPlug de lugar. Estou disposto a assumir os riscos pela solução, para ajudar ao projeto.

04) A idéia da página é ótima: Portátil, simples e direto ao ponto :)

Gostaria de saber quanto sairia pra comprar o Pogo aí e mandar pro meu endereço no Brasil. Pode calcular isso pra mim? Se der pra bancar, eu assumo esse investimento e disponibilizo o espaço necessário para a BibliotE=R continuar operando normalmente, livre de "bullshits" legais...

Meus respeitos à sua magnífica participação.



Nilton Lessa disse:

Partindo das ideias e sugestões já apontadas pelo Renato, Alexandre e demais amigos da ER:

1) Creio que qq movimento para outro serviço online (Slideshare, DropBox, FileServe) útil. Mas mais dia menos dia irão bloquear o acesso. Mas o risco de haver uma descontinuidade sistêmica diminui bastante se multiplos usuarios fizerem upload, usando multiplas contas, modificando os nomes dos arquivos e com subconjuntos de arquivos com alguma intersecção entre as contas.

2) Torrent é a solução mais distribuída e mais segura, sem dúvida.  Quando o "bicho pegou" no caso Wikileaks foi lá o ultimo bastião.(Ok, nao chegou a  ser o último bastião). Entretanto para o acessar ao material é o menos amigável, como Renato já alertou.

3) A solucao do PogoPlug é realmente muito boa, do ponto de vista tecnico, da hospedagem e da possibilidade de colocar um serviço "facil" de usar para quem desejar acessar o serviço.  A questao é que co-location em datacenter não é barato no Brasil. E quem contratar o serviço e hospedar o Pogo é quem ficará sujeito às represálias legais, se houverem (recentemente acompanhei de perto um caso, envolvendo amigos meus, que foram processados). Isto é, ao co-locar num data-center, cria-se um ponto de ataque vulnerável, até do ponto legal. Como resolver isto? Hospedando com alguém que tenha Internet estável diminui parte do risco mas o IP do servidor continua sendo rastreável (gracas ao "maravilhoso" sistema de DNS, feito para hierarquizar a Internet).

Enfim, nao haverá solucao hj sem risco. Portanto creio que a melhor solução imediata agora é a adoção de todas as soluções. A solução é a redundância de estratégias. O importante é que haja um "index", talvez uma simples página HTML baste, por exemplo, que catalogue todas as soluções. Este index poderia ser feito em qq editor colaborativo (PiratePAd, por exemplo). (fugindo do Google pois nao existe no Google docs editados anonimamente).

Sobre Pogo: Eu tenho endereço para entrega nos EUA. De lá, dá para despachar legalmente para o BR. (com as taxas de importacao "honestas" daqui).

Augusto, se você achar pertinente, coloca como 8@ passo começarmos a baixar os arquivos em torrents e manter o arquivo disponivel para baixar via torrent, para formarmos uma boa rede de "sementes" (seeds).

Maria Thereza.

.

Augusto de Franco disse:

Pessoal,

Penso que estes 7 PASSOS abaixo já amadureceram:

1) O importante nesta conversa é levantar o maior número possível de alternativas. Quanto mais sugestões melhor. Portanto, não parem de fazer sugestões.

2) Não vamos combinar nada. Não vamos coordenar nada. E não vamos centralizar nada.

3) Cada um toma suas iniciativas e escolhe a sugestão que lhe parecer mais conveniente. O fundamental é colocar um link válido para download no Grupo Biblioteca E=R

4) Onde cada um vai pendurar (upload) não é nosso problema. É melhor até não sabermos.

5) Repetição não é problema. Vamos trabalhar com redundância.

6) Para ir postando os nomes dos textos (seguindo nosso padrão muito simples, é só olhar qualquer um e copiar), pode-se usar sempre o campo de comentários.

7) É importante que todos façam download dos textos que escolheram para republicar (com novo link, pois ele estará pendurado em outro lugar e não mais no 4Shared).

Uma sugestão. As bibliotecas autorais poderiam ser priorizadas. Há um índice delas na Biblioteca E=R e também na homepage na coluna da direita, abaixo. São entradas privilegiadas da BIBLI.E=R. Mas muitas vezes é melhor procurar ali do que pela primeira letra do sobrenome (como está organizada nossa biblioteca).

.

Pessoas, ma questão dos torrents poderíamos nos organizar em duas frentes: uma a dos que estão transformando os livros em torrents e a outra dos que vão formar cada vez mais "sementes" (seeds) para formar "massa crítica" de torrents na rede. 

Eu me incluo na segunda. Baixar os livros via torrentz e deixar o arquivo no computador, sem apagar, para fortalecer a rede.

.

.

Nilton, acho que já podemos fazer o que muitas vezes já foi feito: Reunir um pedido de várias pessoas que precisam de pequenas coisas de fora: celular, peça, camera, ipad, etc, e pagar a passagem e estadia para um ir (este já pode ser alguém que gostaria de ir ou já iria). Sai MUITO mais barato.  Temos que começar a articular e espalhar as necessidades pra que isso ocorra.  Algo como colocar na Rede: "estou precisando de tal coisa. Alguém tem pra ceder, trocar, emprestar , vender?"   "Alguém vai pros EUA e pode trazer tal coisa?"
Que tal?

Abs

Nilton Lessa disse:

Renato,

Como exemplo de custo: acabei de despachar umas compras que fiz, que pesaram 12 Lb. Pela DHL saiu US120,00. quando chegar terei que pagar os impostos que incidem sobre o valor do produto + transporte. :-P É uma coisa maluca mesmo.Estes impostos, importacao simplificado (60% + ICMS + taxa de desembaraço na alfandega) sempe passam um pouco de 100%. E assim se caminha no BR: sobretaxando geracao de conhecimento, fluxos de produção.(sobretudo para os pequenos importadores, claro)


Renato Siqueira disse:

Nilton,

Excelente colaboração.

Permita fazer colocações:

01) Corretíssimo! Qualquer (QUALQUER) solução hospedada em sites dedicados ao compartilhamento de arquivos, cedo ou tarde, irá nos trazer problemas. Uma excelente solução é colocar os nome dos arquivos modificados, mas há um problema nisso: Os "certinhos anti ladrões safados" (advogados das marcas) tem técnicas que rastreiam os arquivos, mesmo com nomes trocados, por outras coisas, como hash e texto âncora (Texto que consta no link que aponta para o arquivo). Leva mais tempo, mas eles acabam achando.

02) Torrent é uma solução, mas tem os problemas que já levantei. Não acho uma solução "responsável" do ponto de vista sustentável (se estou tentando mudar o mundo, tenho que zelar para que ainda haja um mundo para minha filha viver quando eu já não estiver mais aqui...)

03) Com relação ao PogoPlug, ele pode ficar na casa de alguém. É muito difícil de dar problema, garanto. Já passei por isso e sei o que estou dizendo ;) E eu posso me responsabilizar por ele. Sem problema nenhum. E de mais a mais, tendo tudo num local "móvel", caso alguém recebesse uma "notificação" (pois ninguém pode ser processado sem ela) bastaria mudar o PogoPlug de lugar. Estou disposto a assumir os riscos pela solução, para ajudar ao projeto.

04) A idéia da página é ótima: Portátil, simples e direto ao ponto :)

Gostaria de saber quanto sairia pra comprar o Pogo aí e mandar pro meu endereço no Brasil. Pode calcular isso pra mim? Se der pra bancar, eu assumo esse investimento e disponibilizo o espaço necessário para a BibliotE=R continuar operando normalmente, livre de "bullshits" legais...

Meus respeitos à sua magnífica participação.



Nilton Lessa disse:

Partindo das ideias e sugestões já apontadas pelo Renato, Alexandre e demais amigos da ER:

1) Creio que qq movimento para outro serviço online (Slideshare, DropBox, FileServe) útil. Mas mais dia menos dia irão bloquear o acesso. Mas o risco de haver uma descontinuidade sistêmica diminui bastante se multiplos usuarios fizerem upload, usando multiplas contas, modificando os nomes dos arquivos e com subconjuntos de arquivos com alguma intersecção entre as contas.

2) Torrent é a solução mais distribuída e mais segura, sem dúvida.  Quando o "bicho pegou" no caso Wikileaks foi lá o ultimo bastião.(Ok, nao chegou a  ser o último bastião). Entretanto para o acessar ao material é o menos amigável, como Renato já alertou.

3) A solucao do PogoPlug é realmente muito boa, do ponto de vista tecnico, da hospedagem e da possibilidade de colocar um serviço "facil" de usar para quem desejar acessar o serviço.  A questao é que co-location em datacenter não é barato no Brasil. E quem contratar o serviço e hospedar o Pogo é quem ficará sujeito às represálias legais, se houverem (recentemente acompanhei de perto um caso, envolvendo amigos meus, que foram processados). Isto é, ao co-locar num data-center, cria-se um ponto de ataque vulnerável, até do ponto legal. Como resolver isto? Hospedando com alguém que tenha Internet estável diminui parte do risco mas o IP do servidor continua sendo rastreável (gracas ao "maravilhoso" sistema de DNS, feito para hierarquizar a Internet).

Enfim, nao haverá solucao hj sem risco. Portanto creio que a melhor solução imediata agora é a adoção de todas as soluções. A solução é a redundância de estratégias. O importante é que haja um "index", talvez uma simples página HTML baste, por exemplo, que catalogue todas as soluções. Este index poderia ser feito em qq editor colaborativo (PiratePAd, por exemplo). (fugindo do Google pois nao existe no Google docs editados anonimamente).

Sobre Pogo: Eu tenho endereço para entrega nos EUA. De lá, dá para despachar legalmente para o BR. (com as taxas de importacao "honestas" daqui).

Eu li a respeito de uma nova forma de compartilhamento que pode ser útil nesse caso.

http://www.fayerwayer.com/2012/01/bittorrent-arremete-contra-dropbo...

O Bit Torrent está com um espaço de compartilhamento baseado no sistema P2P. Vale a pena conferir.

Abraços,

Katytasv

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço