Escola de Redes

CONSOLIDADO DE TODOS OS TEXTOS DA BIBLI.E=R

BIBLIOTECA E=R (WORD 4SHARED) | BIBLIOTECA E=R (PDF 4SHARED)

BIBLIOTECA E=R (WORD MEDIAFIRE) | BIBIOTECA E=R (PDF MEDIAFIRE)

BIBLIOTECA E=R (WORD MULTIUPLOAD) | BIBLIOTECA E=R (PDF MULTIUPLOAD)

||

O acervo da E=R, com cerca de 830 textos para download da BIBLI.E=R está ameaçado. Esses livros e artigos foram reunidos pacientemente durante 3 anos, por vários conectados e conectadas à Escola-de-Redes e hoje talvez seja a maior biblioteca virtual de publicações científicas sobre redes sociais e temas correlatos. Eles foram pendurados no site http://4shared.com porque a o aplicativo do Ning, em 2009, era muito lento e não funcionava corretamente.

||

Vejam a mensagem que recebi ontem da Equipe de Suporte do 4shared support@4shared.com e a minha resposta. De qualquer modo, estamos com um sério problema. Pois, pelo que percebi, basta uma pessoa qualquer - um desses tarados por copyright que fazem do aprisionamento do conhecimento o seu meio de vida e fonte de lucro entre com uma reclamação - para o 4Shared interpretar como "abuse" e bloquear a conta. Ou seja, não temos a menor garantia.

||

 

MENSAGEM DO 4SHARED (00h08 DE 05/01/12)

Olá
Recebemos uma reclamação de que você está violando os Termos de Uso da 4shared. Foram detectados em sua conta arquivos explícitos ou ilícitos. Esses arquivos foram marcados como abusivos e movidos para a pasta 'Abuso' em sua conta, e o acesso a esses arquivos foi desativado.
Ao utilizar o serviço 4shared, é proibido fazer o seguinte: 1. publicar, distribuir ou de qualquer outra forma disponibilizar ou transmitir, nenhum dado, mensagem, texo, arquivo, ou qualquer outro material que infrinja qualquer direito autoral de terceiros e/ou qualquer lei, norma ou regulamentação, nacional ou internacional, incluindo, mas não limitada à: 
a. direitos autorais, marca registrada, patentes, outros direitos de propriedade; 
b. direito a privacidade ou publicidade; 
c. todas as obrigações de confidencialidade. 
2. Publicar, distribuir ou disponibilizar de outra forma qualquer um software ou outros arquivos que contenham vírus ou outros componente danoso. 
3. Publicar, distribuir ou disponibilizar de outra forma qualquer material pornográfico ou ilegal.
4. Publicar ou transmitir qualquer conteúdo ilegal, doloso, ameaçador, abusivo, de assédio, difamatório, ou ofensivo, difamatório, ou de conteúdo étnico derrogatório ou racial, ou qualquer conteúdo que expresse ódio contra qualquer pessoa ou grupos de pessoas devido à raça, credo, religião, cor, origem ou orientação sexual.
Atenção!
Este é o ultimo email de notificação relacionado à sua atividade ilícita no 4shared.com.
Quaisquer outras atitudes de violação de sua parte determinarão o bloqueio definitivo de sua conta.
Facilite a sua presença no 4shared e faça jus a ela – não viole os Termos de Uso do 4shared!
Saudações cordiais, 
Equipe de Suporte do 4shared 
support@4shared.com

||

 

MINHA RESPOSTA (07h08 DE 05/01/12)

Para Equipe de Suporte do 4shared:

Pelo que vi a alegada violação se deveu à publicação dos seguintes textos:

Wikinomics de Tapscott_Williams postado em 2009-09-30
Maturana Entrevista para Humanitates em 2010-05-22
Achei estes textos na Web, já estavam publicados. Não digitalizei.
Tenho centenas de textos no 4Shared na mesma condição. Eles são materiais didáticos, sem fins lucrativos, usados pela Escola-de-Redes (http://escoladeredes.ning.com/).
A Escola-de-Redes é uma rede social de pesquisa, que utiliza uma plataforma Ning. Nada do que é feito lá tem fins comerciais.
Se amanhã surgir uma pessoa fazendo uma reclamação qualquer e vocês interpretarem como violação dos Termos de Uso, então todo o acervo da Escola-de-Redes se perderá?
Vocês estão entendendo, que em pleno século 21 não se pode tratar mais assim a questão da propriedade intelectual e do copyright?
Como uma pessoa pode saber se um texto encontrado na Web é lícito ou ilícito?
Sei que vocês estão pensando em se resguardar de processos, mas, neste caso, o aconselhável seria mudar de negócio. É óbvio que numa site desse tipo (4Shared) aparecerão muitos textos que não foram autorizados pelos que detêm os direitos patrimoniais sobre antigas edições em papel. E o Creative Commons, como é que fica?
Pensem nisso.
E não escrevam mensagens como a que enviaram abaixo [aqui acima], pois elas são ofensivas a pessoas que não violaram lei alguma e estão trabalhando pro bono para o progresso da ciência.
Por outro lado, vocês também não podem avaliar corretamente quais são as consequências desse ato de bloqueio, se a ameça for concretizada. Vocês não sabem como a repercussão disso se propagará pela rede. Na balança custo-benefício talvez saia mais caro para vocês fazer isso.
Analisar caso a caso as situações - e não ter uma regra geral, sempre burra - é a melhor política.
No caso concreto, os textos de Tapscott-Williams estão espalhados pela Internet. E a entrevista de Maturana para Humanitates não é um produto tipicamente comercial. Creio que Maturana, que conheço, nada recebeu por essa entrevista e também creio que ele concordaria com minha avaliação.
Atenciosamente,
Augusto de Franco
Criador da Escola-de-Redes
||
Bem... pelo visto isso não terá um bom desfecho, pelos motivos que já apontei acima. Então temos que pensar rapidamente o que vamos fazer. Tenho backup dos arquivos. Eles estão espalhados em três máquinas diferentes. Fazer o upload de todos eles em outro lugar (qual?) ou usar o próprio Ning e depois relinkar tudo é um trabalho imenso, que gastará meses se apenas uma pessoa ficar dedicada a isso. O que vocês sugerem?
Talvez a melhor saída, tendo um lugar alternativo ou usando o próprio Ning é dividirmos entre nós o trabalho. Enquanto o 4Shared não for bloqueado, podemos fazer o download dos textos, pendurá-los nesse(s) lugar(es) e republicar - usando as mesmas normas adotadas pela BIBLI.E=R, que são muito simples - no grupo BIBLIOTECA E=R.
||
Mas se fizermos isso de modo distribuído, o trabalho será rápido. E nem importa muito as inevitáveis repetições.
||
Aliás, talvez a melhor solução seja esta mesmo: distribuir tudo e não coordenar nada. Cada um escolhe os textos que quer baixar do 4Shared e, em seguida, faz o upload em algum lugar que encontrar.
||
(Continua abaixo no campo dos comentários)

Vejam as novas páginas, organizadas pela inicial do sobrenome dos autores. Os textos ainda estão no 4Shared. Trata-se de fazer o download, pendurá-los (upload) em outro lugar e publicá-los novamente (com o novo link) no campo dos comentários: Novas Páginas


Exibições: 5194

Responder esta

Respostas a este tópico

O backup nas nuvens é a melhor alternativa, caracterizando invasão de privacidade qualquer incursão pelo lado do hospedeiro. Ao invés de multiplicarmos a guarda física (em pen drive e tal) sugiro que se tenha no nível compartilhado algumas contas do dropbox - o plano free da p 2GB.

Outra alternativa, para 10 usuários é o CrashPlan que sai por 6 dólares mensais mas lhe da uns 100GB - basta escolher os outros 9 'apoiadores' que mantemos a integridade da base.

Sugiro também que façamos um longo e sólido texto, em base nessa experiência para definirmos claramente a nossa ousadia com relação ao tratamento dos direitos autorais vs contenção de conhecimento. Sei que é utópico, mas vale a pena jogar mais luz sobre áreas cinzentas !

Acho ótimo, Renato. Você sabe como proceder? Quem sabe?

Renato Siqueira disse:


Augusto, será que não seria uma ideia legal colocar tudo numa conta do Dropbox paga, a gente divide a conta (isso é fácil) e deixa lá.
Anualmente, renovamos.
São 50GB e os caras não são muito de perturbar.
Outra opção, MUITO MELHOR, é usar um PogoPlug Series 4 e colocar na casa de alguém com boa estabilidade elétrica e com banda larga. Com este dispositivo, poderíamos colocar quantos e tantos arquivos fossem convenientes para a E=R sem a preocupação com "Termos de Serviço" dos sites de compartilhamento. É um dispositivo barato, que poderia ser rateado entre nós e colocado à disposição de todos.
Com isso, mais o armazenamento em nuvem, ficaríamos realmente seguros e essa maravilhosa iniciativa à salvo do sistema "engessado" por advogados burros e gananciosos e empresas mal orientadas!
O que acham?

Sei sim, Augusto.

Já implementei recursos como este em algumas empresas.

Para comprar, precisaremos de alguém com endereço nos EUA, pois eles não entregam aqui diretamente.

Após comprado, basta plugar um HD Externo do tamanho que você quiser e configurar o software.

Posso ajudar a E=R com isso, se vocês concordarem.

Após a configuração, podemos montar um sistema redundante de "nuvens", usando a nuvem do PogoPlug como base e a partir disso, ninguém mais tira NADA nosso do ar!


Se concordarem, estou à disposição. Sou apaixonado por isso aqui :)
Augusto de Franco disse:

Acho ótimo, Renato. Você sabe como proceder? Quem sabe?

Renato Siqueira disse:


Augusto, será que não seria uma ideia legal colocar tudo numa conta do Dropbox paga, a gente divide a conta (isso é fácil) e deixa lá.
Anualmente, renovamos.
São 50GB e os caras não são muito de perturbar.
Outra opção, MUITO MELHOR, é usar um PogoPlug Series 4 e colocar na casa de alguém com boa estabilidade elétrica e com banda larga. Com este dispositivo, poderíamos colocar quantos e tantos arquivos fossem convenientes para a E=R sem a preocupação com "Termos de Serviço" dos sites de compartilhamento. É um dispositivo barato, que poderia ser rateado entre nós e colocado à disposição de todos.
Com isso, mais o armazenamento em nuvem, ficaríamos realmente seguros e essa maravilhosa iniciativa à salvo do sistema "engessado" por advogados burros e gananciosos e empresas mal orientadas!
O que acham?

Compartilhamento de arquivos na Internet vira religião na Suécia

Por PC World/EUA

"Igreja Missionária do Kopimism", criada por defensores da pirataria, foi reconhecida como organização religiosa no país.

Desde 2010, um grupo sueco de apoio à pirataria tem tentado conseguir o curioso status de religião para a prática de compartilhamento de arquivos via Internet.

Pois depois de várias tentativas, eles conseguiram: a “Igreja Missionária do Kopimism” acaba de ser reconhecida como organização religiosa na Suécia. Mas isso não quer dizer que as autoridades autorizaram a pirataria no país.

Como “símbolo sagrado”, os seguidores veneram a combinação de teclas CTRL + C e CTRL + V (que nos PCs servem para copiar e colar). A tal igreja foi criada pelo estudante de filosofia Isak Gerson e prega que compartilhar informação “é um ato sagrado”.

A "Igreja Missionária do Kopimism" já conta com mais de 3 mil membros.

============================================================

Talvez seja uma solução!

============================================================

Putz! Fantástico, Renato. Queremos sim (todos nós, penso) a sua ajuda nisso. Nos diga o que devemos fazer. E o ideal, a meu ver, é além de adotar essa solução maravilhosa, incentivar o pessoal a pendurar os textos (upload) no maior número possível de lugares. Espalha mais, aumenta a redundância, aumenta a resiliência. Abraços.

Renato Siqueira disse:

Sei sim, Augusto.

Já implementei recursos como este em algumas empresas.

Para comprar, precisaremos de alguém com endereço nos EUA, pois eles não entregam aqui diretamente.

Após comprado, basta plugar um HD Externo do tamanho que você quiser e configurar o software.

Posso ajudar a E=R com isso, se vocês concordarem.

Após a configuração, podemos montar um sistema redundante de "nuvens", usando a nuvem do PogoPlug como base e a partir disso, ninguém mais tira NADA nosso do ar!


Se concordarem, estou à disposição. Sou apaixonado por isso aqui :)
Augusto de Franco disse:

Acho ótimo, Renato. Você sabe como proceder? Quem sabe?

Renato Siqueira disse:


Augusto, será que não seria uma ideia legal colocar tudo numa conta do Dropbox paga, a gente divide a conta (isso é fácil) e deixa lá.
Anualmente, renovamos.
São 50GB e os caras não são muito de perturbar.
Outra opção, MUITO MELHOR, é usar um PogoPlug Series 4 e colocar na casa de alguém com boa estabilidade elétrica e com banda larga. Com este dispositivo, poderíamos colocar quantos e tantos arquivos fossem convenientes para a E=R sem a preocupação com "Termos de Serviço" dos sites de compartilhamento. É um dispositivo barato, que poderia ser rateado entre nós e colocado à disposição de todos.
Com isso, mais o armazenamento em nuvem, ficaríamos realmente seguros e essa maravilhosa iniciativa à salvo do sistema "engessado" por advogados burros e gananciosos e empresas mal orientadas!
O que acham?

Um exemplo do que pode ser feito com o PogoPlug: http://ppl.ug/s2slCipRkT8/

Augusto de Franco disse:

Acho ótimo, Renato. Você sabe como proceder? Quem sabe?

Renato Siqueira disse:


Augusto, será que não seria uma ideia legal colocar tudo numa conta do Dropbox paga, a gente divide a conta (isso é fácil) e deixa lá.
Anualmente, renovamos.
São 50GB e os caras não são muito de perturbar.
Outra opção, MUITO MELHOR, é usar um PogoPlug Series 4 e colocar na casa de alguém com boa estabilidade elétrica e com banda larga. Com este dispositivo, poderíamos colocar quantos e tantos arquivos fossem convenientes para a E=R sem a preocupação com "Termos de Serviço" dos sites de compartilhamento. É um dispositivo barato, que poderia ser rateado entre nós e colocado à disposição de todos.
Com isso, mais o armazenamento em nuvem, ficaríamos realmente seguros e essa maravilhosa iniciativa à salvo do sistema "engessado" por advogados burros e gananciosos e empresas mal orientadas!
O que acham?

Sem problema, Augusto.

  • Primeiro passo: Comprar o PogoPlug
    • Quem pode comprar isso nos EUA e trazer pra nós?
    • Como podemos "ratear" o investimento?
  • Segundo passo: Infraestrutura
    • Onde ficará hospedado o "servidor E=R"?
      • Tenho uma conexão de 15MB em casa, com nobreak. Posso me responsabilizar por manter nosso servidor "vivo" se todos concordarem. 
  • Terceiro passo: Configuração e disponibilização
    • Será necessário enviar o equipamento para o Rio, para que eu o configure e depois (caso ele não fique no Rio) enviá-lo para o local de hospedagem "definitivo"
E aí? O que nossos colegas dizem?



Augusto de Franco disse:

Putz! Fantástico, Renato. Queremos sim (todos nós, penso) a sua ajuda nisso. Nos diga o que devemos fazer. E o ideal, a meu ver, é além de adotar essa solução maravilhosa, incentivar o pessoal a pendurar os textos (upload) no maior número possível de lugares. Espalha mais, aumenta a redundância, aumenta a resiliência. Abraços.

Renato Siqueira disse:

Sei sim, Augusto.

Já implementei recursos como este em algumas empresas.

Para comprar, precisaremos de alguém com endereço nos EUA, pois eles não entregam aqui diretamente.

Após comprado, basta plugar um HD Externo do tamanho que você quiser e configurar o software.

Posso ajudar a E=R com isso, se vocês concordarem.

Após a configuração, podemos montar um sistema redundante de "nuvens", usando a nuvem do PogoPlug como base e a partir disso, ninguém mais tira NADA nosso do ar!


Se concordarem, estou à disposição. Sou apaixonado por isso aqui :)
Augusto de Franco disse:

Acho ótimo, Renato. Você sabe como proceder? Quem sabe?

Renato Siqueira disse:


Augusto, será que não seria uma ideia legal colocar tudo numa conta do Dropbox paga, a gente divide a conta (isso é fácil) e deixa lá.
Anualmente, renovamos.
São 50GB e os caras não são muito de perturbar.
Outra opção, MUITO MELHOR, é usar um PogoPlug Series 4 e colocar na casa de alguém com boa estabilidade elétrica e com banda larga. Com este dispositivo, poderíamos colocar quantos e tantos arquivos fossem convenientes para a E=R sem a preocupação com "Termos de Serviço" dos sites de compartilhamento. É um dispositivo barato, que poderia ser rateado entre nós e colocado à disposição de todos.
Com isso, mais o armazenamento em nuvem, ficaríamos realmente seguros e essa maravilhosa iniciativa à salvo do sistema "engessado" por advogados burros e gananciosos e empresas mal orientadas!
O que acham?

Acho o Dropbox uma ideia excelente e prática. A DDB, lá de fora, mantém um e coloca os links pra download externo: https://ddbworldwide-dropboxjeffswystun.pbworks.com/w/browse/#view=...

Google, Facebook e Amazon planejam blecaute contra lei antipirataria

Por Redação do IDG Now!

Publicada em 04 de janeiro de 2012 às 09h30

Maiores empresas da Internet ameaçam interromper serviços em protesto à lei que tramita nos EUA. "Estamos falando sério", diz executivo.

As maiores empresas da Internet poderão interromper simultaneamente seus serviços como protesto à lei antipirataria que tramita no Senado americano. Ela propõe que não só os usuários que compartilham conteúdo ilegalmente sejam responsabilizados, mas também as plataformas que eles utilizam.

Intitulada Stop Online Piracy Act (“Pare Com A Pirataria Online”), a norma colocou em lados opostos grandes detentores de direitos autorais, como Warner, Paramount, Universal e Disney, e as companhias mais relevantes da web, como Google, Amazon, Facebook, Yahoo e Twitter.

=========================

Na onda do "Estamos falando sério"

=========================

Outra sugestão:

Poderíamos criar um padrão de nome extenso, tipo um código para cada arquivo, e colocá-los em p2p para torrent!

Numa rede distribuída, cada "nó" da rede de micros de membros da escola de redes seria um repositório e, em caso de desgraça, a possibilidade de "perda" seria minimizada! 

[]s

PGC

Sim, o DP é maravilhoso. O problema é que nós teremos nele, mais cedo ou mais tarde, o mesmo problema do 4Shared, pois bastará eles receberem denúncias (que poderão até mesmo ser vazias) para que eles comecem a nos ameaçar e perturbar.

Entendam que estamos "em guerra", pois estamos aqui propondo a desconstrução de um modelo hierárquico fortemente arraigado em nossa sociedade e as pessoas não vão abrir mão das suas "migalhas" tão facilmente.

Até que possamos ter a segurança de uma lei que garanta o livre compartilhamento de mídias digitais para fins acadêmicos, sofreremos "ameaças" daqueles que se agarram ao velho e falido modelo que temos visto.

Bom, eu penso assim.

Mariana Oliveira disse:

Acho o Dropbox uma ideia excelente e prática. A DDB, lá de fora, mantém um e coloca os links pra download externo: https://ddbworldwide-dropboxjeffswystun.pbworks.com/w/browse/#view=...

Caro Augusto

Eu tinha um vídeo, gravado ao vivo contendo uma cena engraçada onde apareciam meu filho e eu, que estávamos na mesma sala com o stream aberto, e ele foi gravado. Meu filho estava ouvindo o SuperTramp e fazia gestos como se estivesse tocando piano e cantando, quando eu mirei a camera para ele e gravei dois ou três minutos. Subi esse vídeo para a minha conta no Youtube, onde ficou por um ou dois anos até que eles me comunicaram a existência de denuncia de abuso feita pela empresa administradora do acervo da banda SuperTramp. O detalhe é que mal dava para ouvir a música, porque a ênfase do video estava dirigida a meu filho e isso ocorreu naturalmente. Vencido o prazo, eles retiraram o video da minha página, mas não o enviaram para mim, deleteram. Foi quando me dei conta que não tinha uma cópia, embora pensasse o contrário. Foi aí que me dei conta que nada em lugar nenhum da Internet está seguro. A meu ver, todos esses sites de armazenagem visam seus próprios intersses sem qualquer compromisso com as vítimas que alojam seus documentos com eles. Estrão sempre a serviço do outro lado, então seria como acampar no território do inimigo.

Minha única sugestão é que a E R tenha computadores e hospedagem próprios conectados para armazenar seu material e poder continuar fiel aos seus princípios e crenças. Os downloads passariam a funcionar direto desse serviço. Evidentemente, isso demanda grana e aí você precisará abrir outra discussão, talvez, para pensar como obter isso e continuar fiel à sua (nossa) filosofia.

Abraço

Luiz Henrique (Lou Mello)

Outra sugestão é cada um baixa os autores de acordo com a letra inicial do próprio nome e guarda no dropbox ou no google docs (lá tem opção de compartilhamento).

Responder à discussão

RSS

© 2019   Criado por Augusto de Franco.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço